Conquest: para amantes de melodias e bumbos duplos

Resenha - Endless Power - Conquest

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Júlio Oliveira
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Imagem
Ao ouvir falar da Ucrânia, os leitores devem lembra-se imediatamente de Chernobyl (usina Nuclearque nos anos 80 teve uma falha no reator que explodiu e espalhou material radioativo por boa parte do leste europeu), mas após escutar o Conquest em seu álbum de estréia, "Endless Power", é quase certo que a única coisa que permanecerá em suas memórias por um bom tempo são as melodias e a velocidade impostos por seus músicos ao longo do álbum, com exceção, lógico das baladas que são de praxe no estilo adotado pela banda: Power Metal com influências do Helloween e mais nitidamente, Stratovarius.
Iron Maiden: versões pesadas para clássicos do RockIron Maiden: confira fotos da famosa Acacia Avenue

O título é de fato merecido pelo álbum que apesar da abertura instrumental, que tenta simplesmente copiar o feeling de álbuns como os Keepers, segue acelerado sem dó nem piedade e logo na primeira faixa sentimos todo o vigor da banda que realmente se empenha em fazer por merecer um espaço na cena que anda tão estagnada. O interessante é que a citada faixa instrumental reproduz “frases” no teclado que serão escutadas mais tarde nas guitarras de outras músicas.

"I’ve Seen You In My Dreams" começa acelerada como uma prolongação da intro e muito bom gosto mas apesar de o instrumental chamar logo atenção devido a sua boa execução, o mesmo não pode ser dito sobre o vocal de Jenick D. Lenkoff que vez ou outra soa estranho mas que entretanto não chega a prejudicar a banda.

"Flying Back" segue a mesma tônica do up-tempo com os bumbos duplos de Sergei Balalajev e a guitarra de Alexander Zakharoff conduzindo o restante da banda e apesar de tratar-se de composições com um certo grau de qualidade, fica evidente que a banda criou uma formula de composição e segue-a à risca, então a quarta faixa inicia e "Angry Angel" mostra que o que acabei de falar não era apenas especulação.

Em se tratando de um trabalho deste gênero, não podia faltar uma balada e "Winter Has Come" vem para cumprir esse papel, com um título que já sugeria sua função. Não chega a ser uma das mais belas baladas já compostas mas é agradável.

“Descansados” a banda pode voltar a fazer aquilo a que se propõem e mais uma vez relembramos aquela já distante intro mas que permeia quase que todo o álbum e em "Ancient Winds" não seria diferente. Além da velocidade e melodias cativantes, o grande destaque nessa faixa é a participação mais que especial de Timo Tolkki fazendo o que ninguém esperava e se alguém por um acaso lembrar de "Stratosphere" do "Episode" não será coincidência.

A essa altura, como não poderia ser diferente, eu já estava mais que desconfiado e pra aumentar a minha desconfiança, o começo de "This World Law" lembra bastante "Phantoms Of Death" do Helloween mas a semelhança logo se transforma em algo distinto e a faixa evolui para mais um Power metal de boa qualidade.

"Before It’s Done" é mais uma faixa na qual a banda esbanja velocidade, bons solos e muita boa vontade que é o ponto principal deste disco.

"I Wanna Be With You", como o próprio nome sugere, é mais uma balada, um tanto quanto melhor que a primeira embora a letra seja bastante previsível.

Em "The Last Sphinx" a banda retoma seu vigor, mais uma vez com boas melodias e um refrão pra lá de contagiante.

"Rock n’ Roll To Death" começa e até parece que a banda vai tentar fazer um Hard Rock mas logo aceleram novamente resultando numa faixa interessante.

O título da próxima faixa também chama atenção pois "Destiny" é também o título de um álbum do Stratovarius mas na música em si não encontramos nenhuma semelhança a não ser, mais uma vez, a velocidade imposta pelos músicos.

Para fechar com chave de ouro, "Endless Power" que dá nome ao álbum chega para provar que os músicos têm toda essa energia, quem sabe não é oriunda da Usina Nuclear já mencionada?!?!

Como um todo, o trabalho não tem nada de original, mas não deixa de ser agradável e os amantes dos bumbos duplos devem dar uma conferida pois os encontrarão do inicio ao fim com muita propriedade.

Formação:
Jenick D. Lenkoff - vocal
W. Angel – guitarra
Alexander Zakharoff – guitarra
Alexander "KoSa" Kovalevsky – baixo
Sergei "At The Gates" Balalayev – Bateria
Timo Tolkki - Convidado, solo em "Ancient Winds"

Conquest – Endless Power
(2000 – Musical Hall)

1. Motherland (Overture) (02:50)
2. I've Seen You in My Dreams (03:58)
3. I'm Flying Back (04:15)
4. Angry Angel (04:19)
5. Winter Has Come (05:19)
6. Ancient Winds (03:46)
7. This World Law (05:26)
8. Before It's Done (03:24)
9. I Wanna Be with You (05:42)
10. The Last Sphinx (05:03)
11. Rock'n'Roll To Death (03:38)
12. Destiny (04:53)
13. Endless Power (05:06)

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Conquest"

Iron Maiden
Versões mais pesadas para clássicos do Rock

Iron Maiden
Confira fotos da famosa Acacia Avenue

Extreme
Banda implode durante show e Nuno abandona o palco

Slipknot: Joey Jordison diz que foi demitido por telegrama cantadoAngra: carta aberta de Edu Falaschi sobre a sua saídaBlackmore é removido de camiseta do PurpleÁlbuns Decepcionantes: blog elege o Top 5 de 2014Iron Maiden: as 20 melhores músicas da "Era de Ouro"Black Sabbath: Tony Blair nunca conseguiu tocar "Iron Man"

Sobre Júlio Oliveira

Recifense, atualmente divide seu tempo entre trabalhar em Copenhague (Dinamarca) e morar/estudar em Malmö (Suécia). Começou a escutar Metal no início dos anos 90 com os companheiros do Colégio da Polícia Militar e desde então não parou mais, mas nunca se restringindo a um estilo, mas à qualidade da musica em questão. Resolveu começar a colaborar com o site depois de anos lendo as noticias trazidas por outros. "Tava na hora de eu dar minha colaboração também...".

Mais matérias de Júlio Oliveira no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em agosto: 1.237.477 visitantes, 2.825.604 visitas, 7.034.755 pageviews.

Usuários online