Glenn Hughes: show incrível e empolgante em São Paulo

Resenha - Glenn Hughes (Carioca Club, São Paulo, 16/12/2009)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mauricio Zotarelli
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.






Numa quarta-feira chuvosa em São Paulo centenas de fãs se mostraram presentes para curtir uma noite cheia de emoção com nada menos que 'The Voice Of Rock', o incansável e carísmático GLENN HUGHES. Quem estava na fila antes da abertura da casa para os espectadores, provalvelmente pensou que o público seria muito pequeno, visto que a mesma não se mostrava tão extensa. Engano. A casa abriu as portas aproximadamente às 20h, e a partir daí a maioria das pessoas foi chegando, sendo que ás 21h, poucos minutos antes da banda de abertura, já era grande a dificuldade de transitar pela pista.

Fotos: Nara Yoko

Eis que sobem ao palco Andria Busic (baixo, voz), Sandro Haick (guitarra), Marinho e Netinho (bateria) e Mario Testoni Jr. (teclado). Dinossauros do rock progressivo nacional, o CASA DAS MÁQUINAS abre a noite com muita competência e energia. Nessa hora era possível perceber muita gente alheia ao som da banda, mas também havia aqueles que cantavam todas as músicas junto. O interessante foi poder mostrar ao pessoal da casa o som bacana e pouco conhecido que o grupo tocava, cheio de técnica, viagem e emoção.

Aproximadamente uma hora foi o tempo em que o 'Casa' permaneceu no palco. Tocaram "Essa é a Vida", "Londres", "Dr. Medo", "Astralização", "Stress", "Casa de Rock", "Lar das Maravilhas" e "Vou Morar no Ar".

Após a abertura, a equipe da casa desmontou rapidamente o equipamento. A demora se deu na regulagem do som para a banda principal, o que acarretou numa certa impaciência por parte dos fãs que esperavam ansiosos pela atração principal. Com uma entrada mais pomposa, com direito a abertura de cortinas, finalmente Matt Goom (bateria), Anders Olinder (teclado), Søren Andersen (guitarra) e GLENN HUGHES (voz, baixo) dão as caras no palco e já chegam arrebentando da melhor maneira com "Stormbringer", deixando o público com água na boca quanto ao resto do setlist, o qual se seguiu com "Might Just Take Your Life" e a inesperada "Sail Away", ambas do clássico "Burn" de 1974. Após um breve solo do guitarrista dinamarquês, ouve-se as primeiras notas da fantástica "Mistreated", fazendo com que todos cantassem mais alto.

Com um hiato na levada 'Purple', GH manda a primeira do seu repertório solo, a energética e divertida "Crave", do seu último trabalho de estúdio.

Era possível perceber o entusiasmo de sua banda de apoio, tanto Matt Groom quanto Søren Andersen eram só sorrisos, visivelmente impressionados com a quantidade e a qualidade do público do Carioca Club e mostravam-se incrivelmente carismáticos e à vontade no palco. Já não se pode dizer isso do tecladista Anders Olinder que, concentrado até demais, parecia estar num concerto de orquestra, não num show de rock, tamanha era a discrição e falta de entusiasmo com que apresentava, embora tenha feito sua parte tecnicamente falando. A lenda GLENN HUGHES, sempre carismático, esteve por todo o espetáculo mostrando enorme vitalidade e animação segurando seu contrabaixo e fazendo uma apresentação memorável, para ninguém botar defeito. Hora ou outra exagerando na exibição de sua voz fantástica, tão potente quanto outrora, mas nada que comprometesse o todo.

Em seguida foi a vez de "Gettin' Tigher" to debut com Tommy Bolin nas guitarras, "Come Taste The Band", "Don't Let Me Bleed", "Holy Man" (a surpresa da noite, que deixou o público em êxtase), "Steppin' On" e "You Keep On Movin'", que fechou a primeira parte. O bis veio com Soul Mover e, para fechar a noite com chave de ouro e sorriso nos lábios, o petardo "Burn", consumindo aquela energia que restava às vozes que acompanhavam The Voice.

Incrível e empolgante são os adjetivos mais adequados para descrever a noite de 16 de dezembro de 2009. Azar de quem não esteve lá, e sorte de quem pôde presenciar um artista consagrado e com tamanha bagagem como o senhor GLENN HUGHES, desfilando energia e técnica vocal como poucos.

Mais fotos no link abaixo:
http://picasaweb.google.com/narayoko/GlennHughes


Outras resenhas de Glenn Hughes (Carioca Club, São Paulo, 16/12/2009)

Glenn Hughes: não é por acaso que ele gravou "I'm The Man"



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Glenn Hughes"


Glenn Hughes: produtora no Brasil se manifesta sobre shows canceladosGlenn Hughes
Produtora no Brasil se manifesta sobre shows cancelados

The Dead Daisies: Glenn Hughes substitui John Corabi e Marco Mendoza na bandaDead Daisies: Kazagastão mostra novo single em primeira mão

Deep Purple: queriam Glenn Hughes na banda antes de Roger Glover sairDeep Purple
Queriam Glenn Hughes na banda antes de Roger Glover sair

Soren Andersen: guitarrista lança "Bird Feeder", com Glenn Hughes e Chad SmithEm 21/08/1951: nascia o genial baixista e vocalista Glen Hughes

Glenn Hughes: produtora de Porto Alegre se pronuncia sobre show canceladoGlenn Hughes
Produtora de Porto Alegre se pronuncia sobre show cancelado

Glenn Hughes: produtora do show no Rio se manifesta sobre show canceladoGlenn Hughes
Produtora do show no Rio se manifesta sobre show cancelado

Glenn Hughes: turnê inteira pelo Brasil, com 9 shows, é canceladaGlenn Hughes
Turnê inteira pelo Brasil, com 9 shows, é cancelada

Slash: ensinando namorada a tocar Smoke on the Water, do Deep PurpleSlash
Ensinando namorada a tocar "Smoke on the Water", do Deep Purple

Glenn Hughes: Aretha Franklin foi a 1ª mulher a me arrepiar ao cantarGlenn Hughes
"Aretha Franklin foi a 1ª mulher a me arrepiar ao cantar"

Glenn Hughes: ele ama o Brasil pelas pessoas, comida e futebolGlenn Hughes
Ele ama o Brasil pelas pessoas, comida e futebol

Glenn Hughes: Foi estranho estar no Black Sabbath, diz músicoGlenn Hughes
Foi "estranho" estar no Black Sabbath, diz músico


Metallica: foto rara de formação original do grupoMetallica
Foto rara de formação original do grupo

Overkill: mandando recado ao Avenged SevenfoldOverkill
Mandando recado ao Avenged Sevenfold

Metallica: Lars é um bom baterista? Mike Portnoy explicaMetallica
Lars é um bom baterista? Mike Portnoy explica

Tragédias: 10 das piores ocorridas em shows de Rock e MetalRestart: Trecho de "Enter Sandman" do Metallica no VMB 2010Mötley Crüe: cocaína, pilhas de Ferraris e outros excessosOzzy Osbourne: dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva

Sobre Mauricio Zotarelli

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.