Resenha - Deggial - Therion

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Esse CD foi aguardado com ansiedade pelos fans da banda e pelos apreciadores de heavy metal em geral, visto que tudo que era dito em relação a este lançamento nas revistas especializadas eram maravilhas.

Bruce Dickinson: vocalista elege seus 5 álbuns preferidosGuns N' Roses: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sendo curto e grosso, Deggial , é sim, um disco excelente e um tanto quanto uma evolução natural do estilo que a banda vem seguindo, mas não consegue ainda ser melhor que a pequena obra prima Theli, mesmo com todos detalhes, instrumentos e vozes que o disco apresenta. Também deve ser dito que, por outro lado, o disco é bem melhor que Vovin, tendo influências bem mais metal e com muito mais criatividade além de que , diferente de Vovin, todos instrumentos gravados foram verdadeiros, sem samples ou teclados, dando um ar muito mais original e um som muito mais realístico.

Outro "grande" detalhe a ser notado é o gênio criativo de quem , na verdade, é o Therion - Christofer Johnsson, o idealizador destra obra, compositor de todas a músicas (sem contar com "O Fortuna", parte da ópera Carmina Burana, última do disco) mostrando mais uma vez que é possível mesclar música clássica, peso, originalidade e inteligência sem soar chato e entediante.

Começamos o disco com o riff bastante pesado da primeira faixa, Seven Secrets of the Sphinx, onde o ouvinte já começa a bater a cabeça e só para quando a segunda música, Eternal Return, começa, com melodias mais suaves e muito bonitas, sem contar com o final matador onde volta a velocidade e o peso. Deggial não apresenta músicas ruins e é nesse ritmo que chegamos em The Flight of The Lord of The Flies, rápida, curta e e maravilhosa, um dos momentos altos do disco, junto com Flesh of the Gods, a música mais metal do CD, onde aparece ninguém menos que Hansi Kursch (Blind Guardian) para dar uma canja nos vocais principais, alternando no refrão com os coros característicos. E quando você acha que não vai aparecer nada melhor , Via Nocturna vem para dizer exatamente o contrário... Que música! Uma das melhores do Therion, e o ponto alto do CD, com seus 10 minutos de duração, uma junção de melodias incríveis, solos de vários instrumentos, riffs totalmente metal e muito peso.

Agora falta esperar Christofer ter mais um tempo para escrever músicas novas e lançar outra obra como essa. E que venham várias outras.


Outras resenhas de Deggial - Therion

Therion: Deggial é a banda atingindo o perfecionismo




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Therion"


Metal Sinfônico: dez álbuns essenciais do gêneroMetal Sinfônico
Dez álbuns essenciais do gênero

HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal


Bruce Dickinson: vocalista elege seus 5 álbuns preferidosBruce Dickinson
Vocalista elege seus 5 álbuns preferidos

Guns N' Roses: Perguntas e respostas e curiosidades diversasGuns N' Roses
Perguntas e respostas e curiosidades diversas


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336