Barão Vermelho: show épico no Rio de Janeiro

Resenha - Barão Vermelho (Fundição Progresso, Rio de Janeiro, 20/10/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Luiz Costa, Fonte: Culturall
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O BARAO VERMELHO se reuniu pra comemorar os 30 anos de carreira e do primeiro disco, "Barão Vermelho" (1982), e claro que o resultado não podia ser outro: os cariocas ganharam mais de duas horas de show com tudo aquilo que queriam ouvir! No repertório, 30 sons de todas as fases, incluindo resgates inesperados e alguns covers já gravados pela banda, o que funcionou muito bem. Pra completar, uma Fundição Progresso abarrotada de gente de todas as idades, incluindo uma molecada que nunca tinha visto esse monstro do rock nacional ao vivo. Nada estragaria aquela noite incrível, nem mesmo o som da casa, que as vezes dava uma "embolada", e a iluminação, que deixou o palco as escuras em "Pense e Dance", mas logo voltou ao normal. Foram apenas detalhes que pouco importavam para quem estava lá, afinal, estamos falando de rock 'n'roll!

Barão Vermelho: um show pra se jogar de cabeça em São PauloRock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os tempos

Quando chegamos, a banda de abertura Autoramas estava terminando sua apresentação, mas pelo que vimos, o público curtiu bastante, fora um ou outro ansioso para ver Frejat e cia. No intervalo, o DJ mandou um repertório recheado de grandes nomes do rock como Deep Purple, Beatles, White Stripes, AC/DC, Raul Seixas, Steppenwolf, entre outros, sempre com coro da galera. Até que as luzes se apagam e entra o Sr. Fundição, Perfeito Fortuna, para anunciar a atração principal, exatamente como no início dos anos 80, no Circo Voador.

Os integrantes sobem ao palco às 2h da manhã (já no horário de verão) e abrem com o tema desta turnê, "Por que a Gente é Assim" ("Mais uma dose, é claro que eu tô afim..."). A partir daí, só pedrada, uma atrás da outra e com pouca falação. Do primeiro álbum, as consagradas "Ponto Fraco", "Todo Amor que Houver Nessa Vida", "Bilhetinho Azul", a surpresa "Billy Negão", e "Down em Mim", esta já no bis, com uma versão matadora. Isso sem contar "Sorte e Azar", música que foi encontrada recentemente nos arquivos de estúdio e ganhou novo arranjo para ser lançada junto com a nova edição do disco. Quem participou em alguns momentos foi o baixista e membro da primeira formação, Dé Palmeira, que, assim como todos, estava visivelmente emocionado no palco.

Não faltou emoção também nas homenagens como em "Quando o Sol Bater na Janela do Seu Quarto" (Legião Urbana), "Tente Outra Vez" (Raul Seixas), e claro, "Codinome Beija-Flor" e "O Tempo Não Para", ambas da fase solo de Cazuza. Vale destacar também alguns resgates que emocionaram fãs antigos e deixaram a molecada um pouco perdida como "Menina Mimada" e "Carne de Pescoço". Outras que caíram muito bem e fizeram muita gente viajar no tempo foram "Política Voz", colada em "Tão Longe de Tudo", "Meus Bons Amigos", e as obrigatórias "O Poeta Está Vivo", "Bete Balanço", "Maior Abandonado", entre outras.

Na pausa antes do primeiro bis, com as luzes apagadas, toda a Fundição cantava em uníssono a letra de "Pro Dia Nascer Feliz", até que os caras voltam e Frejat comenta no microfone: "Assim vocês matam o velho". Mais um momento em que era impossível não perceber a tal da felicidade estampada nos dois lados. Segundo o setlist, "Codinome Beija-Flor" seria a última da noite, mas... Não deu! Os caras queriam tocar e quem estava lá não se importava com a hora. Por isso, o encerramento apoteótico acabou ficando com "Satisfaction", dos Stones, na versão que está registrada no "Barão Ao Vivo" (1989), com Frejat sem a guitarra, apenas cantando e passeando de um lado pro outro no melhor estilo Jagger. Era nítido que os Rolling Stones brasileiros ainda tinham gás pra mais duas horas de rock n'roll. Quem estava lá nunca vai esquecer e quem não conseguiu ingresso, pode ficar tranquilo, porque em breve o Rio de Janeiro ganha uma segunda dose.

Set List Barão Vermelho na Fundição Progresso - 20/10/2012

Por Que a Gente é Assim
Ponto Fraco
Pense e Dance
Cuidado
Menina Mimada
Billy Negão
Carne de Pescoço
Meus Bons Amigos
Política Voz / Tão Longe de Tudo
Por Você
O Poeta Está Vivo
Bilhetinho Azul
Todo Amor Que Houver Nessa Vida
Sorte e Azar
Pedra, Flor e Espinho
Vem Quente Que Eu Estou Fervendo
Bete Balanço / A Chave da Porta da Frente
Puro Êxtase
Quando o Sol Bater na Janela do Seu Quarto
Malandragem Dá Um Tempo
Declare Guerra
Maior Abandonado

1º Bis
Down em Mim
O Tempo Não Para
Tente Outra Vez
Pro Dia Nascer Feliz

2º Bis
Codinome Beija-Flor

3º Bis
(I Can't Get No) Satisfaction




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Barao Vermelho"


Barão Vermelho: um show pra se jogar de cabeça em São PauloBarão Vermelho: novo álbum é relevante?Barão Vermelho: banda lança novo disco, e ele é surpreendenteBarão Vermelho: banda divulga o álbum Viva, primeiro em 15 anosBarão Vermelho: jornalista revela nome de novo álbum da banda

BRock: Os 10 melhores álbuns dos anos 80BRock
Os 10 melhores álbuns dos anos 80

Barão Vermelho: Frejat comenta polêmica de letra com CazuzaBarão Vermelho
Frejat comenta polêmica de letra com Cazuza

Frejat: criticando a revista Veja por cobertura da doença de CazuzaFrejat
Criticando a revista Veja por cobertura da doença de Cazuza


Rock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposRock Progressivo
As 25 melhores músicas de todos os tempos

Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda

Manowar: o dia em que a banda arregou pro Twisted SisterManowar
O dia em que a banda arregou pro Twisted Sister

Rock e Metal: todo artista tem uma fase vergonhosaRock Progressivo: as 25 melhores músicas de todos os temposGuitarras e motos: as dez melhores músicas sobre motocicletas.Kiko Loureiro: canções que fizeram ele ser o músico que é hoje

Sobre André Luiz Costa

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.