Aerosmith: Banda faz show em SP e agrada a todos

Resenha - Aerosmith (Allianz Parque, São Paulo, 15/10/2016)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Kennedy Silva
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Aerosmith, já ouviu falar? Bom, se não ouviu falar, com certeza já ouviu alguma música através de algum filme, por exemplo, já assistiu Armagedon? Então, além de ter música do quinteto americano, tem também a linda da Liv Tyler (filha do frontman da banda), é um filme bacana, mas o show foi melhor ainda e vou contar abaixo.

Sons Of Apollo: banda toca "Dream On" , do Aerosmith, com orquestra; assistaMetallica: músicos regravam o St. Anger "da forma correta" - ouça

O show ocorreu no Allianz Parque, no último sábado - 15/10/16 -, incrivelmente teve "sold out" a partir do 2º dia de vendas e até mesmo quem não era fã, ficou triste ao saber que não conseguiria ver a apresentação dos caras.

A abertura do show ficou por conta da banda SIOUX 66, foi uma apresentação extremamente curta, em menos de meia hora a banda se retira do palco. Eles mandaram músicas próprias, como "Porcos" e também fizeram covers: "O Calibre" d'OS PARALAMAS DO SUCESSO e "Black or White" do famoso Rei do Pop, MICHAEL JACKSON. Foi um bom aquecimento, a banda conseguiu agitar o público presente e esquentar todos para a entrada dos dinossauros do rock.

Por volta das 21h Steven Tyler e companhia sobem ao palco para mais um show memorável em São Paulo. Assim como nos shows que a banda fez pelo país afora, eles tocaram muitos clássicos, mas também mandaram umas do lado B, agradando assim aos gregos e troianos. A apresentação se deu início com as músicas "Draw the line" e "Love in an Elevator", já nesse começo foi possível notar que apesar da idade, todos os músicos ainda tinham muita energia e fariam um belo show na capital paulista.

Tyler apesar dos quase 70 anos, ainda mostra muita vitalidade e energia, se movimentando sempre durante o show, cantando e até mesmo deitado no palco, sem contar que parece que a voz dele não envelhece, continua excelente, possibilitando o mesmo a cantar utilizando suas técnicas já conhecidas. Tyler e banda conseguiram fazer grande parte dos fãs cantarem os já conhecidos hits como "Cryin'", "Crazy" e "I Don't Want to Miss a Thing" mas nas músicas mais antigas/lado B, como "Kings and Queens", "Rats in the Cellar", "Chip Away the Stone" e "Eat the Rich", o público não reagia como nas músicas mais conhecidas, presumo que, ou não conheciam as músicas, ou não gostavam das mesmas.

Continuando a falar sobre o público, apesar do setlist ser bem completo, teve um momento em que Tyler puxou a música "Hole in my Soul" e o público cantou em conjunto, mas foi só para dar o gostinho, pois na sequência Tyler pediu desculpas por não poder tocar tal música e continuou com o set, tocando "I Don't Wanna Miss A Thing" e o público continuou cantando as músicas e grande parte filmando o show (coisa que está cada vez maior nos shows, infelizmente).

Bom, voltando à banda, não tenho do que reclamar, os caras fazem um espetáculo sensacional, é sem dúvidas uma das maiores banda de rock mundial, fazendo apresentações ótimas, como quando tocaram "Stop Messin' Around", onde Tyler tocou uma gaita em conjunto com o icônico guitarrista Joe Perry, cantando e levando a guitarra com maestria.

O show foi seguindo conforme esperado e finalizado com a famosa "Walk this Way". Mas como tradicionalmente acontece, eles voltaram e mandaram 2 Bis, primeiro a fantástica "Dream On", onde Tyler veio com um capuz preto, para cantar e tocar o piano. Ao fim da música tem um "jato" de fumaça que fica ao redor de Tyler e de seu piano. E então, a apresentação chega ao fim com a música "Sweet Emotion", com direito a chuva de papel picado ao seu término.

E assim os americanos finalizam esse espetáculo de luz e som que ocorreu no Allianz Parque, quem não pôde ir dessa vez já pode se preparar para o Rock in Rio, pois a banda já é uma das atrações confirmadas no festival e como a idade chega para todos, é bom não deixar as oportunidades passarem.

Comente: Foi ao show de São Paulo? O que achou?


Outras resenhas de Aerosmith (Allianz Parque, São Paulo, 15/10/2016)

Aerosmith: Duas horas do mais puro Hard Rock em São PauloAerosmith: Veja review e vídeos do show em São Paulo

Aerosmith: consistência e surpresas durante show em SPAerosmith
Consistência e surpresas durante show em SP




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Aerosmith"Todas as matérias sobre "Sioux 66"


Sons Of Apollo: banda toca "Dream On" , do Aerosmith, com orquestra; assista

Oooops: Steven Tyler cai no palco durante show; assistaOooops
Steven Tyler cai no palco durante show; assista

Os anos do Heavy Metal: A decadência e a renovação do estilo

Aerosmith: É como um relógio, todos são importantesAerosmith
"É como um relógio, todos são importantes"

Steven Tyler: melhor em usar drogas do que em fazer músicaSteven Tyler
Melhor em usar drogas do que em fazer música

Ayrton Senna: as homenagens pelo Guns e Aerosmith no BrasilAyrton Senna
As homenagens pelo Guns e Aerosmith no Brasil


Metallica: músicos regravam o St. Anger da forma correta - ouçaMetallica
Músicos regravam o St. Anger "da forma correta" - ouça

Slipknot: 12 histórias que retratam o quão insana a banda éSlipknot
12 histórias que retratam o quão insana a banda é

Playback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceuPlayback.FM
Saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceu

Slipknot: Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy MetalSlipknot
Corey Taylor explica porque o mundo pop não suporta o Heavy Metal

As histórias por trás de 11 capas clássicasAs histórias por trás de 11 capas clássicas

Slipknot: e se Lars Ulrich fosse o baterista?Slipknot
E se Lars Ulrich fosse o baterista?

Metallica: James explica por que Kirk não compôs pro HardwiredMetallica
James explica por que Kirk não compôs pro "Hardwired"


Sobre Kennedy Silva

Sou um apaixonado por Rock n' Roll, desde o mais pesado até os grandes clássicos. Um louco por fotografia, principalmente de bandas e de shows e que está sempre disposto a contribuir para a cena.

Mais matérias de Kennedy Silva no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336