Matérias Mais Lidas

imagemRegis Tadeu se garante e não retira uma palavra do que disse sobre Di'Anno e Iron Maiden

imagemBruno Valverde diz que preconceito contra ele veio mais da igreja do que dos metaleiros

imagemPaul Di'Anno detona Regis Tadeu após vídeo em que critica seu encontro com Iron Maiden

imagem"A ingenuidade do fã do Iron Maiden é um negócio que beira o patético", diz Regis Tadeu

imagemGeezer Butler, Heavy Metal e a clássica canção do Black Sabbath inspirada por Jesus

imagemFãs protestam contra Claustrofobia após banda fazer versão de música do Pantera

imagemStjepan Juras retruca comentário de Regis Tadeu sobre reencontro de Di'Anno e Harris

imagemA dura crítica de Angus Young a Led Zeppelin, Jeff Beck e Rolling Stones em 1977

imagemComo foram os últimos meses de Renato Russo e a causa da sua morte

imagemAC/DC: Angus Young recorda como fazia para ouvir rock em seus tempos de garoto

imagemHelloween divulga vídeo de "Best Time", com participação de Alissa White-Gluz

imagemIron Maiden: Bruce fala sobre groupies; "parei de transar com elas quando me apaixonei"

imagemComo era a problemática relação do Angra no "Aurora Consurgens", segundo produtor

imagemIggor Cavalera manda ver em "Dead Embryonic Cells" ao vivo; confira drumcam

imagemTobias Forge, do Ghost, diz que ABBA deveria receber um Prêmio Nobel


Stamp

Circle II Circle: Cerveja, disposição e metal de qualidade

Resenha - Circle II Circle (Sebastian Bar, Campinas, 11/02/2011)

Por Luciano Correa
Em 17/02/11

A noite de sexta-feira foi quente na cidade e nem a chuva que caiu no fim da tarde conseguiu amenizar a alta temperatura. A banda norte-americana CIRCLE II CIRCLE, porém, não se importou com isso e combateu o "incêndio" que o calor causou com muita cerveja, energia, disposição e heavy metal de qualidade. ZAK STEVENS brindou os fãs com muita energia, carisma e uma grata surpresa. Em sua segunda passagem por Campinas, o ex-frontman do SAVATAGE veio acompanhado de Paul "Mitch" Stewart (baixo), Rollie Feldman (guitarra) e Jhonny Osborne (bateria) e se mostrou muito disposto e inspirado.

O local escolhido para o show foi o Sebastian Bar. Com pouco mais de 1 ano de existência, o bar tem se consolidado como palco para muitos shows, inclusive internacionais. O empenho dos proprietários e funcionários do bar merece destaque, pois o bom atendimento e a organização faz com que o público se sinta respeitado e bem tratado.

A abertura do show ficou por conta da banda de heavy metal LETHAL FEAR que já possui um albúm e um EP lançado. Com pouco mais de trinta minutos de show e um set list composto por 6 músicas, a banda mostrou uma pegada bem poderosa em suas composições, cumprindo seu papel com sobra e preparando a platéia para a principal atração da noite.

Passava da meia-noite quando Zak e seus companheiros chegaram no local. A banda passou pelos fãs e foi direto para o camarim. Instantes depois, Mitch, Rollie e Jhonny subiram ao palco para fazerem a introdução, logo seguidos por Zak e deram inicio a primeira apresentação da turnê brasileira de 2011. A agitada música "Consequence of Power" (do último álbum lançado e de mesmo nome) foi responsável pela abertura do show seguida da faixa bonus "Symptons of Fate" e da marcante "Take Back Yesterday" (ambas do Consequence of Power".

Após a sequência inicial e para delírio de todos os "órfãos" do Savatage presentes, a banda tocou a magnífica "Edge of Thorns" que incendiou a casa literalmente. O público cantou o clássico com muita energia e emoção, mostrando todo o respeito para com a lendária banda de JON OLIVA. "Out of Nowhere" (mais uma do "Consequence of Power") com seu refrão marcante e a remanescente da última turnê no pais, "Soul Breaker" (do disco "Delusions Of Grandeur" de 2008) deram sequência no show que se tornava cada vez melhor.

Ao gritos de "do caralho..." - palavreado que Zak aprendeu em sua última passagem pelo Brasil e que ele adotou como forma de demonstrar o quanto o fãs tupiniquins são importantes para o Circle II Circle, a banda executou mais um clássico do Savatage e desta vez foi a poderosa "Taunting Cobras" (do disco "Handful of Pain"). Naturalmente o publico retribuiu novamente pela excução de mais uma excelente música, cantando e agitando o tempo todo. Mas a agitação não veio só da platéia, no palco Mitch se mexeu o tempo todo, fazendo os backing vocals e interagindo com a galera. Rollie não ficou atrás e demonstrou estar encantado com a energia dos presentes, assim como Jhonny, que pareceu cada vez mais sentir a empolgação da platéia, demonstrando isso ao tocar com mais intensidade. Zak Stevens em paralelo a isso, demonstrou porque é um frontman tão querido, conversou com o público, agradeceu pela presença, gritou "do caralho..." várias vezes, e tudo isso, regado a muita cerveja gelada, pois o calor dentro do local estava bem intenso.

Em determinado momento Paul demonstrou estar com muito calor, mas isso não impediu que ele e Zak de fizessem um brinde aos fãs com um gole de tequila. Continuando o set-list, vieram "Anathema" e "Episodes of Mania" (ambas do "Consequence of Power" - que por sinal é um excelente álbum - com uma pegada de heavy metal, mas que mantém a característica principal da banda, o progressivo) e a bela canção "Watching in Silence" (do primeiro registro da banda "Watching in Silence").

A sequência final fez parte do pacote de surpresas anunciado por Zak – que foi divulgado aqui no Whiplash! há poucos dias - para os shows do Brasil. Nada menos que 4 músicas do Savatage foram executadas para saciar de vez todos os fãs da banda: "Conversation Piece" com sua forte batida, "He Carves His Stone" que tem a voz marcante e "Lights Out" com sua furiosa guitarra (todas do excelente álbum "Edge of Thorns") e a belissíma "Anymore" (do disco de 1996, "Wake of Magellan") que deu o tom de despedida ao show.

A banda se despediu do público com a já tradicional reverência aos fãs, distribuiu palhetas e baquetas e deixou o palco. Seria o fim daquela noite majestosa? Ainda não. Jhonny retornou ao palco munido de um novo par de baquetas e fez um solo majestoso, demostrando muita técnica. Já no fim do solo, Zak retornou ao palco, e com um par de baquetas na mão, foi "ajudar" Jhonny. Mas de repente, Zak assumiu total controle da bateria, e nesse meio tempo, Mitch e Rollie retornaram ao palco e com essa formação, tocaram a clássica "T.N.T" (do AC/DC) com o Mitch nos vocais. Essa sim foi uma despedida digna do Circle II Circle, confirmando que a banda estava em uma noite inspirada.

Após o show, a banda atendeu a todos os fãs com muita paciência e consideração. Autografaram tudo que era pedido: encartes, ingressos, set-list e até mesmo um pequeno pedaço de papel. Tudo para demonstrar o carinho e agradecimento ao público. O Circle II Circle, além de ter feito um excelente show, fechou a noite com chave de ouro.

Set List:

1- Consequences of Power
2- Symptons of Fate
3- Take Back Yesterday
4- Edge of Thorns (Savatage Cover)
5- Out of Nowhere
6- Soul Breaker
7- Tauting Cobras (Savatage Cover)
8- Anathema
9- Episodes of Mania
10- Watching in Silence
11- Conversation Piece (Savatage Cover);
12- He Carves His Stone (Savatage Cover);
13- Lights Out (Savatage Cover);
14- Anymore (Savatage Cover);

Encore:
15- T.N.T. (AC/DC Cover)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Bill Hudson: BR bangers são persecutivos e têm baixa autoestima



Sobre Luciano Correa

Colaborador do Whiplash e apreciador de várias vertentes do Rock/Metal. Começou cedo ouvindo Queen, Nazareth e RPM no velho toca discos dos pais. Escutou muito Guns N' Roses, Bon Jovi, Scorpions, Metallica, Iron Maiden e Sepultura até descobrir Helloween, Blind Guardian e Gamma Ray. Ainda nesse meio tempo começou a ouvir Ramones, Misfits, Offspring, Angra, Rhapsody, Hammerfall, Stratovarius, Manowar, Motörhead, Pantera e Slayer para fechar a década de 90. No começo dos anos 2000, incluiu em sua lista bandas como Nightwish, Sonata Arctica, Within Temptation, System Of A Down, Rammstein, Dimmu Borgir, Cradle of Filth e atualmente - últimos 5 anos, tem escutado muito Children Of Bodom, Katatonia, Alestorm, Eluveitie, entre tantas outras. Rock/Metal é barulho para alguns e estilo de vida para tantos outros!

Mais matérias de Luciano Correa.