Megadeth: Outros detalhes da passagem do tornado pelo Brasil

Resenha - Megadeth (Espaço das Américas, São Paulo, 04/05/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Carla L Fillardi
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O dia 04 de maio de 2014 marcou a passagem do MEGADETH pelo Brasil. Antes do show em São Paulo, no Espaço das Américas, DAVID ELLEFSON e CHRIS BRODERICK receberam os fãs numa sessão gratuita de autógrafos, na Reference Music.

O vídeo pode ser conferido no link da matéria já publicada no Whiplash.net.
2699 acessosMegadeth: assista vídeo do meet & greet grátis em SP

Vale acrescentar que a equipe responsável foi bastante atenciosa com os fãs. A fila de fãs dobrou a quadra da Reference Music e ao invés das 200 senhas previamente combinadas, a Jackson distribuiu 250. Mas, haviam muito mais almas na fila e os representantes da Jackson passaram ao longo da fila informando, por três vezes, que não seria possível atender a todos. A maioria, entretanto, continuou por lá e quando parecia que realmente não seria possível entrar, os fãs se aglomeraram do lado de fora para ver DAVID ELLEFSON e CHRIS BRODERICK, através da vitrine da Reference Music. Pouco tempo depois, a segurança baixou a porta de aço, mas os fãs continuaram aguardando a saída deles. Algumas fotos da sessão de autógrafos está disponível na página de CHRIS BRODERICK no Facebook.

Quanto ao show, segue algumas considerações:

1) Espaço – o “Espaço das Américas” foi uma excelente escolha - não chega a ser algo como aquelas arenas de show da Califórnia, mas é muito bom. Com capacidade para até 8.000 pessoas (proporcionando ao público um contato mais próximo com a banda), fica do lado da Estação de Metrô Barra Funda, próximo a uma avenida com acesso a ônibus, é coberto, tem uma acústica legal, ar condicionado, telões e iluminação adequados, saídas de emergência bem sinalizadas e banheiros ótimos. O som estava bem equalizado e alto o bastante, talvez, o microfone de DAVE MUSTAINE pudesse estar um pouco mais destacado – mas, pode ser uma impressão devida a meu posicionamento.

2) Horário – considerando que o metrô em São Paulo só funciona no máximo até 01h00, colocar o show para começar às 20h00 foi outra decisão acertada – o atraso de 30 minutos não prejudicou ninguém.

3) A apresentação do MEGADETH – foi impecável e emocionante. Em suma, a sensação depois do show é a de ter sido agarrado por um pit bull (ou teria sido um tornado?), sacudido insistentemente e depois largado na calçada. Ano após ano, o MEGADETH tem demonstrado um alto nível de consideração pelos fãs e de profissionalismo. Certamente é uma banda que vale a pena assistir ao vivo. 100% garantido. O conjunto de imagens (com pequenos trechos intercalados de filmes) nos telões ao fundo do palco, juntamente com o jogo de luzes, conferiram ao show uma atmosfera surreal. No geral, foi um show de poucas palavras, mas muito metal – e afinal, o que se espera que o MEGADETH faça? O MEGADETH não deu descanso ao público em nenhum minuto, com um set-list de 18 petardos bem escolhidos e ordenados, tocados quase ininterruptamente.

http://wikimetal.uol.com.br/site/wp-content/gallery/megadeth...

4) Momentos de destaque da apresentação do MEGADETH – DAVE MUSTAINE recebeu com carinho a bandeira brasileira e pendurou no microfone, como tem feito ao longo da turnê pela América Latina. Ao receber uma outra bandeira personalizada, falou que a levaria para casa. Antes de tocar “Tornado of Souls” (link abaixo para matar a saudade), DAVE MUSTAINE disse que o MEGADETH tinha separado ela especialmente para o público brasileiro, pois a mesma não foi tocada nos shows anteriores. Antes dela, “Set The World Afire” já havia surpreendido (e incendiado) o público – posteriormente, diversos fãs de outros países deixaram comentários incrédulos na página do MegadethizeD no Facebook. Mais um presente para os brasileiros. DAVE MUSTAINE também comentou que esta era a 13ª vez que o MEGADETH vinha ao Brasil, reforçando que o quanto eles gostam de estar aqui. Merece destacar também a vibração de CHRIS BRODERICK e sua empatia com os fãs, bem como a de SHAWN DROVER. Além disso, é bom ver DAVID ELLEFSON no centro do palco, reafirmando que o posto de baixista do MEGADETH é seu, que o MEGADETH também é a sua banda. Foi bonito ver DAVID ELLEFSON e DAVE MUSTAINE se aproximarem no palco, tocando um de frente para o outro, depois de tudo que já ocorreu entre eles. E, antes de finalizarem com “Holy Wars... The Punishment Due”, DAVE MUSTAINE brincou com o público insinuando que todos pareciam cansados e que, assim, estava na hora de ir embora.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

5) O público – os fãs brasileiros de todas as idades mostraram bem o quanto amam o MEGADETH e não ficaram devendo nada aos famigerados argentinos – na minha opinião, vencemos (podem conferir no link abaixo o show no Teatro Vorterix, Buenos Aires, Argentina)! Desde “Hangar 18”, o público mostrou que era o quinto elemento naquela noite, cantando em coro. Houve, é claro, o momento do “olê, olê, olê, olêêê... Mustaine, Mustaine”. E o coro de fãs cantando “A Tout Le Monde” (link abaixo) ficará na memória do MEGADETH, com certeza! Não menos bonito foi o coro “Megadeth, Megadeth”, sem o “aguante”, em “Symphony of Destruction”. Pode-se dizer que o clima era de paixão recíproca. Parece também que o clima foi tranquilo e pacífico entre os presentes. Entretanto, na página do “Megadeth Brasil - Rust in Page”, foi publicada uma nota sobre uma possível animosidade que teria sido presenciada entre fãs do MEGADETH, envolvendo a disputa por um suposto trono de fã nº 1. Felizmente, parece que não passou disso.

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube
youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Fiquei com a impressão que eles saíram do palco mais rápido do que de costume, reduzindo aquele momento final de interação com o público, aplausos e arremesso de palhetas.

Mas, eles disseram que voltarão no próximo ano... A contagem regressiva já começou!

Set-list (MEGADETH: Espaço das Américas, 04/05/2014)

(Intro: Prince of Darkness)
Hangar 18
Reckoning Day
Wake Up Dead
In My Darkest Hour
Set the World Afire
Sweating Bullets
She-Wolf
Dawn Patrol
Poison Was the Cure
Youthanasia
Trust
Tornado of Souls
A Tout Le Monde
Kingmaker
The Killing Road
Peace Sells
Symphony of Destruction
Holy Wars... The Punishment Due

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Megadeth (Espaço das Américas, São Paulo, 04/05/2014)

1444 acessosMegadeth: Quem compareceu saiu com um sorriso largo no rosto5000 acessosMegadeth: Não comemorou o Youthanasia, mas detonou com clássicos

SlayeSlaye
Para Bostaph tem que ser Big6 com Testament e Exodus

94 acessosBlend Guitar: em vídeo, Top 10 Heavy Metal Bands1049 acessosDave Mustaine: Alice Cooper ajudou a tirá-lo das drogas0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

Thrash MetalThrash Metal
Os melhores discos lançados depois do ano 2000

MegadethMegadeth
Que linda jaqueta... onde será que ela comprou?

Rotting ChristRotting Christ
"Fico triste por Dave Mustaine e por todos os cristãos!"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 13 de maio de 2014

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

Desde cedoDesde cedo
Bebês e suas relações emocionais com o Rock

Morre DiaboMorre Diabo
Ele aprendeu a tocar guitarra e virou um shredder

ListaLista
As dez melhores músicas para se ouvir na estrada

5000 acessosJoão Gordo: O que ele acha da banda Babymetal?5000 acessosIron Maiden: sobre o que fala a música "The Trooper"?5000 acessosStryper: Tom Araya fala sobre demônio, sai do palco e vai rezar5000 acessosHelloween: Vinte perguntas respondidas por Andi Deris4926 acessosDavid Gilmour: "Não há espaço para o Pink Floyd em meu futuro"5000 acessosPaul Di'Anno: vídeo de vocalista irritadíssimo com "fã"

Sobre Carla L Fillardi

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online