Megadeth: Quem compareceu saiu com um sorriso largo no rosto

Resenha - Megadeth (Espaço das Américas, São Paulo, 04/05/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fabio Reis
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Antes de falar sobre o show é indispensável citar o episódio que foi o anúncio de que seria um concerto em celebração dos 20 anos do álbum "Youthanasia". A banda não prometeu isso a nenhum promotor de shows como foi explicado através de uma nota oficial de Dave Mustaine que se mostrou de certa forma surpreso com tal situação e em meio à turnê começou a incluir músicas do álbum a cada show pra minimizar os danos aos fãs que por ventura poderiam se sentir enganados. Uma atitude diga-se de passagem louvável.

3265 acessosMegadeth: Dave Mustaine manda mensagem para os fãs brasileiros5000 acessosPower Metal: os dez álbuns essenciais do gênero

Com relação ao local onde o concerto foi realizado, o Espaço das Américas, é grande, com uma ótima estrutura, acústica excelente e além de tudo é de fácil acesso (ao lado do Metro Barra Funda e com via fácil para quase todas as partes de São Paulo).

Os portões foram abertos as 18:30 (Meia hora de atraso) e o show que estava marcado para as 20:00 sofreu o atraso destes mesmos 30 minutos. O clima era excelente para o Megadeth que registrava nesta data a sua décima terceira vinda ao Brasil sendo a banda de Metal que mais vezes pisou em terras tupiniquins.

Sem banda de abertura, as 20:30 o palco se iluminou e a introdução de "Prince of Darkness" foi executada enquanto o nome da banda se formava no telão assim como na introdução do último DVD: "Countdown to Extinction Live", todos sabiam que essa era a senha para Dave Mustaine, David Ellefson, Chris Broderick e Shawn Drover invadir o palco ao som de "Hangar 18". A multidão presente foi a loucura cantando cada verso dessa que é uma das mais emblemáticas canções da banda. A sequência veio com "Reckoning Day" e "Wake Up Dead" que garantiram um início de show avassalador, "In My Darkest Hour" foi emendada ao final de "Wake Up dead" mostrando que seria um show repleto de clássicos em que não se teria tempo nem pra piscar.

A próxima música do repertório pegou alguns mais desavisados de surpresa, já que quem não estava acompanhando os Set Lists da turnê jamais esperaria se deparar com "Set The World Afire". Particularmente acho que esta foi uma das escolhas mais acertadas para esta noite. Dando sequência veio nada mais nada menos que "Sweating Bullets" (executada de forma irretocável) e após um breve discurso de Dave foi a vez de "She Wolf".

"Dawn Patrol" veio para dar uma acalmada no público que até este momento não havia parado nem por um segundo, mas também serviu de introdução para "Poison Was The Cure" incendiar tudo novamente. A faixa título do álbum "Youthanasia" veio em seguida e foi tocada e principalmente cantada com muita garra por Dave, que nitidamente se esforçou ao máximo para chegar aos tons mais altos e apresentá-la da forma mais fiel possível aos presentes.

Passando da metade do show era hora dos grandes hits dos anos 90 começarem a aparecer e a primeira a "dar as caras" foi "Trust", seguida da bem-vinda "surpresa" "Tornado Of Souls". "A Tout Le Monde" foi a próxima fazendo todos cantarem junto com a banda num momento sempre marcante em qualquer apresentação do Megadeth.

A única música do novo álbum a ser executada foi a excepcional "Kingmaker" seguida pela ótima "The Killing Road" que com toda certeza deveria ser mais usada em posteriores turnês. O momento derradeiro se aproximava e com ele uma explosão de hinos/hits/clássicos viriam e a primeira música dessa sequência final não poderia ser outra: "Peace Sells". Após seu término todos estavam extasiados mas ainda faltava um pouco mais e "Symphony Of Destruction" fez novamente o Espaço das Américas explodir e cantar cada verso junto com a banda.

Dave Mustaine se despediu e se retirou do palco para logo em seguida retornar aos gritos de "Holy Wars, Holy Wars, Holy Wars" e com toda certeza este hino não apenas do Megadeth mas de todo o Metal não seria esquecido e fecharia a noite com chave de ouro.

Quem compareceu a esta apresentação saiu com sorriso largo no rosto e com a certa impressão de que o Megadeth não decepciona nunca. Que venha a décima quarta, décima quinta ou quantas forem as vezes que Dave Mustaine e cia. quiserem desembarcar por terras brasileiras.

Set List:

1. Prince Of Darkness Intro/Hangar 18
2. Reckoning Day
3. Wake Up Dead
4. In My Darkest Hour
5. Set the World Afire
6. Sweating Bullets
7. She-Wolf
8. Dawn Patrol
9. Poison Was the Cure
10. Youthanasia
11. Trust
12. Tornado of Souls
13. A Tout Le Monde
14. Kingmaker
15. The Killing Road
16. Peace Sells
17. Symphony of Destruction
Bis:
18. Holy Wars... The Punishment Due

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Megadeth (Espaço das Américas, São Paulo, 04/05/2014)

1325 acessosMegadeth: Outros detalhes da passagem do tornado pelo Brasil5000 acessosMegadeth: Não comemorou o Youthanasia, mas detonou com clássicos


Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 11 de maio de 2014


MegadethMegadeth
Dave Mustaine manda mensagem para os fãs brasileiros

2170 acessosMegadeth: shows no Brasil serão diferentes, diz David Ellefson1761 acessosMegadeth: Dave Mustaine vai interpretar vilão em filme de terror0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Dave MustaineDave Mustaine
Preocupado com a morte depois de Jeff Hanneman

Dave MustaineDave Mustaine
"Comecei a tocar guitarra porque sofria bullying"

MegadethMegadeth
Quatro clássicos da banda em formato acústico

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"


Power MetalPower Metal
Os dez álbuns essenciais do gênero

CarnificinaCarnificina
Revista elege as letras mais repulsivas do Heavy Metal

Em 21/08/1989Em 21/08/1989
Morre Raul Seixas, que seria encontrado morto no dia seguinte

5000 acessosZodíaco True: Os perfis de cada signo em versão Headbanger5000 acessosNoisecreep: dez melhores canções de Metal (e Hard) dos 80s5000 acessosAC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de Angus5000 acessosSlipknot: incrível retrato de Corey desenhado com lápis de cor5000 acessosTop 10: Os mais influentes álbuns de Thrash Metal5000 acessosDane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhor

Sobre Fabio Reis

Paulista, 32 anos, Editor do Blog Mundo Metal, fã de Rock Clássico e Diversos subgêneros do Metal. Banda favorita: Megadeth. Conheceu o Rock ainda quando criança por intermédio dos pais (amantes de Beatles) e com 11 anos já ia na galeria do Rock comprar seus primeiros LP's, desde sempre fez do Metal seu estilo de vida e até os dias de hoje essa paixão pela música só aumenta.

Mais matérias de Fabio Reis no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online