Resenha - Enterro, Castifas, Pagan Throne (Underground Cultural, RJ, 23/12/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O espaço Underground Cultural é mais um point no RJ, inserido no bairro da Lapa, e que tem aberto suas portas a eventos de Metal há algum tempo. E na noite infernalmente quente que antecede a véspera de Natal (pois estamos em pleno Verão carioca), o público carioca foi presenteado com mais um bom evento, sendo esta a noite do show de lançamento do CD 'The Bell of Leprous', da banda ENTERRO, e que ainda teve como convidadas as bandas CASTIFAS e PAGAN THRONE.

Sasha Grey: sua real paixão pela música de atitude e sua coleção de vinilAstros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?

A primeira foi a banda de Viking/Pagan Black Metal carioca PAGAN THRONE, que apresentou sua nova formação, e desfilou várias músicas de seus lançamentos, especialmente do CD mais recente, 'The Way to the Northern Gates'. Com entrosamento a contento, músicas fortes e bem trabalhadas, necessitando apenas de um pouco mais de movimentação no palco, em que pese o fato do palco do point ser um pouco reduzido e o som ter ficado um pouco embolado durante seu set. Mas sua música é forte, cheia de energia, melodiosa e agressiva nas medidas certas, logo, têm futuro. E apesar do nível musical dos integrantes da banda ser bem homogêneo, se destacam o vocal de Rodrigo Garm, que sabe variar bastante em seus timbres, e o baterista Alexandre Daemortiis, com boa pegada, seguro, mas sabendo variar os andamentos. Esperamos mais shows da banda, que com certeza, promete bastante.

Após algum tempo para poder tomar uma cerveja e aproveitar o churrasco oferecido pela casa (de muito bom gosto, por sinal), foi a vez dos veteranos carioca CASTIFAS subirem ao palco. Apesar do intenso calor e do som ter embolado um pouquinho durante sua apresentação (pois a guitarra de Deathcult sumia vez por outra), o quarteto adepto do Black Metal 'Made in Norway' dos anos 90, ou seja, sujo, soturno e não tão veloz assim, fez uma apresentação muito boa e segura, mostrando que a formação atual está bem entrosada. O repertório da banda tem músicas de seu CD 'Journey to the Darkness Path', e mais uma versão infernal para 'Deathcrush', do MAYHEM, que levou o público ao delírio. Destaque para o vocalista Hoertel, que sabe não só cantar bem, mas consegue ter domínio do público.

Fechando a noite, veio o quinteto ENTERRO, com seu Black Metal mais soturno, mórbido, ora rápido, ora mais cadenciado e opressivo, numa linha muito diferente das tendências atuais. A banda subiu ao palco e se mostrou à vontade no palco, embora o calor fosse intenso, desfilando um repertório baseado em músicas de seus dois CDs como 'Nothing Divine', 'Earth and Worms' e 'Nunc Scio Tenebris Lux', e mais alguns covers muito bem sacados para 'Bleached Bones' do MARDUK, e 'Freezing Moon', do MAYHEM, onde o vocalista Nihil (que subiu ao palco com barba e chapéu de Papai Noel, embora ficasse claro que era uma ironia) mostrou porque ele é um dos nomes fortes da cena Black Metal do Brasil, pois além do vocal diferenciado, tem boa postura e tem o público em suas mãos, logo, não seria nenhuma heresia dizer que o mesmo segue uma performance de palco semelhante a de Attila Csihar.

Mais uma boa noite, e espero que o espaço continue abrindo suas portas ao Metal, bem como a continuar com o excelente churrasco.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Enterro"Todas as matérias sobre "Castifas"Todas as matérias sobre "Pagan Throne"


Sasha Grey: sua real paixão pela música de atitude e sua coleção de vinilSasha Grey
Sua real paixão pela música de atitude e sua coleção de vinil

Astros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?Astros mortos
Como estariam alguns se ainda estivessem vivos?

David Bowie: a última foto pública e a última foto privadaDavid Bowie
A última foto pública e a última foto privada

David Coverdale e a palavra "Love" - Parte IHeavy Metal: o Diabo e personagens bíblicas nas capasVinnie Paul: herança fica com amigos, equipe e namoradas dele e de DimebagMetallica: até a banda caiu na febre do Pokémon?

Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.