Matérias Mais Lidas

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemIron Maiden e o Rock in Rio: em detalhes, o que exatamente a banda pediu para o evento

imagemRob Halford compartilha a foto mais metal da semana; "O Rei e Eu"

imagemO clássico dos Paralamas do Sucesso que Lobão acusou de plágio

imagemPrika Amaral diz que fica feliz com o sucesso alcançado banda Crypta

imagemGordo diz que atualizou termos politicamente incorretos após puxão de orelha de filha

imagemFãs de Stranger Things do Tik Tok querem cancelar o Metallica

imagemDavid Ellefson diz que você conhece seus amigos quando a m*rda bate no ventilador

imagemA opinião de Marcelo Barbosa sobre cancelamento de Metallica e Pantera por racismo

imagemNova Fã que descobriu Metallica por Stranger Things quer cancelar banda e reúne provas

imagemGuitarrista do Skid Row diz que não fala com Sebastian Bach e não pensa em fazer pazes

imagemArtigo na Far Out Magazine aponta James Hetfield como pior letrista da história do metal

imagemFloor Jansen diz que achou que não fosse conseguir cantar nova música do Avantasia

imagemResenha - Max e Iggor Cavalera (Audio, São Paulo, 07/08/2022)

imagemAnthrax cancela mais um show que seria realizado no Texas


Stamp

Thiago Schiefer: promovendo arte livre em São Paulo

Resenha - Thiago Schiefer e Victor Camilo (Suonare Arte Musical, 05/10/2013)

Por Pedro Zambarda de Araújo
Em 20/10/13

Às 19h, as pessoas começaram a se reunir na escola Suonare Arte Musical para ver o primeiro show acústico de Thiago Schiefer, abrindo a turnê para promover o disco debut Prototype Freedom. Na abertura, Victor Camilo fez boas improvisações e covers com Felipe Graciano, além de tocar composições originais como Cavalo de Troia. O músico define sua melodia como "baião de raiz de um paulistano do século XXI". O que podíamos conferir em sua apresentação era um violão base discreto, mas encorpado, acompanhado por outro violão solista que promovia muito tempero do blues. Felipe recheou as criações de Victor com muito talento na apresentação.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Thiago Schiefer teve problemas de regulagem de som na Suonare, mas começou o show com bom humor e acompanhado por uma guitarra semi-acústica de Fábio Madureira. Seguindo as faixas de seus primeiro disco, Prototype Freedom, Thiago abriu com Frantic. Na segunda música, City Lights, ele conseguiu mostrar eficiência ao criar um arranjo no violão que conseguiu incorporar tanto os sons de sua guitarra elétrica original quanto os complementos de Hugo Mariutti (ex-SHAMAN, atual REMOVE SILENCE), na gravação original.

O público embalou de vez em Grand Stage, com refrões simples e força tanto em seu formato acústico quanto no peso elétrico. Apesar de alguns dos presentes não conhecerem seu trabalho, suas músicas funcionaram bem ao vivo, com letras simples que eram facilmente cantadas pelo ouvinte de primeira viagem.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Ao executar versões de músicas de outros roqueiros, Thiago Schiefer se valeu de suas experiências anteriores com teatro para dar uma dramaticidade depressiva ao Creep de Radiohead. De forma intencional, Thiago reduziu o volume da música na abertura e aumentou a explosão em seu final, cantando com a mesma força de seus golpes de palheta no violão. Foi uma apresentação contagiante para os fãs da bande de rock alternativo.

Para agradar os fãs de videogame, Thiago tocou uma versão acústica de Scars of Time, do jogo Chrono Cross, a continuação de Chrono Trigger. Nessa altura do show, ele começou a exibir, além de um voz que oscilava com facilidade, mantendo bons agudos, uma boa habilidade como músico instrumental.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

While My Guitar Gently Weeps, de George Harrison nos Beatles, puxou os fãs de rock clássico. Abandonando um pouco o formato acústico, Thiago Schiefer tocou guitarra elétrica em uma versão compacta de Confortably Numb, de Pink Floyd, dividindo a voz com Fábio Madureira.

Free, faixa de seu álbum Prototype Freedom, mostrou a habilidade de Thiago em criar fraseados grudentos. O show foi fechado com uma versão discreta de Show Must Go On, sem a genialidade de Freddie Mercury, mas dando seu recado como novo músico no cenário do rock nacional.

Thiago fará um show totalmente elétrico no Café Piu-Piu no dia 3 de novembro. Terá abertura de Manu Littiéry. Até lá, fica registrado que o músico fez uma apresentação autoral no Suonare Arte Musical, promovendo uma música brasileira nova, repleta de influências mas sem as amarras que muitas bandas de rock possuem atualmente. Thiago Schiefer promove um tipo de arte livre.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Setlist de Thiago Schiefer

1. Frantic
2. City Lights
3. Rays
4. Grand Stage
5. Creep
6. Trapped
7. REM
8. Scars of Time
9. Tale of Forecoming Lore
10. While my Guitar Gently Weeps
11. She Spoke
12. Comfortably Numb
13. Free
14. Show Must Go On

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Dream Theater 2022


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Van Halen: o constrangedor encontro de Eddie com o Nirvana

A importância da revista Playboy na vida de alguns rockstars


Sobre Pedro Zambarda de Araújo

Nascido em 1989. Jornalista formado pela Faculdade Cásper Líbero, em São Paulo, Pedro foi apresentado ao heavy metal através da banda Blind Guardian, em meados de 2004. Ouve e aprecia outros estilos do rock, como o punk, o indie e vertentes mais variadas. Gosta de assistir e cobrir shows.Toca muito mal guitarra, mas aprecia vários tipos de instrumentos musicais.

Mais matérias de Pedro Zambarda de Araújo.