Thorhammerfest: Celebrando a Semana Santa com Wotan

Resenha - Thorhammerfest 2014 (Clube Piratininga, São Paulo, 18/04/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Durr Campos
Enviar Correções  

Por Durr Campos (em cobertura pelo Programa Heavy Nation da Rádio UOL)
Fotos: Fernando Yokota. Galeria completa neste link.

Faz um bom tempo que estive em um Thorhammerfest. Da última vez a maior festa de celebração pagã da capital paulista estava em sua quarta edição, apresentava uma estrutura mais tímida e foi abrigada em um local bem menor que o Clube Piratininga. No mais, estava tudo lá intacto: as costumeiras encenações de batalhas nórdicas com o grupo Ordo Draconis Belli, artesanato típico, merchandising dos grupos participantes e de outros nomes do pagan, folk, viking, epic e barbaric metal; também podia-se encontrar comidas e bebidas mais voltadas ao passado dos grandes guerreiros (em condições bem melhores de higiene, logicamente), assim como todos ao artigos que fazem a alegria dos escandinavos tupiniquins. O feriado começava em grande estilo, por isso eu e Julio Feriato nos mandamos para o campo de batalha a fim de acompanharmos de perto o que Wotan reservara para nossa cidade.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Leia alguns trechos abaixo:

(...)Se o caro leitor conhece o Iron Woods sabe de seu ‘savoir-faire’ ao apinhar diferentes sortes em seus ritos. Dali você pode aguardar brutalidade e pujança como em "At War Against All" e na que leva o nome da banda, item responsável por abrir a sessão. Perceba que os elementos do metal oitentista entrelaçam-se muito bem aos rudimentos bélicos e ancestrais emanados pelos riffs glaciais de Holykran. O ‘hit’ "Valhalla Land" é sempre sucesso e provoca coros viçosos por onde ecoa, mas eu me divirto com "Hail Beer", a trova folk/punk rock mais bacana que eu tenho notícia. Tá certo que os vocais poderiam ser mais bem urdidos, porém é inegável seu apelo dançante e pândego. Eu que estava meio combalido me vi empunhando uma cerveja de trigo brindando junto aos armíferos de Odin!(...)

(...)Por volta das 20h30 o Thyrfing abriu os portões rumo ao encontro do filho de Borr e Bestla. A formação que nos visitou consiste em Patrik Lindgren (guitarra), Fredrik Henrborg (guitarra), Joakim Kristensson (baixo), Dennis Ekdahl (bateria) e Jens Rydén, que substitui o cantor original Thomas Väänänen, responsável por gravar os cinco primeiros álbuns do grupo. Jens possui seus predicados musicais, mas faz falta o seu antecessor, ainda mais por sabermos que nem o fraco "Hels Vite" (2008) nem o mais recente "De Ödeslösa" (2013) chegam perto do seu debut editado há mais de 15 anos ou do soberbo e inigualável "Valdr Galga" (1999).(...)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Leia a resenha completa acessando o link:
http://heavynation.blog.uol.com.br/arch2014-04-01_2014-04-30...

Sobre o Heavy Nation

Além do fundador Julio Feriato, o Heavy Nation agora conta com Fernanda Lira, vocalista e baixista da banda de thrash metal NERVOSA, também na apresentação do programa.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sites Relacionados
https://www.radio.uol.com.br/#/programa/heavy-nation
https://pt-br.facebook.com/pages/Heavy-Nation/18373558173441...
https://twitter.com/HeavyNation




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Musas do Metal: confira as 10 mais lindas atualmenteMusas do Metal
Confira as 10 mais lindas atualmente

Guns N' Roses: a verdadeira história de Rocket QueenGuns N' Roses
A verdadeira história de "Rocket Queen"


Sobre Durr Campos

Graduado em Jornalismo, o autor já atuou em diversos segmentos de sua área, mas a paixão pela música que tanto ama sempre falou mais alto e lá foi ele se aventurar pela Europa, onde reside atualmente e possui família. Lendo seus diversos artigos, reviews e traduções publicados aqui no site, pode-se ter uma ideia do leque de estilos que fazem sua cabeça. Como costuma dizer, não vê problema algum em colocar para tocar Napalm Death, seguido de algo do New Order ou Depeche Mode, daí viajar com Deep Purple, bailar com Journey, dar um tapa na Bay Area e finalizar o dia com alguma coisa do ABBA ou Impetigo.

Mais matérias de Durr Campos no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280