Resenha - By The Way - Red Hot Chili Peppers

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Romani
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


O Red Hot Chili Peppers sempre teve sua base apimentada nos vocais cuspidos e melódicos de Anthony Kiedis, e no baixo mais do que onipresente de Flea. Após uma primeira audição, porém, do novo disco "By The Way", fica nítida a impressão de que os californianos trocaram o tempero apimentado por algo mais suave, como ervas finas por exemplo.

Playback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceuHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1982

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Influenciados, talvez, pelos ataques terroristas, ou pelo término de romance de Anthony Kiedis, o disco demonstra muita leveza e sutileza. O baixo destruidor de Flea deu lugar a violões, pianos e até mesmo a um solo de trompete na música "Tear". Os vocais de Kiedis, outrora rápidos e incessantes, agora deram lugar a back-vocals no estilo "Californication". Nesse ponto é tentador especular se essas mudanças tiveram alguma ligação com o tremendo sucesso da banda alcançado no álbum antecessor.

Porém, não deixa de ser menos tentador imaginar que essas mudanças tiveram ligação com o crescimento de muitas bandas comerciais que fazem o estilo "Rap-Rock". As mudanças podem ser atribuídas também ao explícito crescimento de John Frusciante dentro da banda; músicas como "Universally Speaking" e "Midnight" são apenas alguns exemplos que ilustram o novo grau de envolvimento do guitarrista.

O melhor, porém, de "By The Way", é trazer um RHCP flertando com outros estilos musicais. "Cabron", uma deliciosa música espanhola, e "On Mercury", um ska no melhor estilo Los Hermanos, estão com certeza entre os melhores momentos desse disco. A dançante "Throw Away Your Television" e "The Zephyr Song", que traz uma batida semi-eletrônica, carregam o selo "momento curioso".

Para os mais fundamentalistas, o funk ainda continua presente, embora numa forma mais sútil e discreta. "By The Way", "Can't Stop" e "Minor Thing" são as três que carregam o DNA dos Chili Peppers, e, ironicamente, são com certeza os maiores hits do álbum.

O tempero apimentado e aquela sensação de festa eterna na praia que caracterizavam o RHCP é, pelo menos momentaneamente, coisa do passado. É chegada a hora para os Chili Peppers de devanear sobre a mulher amada, nesse disco que, ao menos, ganha o título de mais experimental da carreira dos californianos.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Red Hot Chili Peppers"


Red Hot Chili Peppers: Chad Smith desabafa sobre seus víciosRed Hot Chili Peppers
Chad Smith desabafa sobre seus vícios

RHCP: apresentador da Fox diz que são a pior banda do planetaRHCP
Apresentador da Fox diz que são "a pior banda do planeta"


Playback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceuPlayback.FM
Saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceu

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1982Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1982


Sobre Bruno Romani

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Bruno Romani no Whiplash.Net.

adGoo336