CJ Ramone: Resenha e fotos do show em São Paulo

Resenha - CJ Ramone (Hangar 110, São Paulo, 31/10/2015)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Jorge A. Silva Junior
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Ex-integrante da banda punk mais influente de todos os tempos, CJ RAMONE virou figurinha carimbada no Brasil. Em mais uma extensa turnê pelo país – a quarta nos últimos quatro anos –, o baixista passou por São Paulo, no Hangar 110, onde tocou faixas de seus dois álbuns de estúdio – 'Last Chance To Dance' (2014) e 'Reconquista' (2012) –, além de músicas que fizeram história com os RAMONES.

1584 acessosDia das Crianças: que tal comemorar com Ramones e Xuxa?5000 acessosMetal Open Air: Em 2012, o maior fiasco da história do Heavy Metal no Brasil!

Fotos: Higor Nayde

Christopher Joseph Ward (50), mais conhecido como CJ RAMONE, ganhou evidência no mundo do rock quando entrou para os RAMONES em 1989 com a tarefa de substituir DEE DEE RAMONE, figura icônica que escolheu se aventurar (sem êxito) como rapper. Além de ficar encarregado de entoar o famoso "One, two, three, four!" no intervalo das músicas durante os shows, o baixista também gravou três registros de estúdio – 'Mondo Bizarro' (1992), 'Acid Eaters' (1993) e '¡Adios Amigos!' (1995) – até que, em 1996, o lendário grupo anunciou o fim das atividades.

Se não bastassem todos estes atrativos adicionados às sempre energéticas apresentações, CJ ainda trouxe na bagagem dois discos solo, sendo o mais recente 'Last Chance To Dance', lançado no ano passado e que resume bem seu estilo americano de fazer punk rock. Acompanhado por uma banda afiada e bem coesa formada por Steve Soto (guitarra, ADOLESCENTS), Dan Root (guitarra, ADOLESCENTS) e Pedro Esteban Sosa (bateria), o 'American Punk' fez a alegria do público que compareceu em bom número ao Hangar 110 para se divertir em plena noite de Halloween.

CJ RAMONE subiu ao palco às 22h35 tocando de cara as três músicas que abrem o novo disco – "Understand Me?", "Won't Stop Swinging" e "One More Chance", mostrando estar cada vez mais à vontade e confiante na atual fase de sua carreira solo. Mesmo com a ótima recepção inicial, foi durante as composições dos RAMONES, como "Judy Is A Punk" e "Cretin Hop", que o ambiente na pequena casa realmente esquentou.

Praticamente sem pausa entre as músicas, o show seguiu com a primeira metade do repertório focado em obras autorais, entre elas "What We Gonna Do Now?" e "Three Angels", ambas contidas em 'Reconquista' (2012). Quanto aos expectadores mais exaltados (e alterados), a situação ficou um tanto quanto desagradável quando alguns insistiam em subir ao palco para a irritação dos roadies e até de CJ, que após ter seu pedestal derrubado ajudou a empurrar um "fã" de volta à pista.

Das canções que fizeram história com o RAMONES deram às caras baladas como "I Wanna Be Your Boyfriend" e "Baby, I Love You", além dos clássicos absolutos “The KKK Took My Baby Away”, “Commando” (com participação de JOÃO GORDO, dos RATOS DE PORÃO), “Psycho Therapy” e “Blitzkrieg Bop”, que é sempre o ponto alto em suas apresentações pela comoção geral no refrão "Hey Ho Let's Go!".

Após uma hora de um show direto e competente, CJ RAMONE provou mais uma vez que os fãs brasileiros dos RAMONES ainda podem celebrar com estilo o legado da maior banda de punk rock de todos os tempos. One, two, three, four!

JIRO e DILLINGER

A abertura ficou por conta do grupo JIRO, criação de JIRO OKABE, presidente da empresa Mosrite – a mesma que fazia as guitarras de JOHNNY RAMONE. No Brasil pela primeira vez, o também baixista e vocalista aproveitou a oportunidade para divulgar faixas de seu novo álbum, 'Return Of The Kamikazi' (2014). No repertório, faixas como "All I Want", "Punk Rock Generation" e "I Just Want To Have Something To Do" (RAMONES cover) serviram como ótimo aquecimento para o prato principal da noite.

Antes, às 20h, a banda mineira DILLINGER tocou por 40 minutos composições próprias e alguns covers como "Ace Of Spades" (MOTÖRHEAD) e "Bonzo Goes To Bitburg" (RAMONES), que fechou o set em grande estilo.

Set List – CJ RAMONE

01. Understand Me?
02. Won't Stop Swinging
03. One More Chance
04. Judy Is a Punk
05. Carry Me Away
06. Cretin Hop
07. What We Gonna Do Now?
08. Cluster Fuck
09. Three Angels
10. Little Surfer Girl
11. 'til the End
12. Cretin Family
13. I Wanna Be Your Boyfriend
14. Glad to See You Go
15. Pitstop
16. Strength To Endure
17. Baby, I Love You
18. The KKK Took My Baby Away
19. Last Chance To Dance
20. California Sun
21. My Back Pages
22. Commando
23. Psycho Therapy
24. 53rd & 3rd
25. Do You Wanna Dance?
26. Blitzkrieg Bop
27. R.A.M.O.N.E.S.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de CJ Ramone (Hangar 110, São Paulo, 31/10/2015)

942 acessosCJ Ramone: O cara que manteve o Ramones jovem


Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 06 de novembro de 2015


1584 acessosDia das Crianças: que tal comemorar com Ramones e Xuxa?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Ramones"

Punk RockPunk Rock
Os 25 maiores discos de todos os tempos

RamonesRamones
A prova que a humanidade ainda comanda

VozVoz
10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas (Parte II)

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "CJ Ramone"0 acessosTodas as matérias sobre "Ramones"


Metal Open AirMetal Open Air
O maior fiasco da história do Heavy Metal no Brasil!

VocalistasVocalistas
Três grandes erros na história de três grandes bandas

Axl RoseAxl Rose
Afinal de contas, o que houve com sua voz?

5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19865000 acessosVan Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana5000 acessosEm 08/03/1995: Ingo Schwichtenberg, baterista do Helloween, comete suicídio5000 acessosMichael Kiske: vocalista fala sobre sua espiritualidade5000 acessosSteven Adler: memórias perdidas com Lars Ulrich e John 55000 acessosMetallica: os riffs reaproveitados do Exodus

Sobre Jorge A. Silva Junior

Jorge Junior é paulistano, jornalista diplomado e colaborador do Whiplash.Net desde 2009. Tem mais de 400 matérias e notas publicadas, que somam aproximadamente um milhão e meio de acessos. Também realizou a cobertura de shows de grande porte, entre eles Ringo Starr, Eric Clapton, Deep Purple, System Of A Down, Red Hot Chili Peppers e Ozzy Osbourne. O autor pode ser seguido no Twitter: @jorgejunior85.

Mais matérias de Jorge A. Silva Junior no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online