Marcelo Nova: Review do show no Panela Rock, em Fortaleza

Resenha - Marcelo Nova (Panela Rock, Fortaleza, 177/10/2008)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Taís Bleicher
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

O baiano Marcelo Nova se apresentou em Fortaleza, no festival "Panela Rock". A segunda edição do festival aconteceu nos dias 17 e 18 de outubro e comemorou um ano do estúdio e selo cearense "Panela Records".

Marcelo Nova: "Através de Raul eu tive noção do que fazer na vida"Musical Box: Os 20 discos seminais do Hard Rock

Com a proposta inicial de ser um espaço para a música independente, neste ano se apresentaram também bandas covers como Salt (cover de Raul Seixas) e Sabattage (cover de Black Sabbath). Somaram-se bandas locais (Joseph K?, Renegados, Carango Abacaxi, Lavage e Inflame), a carioca Cabaret e a paulistana Made In Brazil.

A atração principal (?) do primeiro dia era o Marcelo Nova. No cartaz de divulgação da festa, a foto do cantor e abaixo a legenda: "O eterno parceiro de Raulzito". Necessário. Não fosse isso, provavelmente muitos dos jovens que olhariam aqueles cartazes diriam: quem mesmo?

Um público de tatuagens e blusas pretas ocupava o local. Em algumas blusas, lia-se "Panela Rock - O maior evento do rock'n'roll do Nordeste". Cá pra nós, o maior evento de rock'n'roll do Nordeste é bem pequenininho.

O tradicional grito de "toca Raul!!!" começou a ser enunciado antes mesmo do show do Marcelo começar. Na platéia, Rauls tatuados nos braços. Depois, outro grito tradicional, esse nos shows da Camisa de Vênus: "bota pra fuder!!!".

No show, Marcelo cantou músicas como "Coração Satânico", "Hoje", "Carpinteiro do Universo", "Bete morreu", "Só o fim", "Quando eu morri", "O Adventista", "My Way", "Cocaína", "Simca Cambord", "Não fosse o Cabral", "Pastor João e a Igreja Invisível" e "Eu não matei Joana D'arc". Não cantou a romântica "Sílvia", dos singelos versos "Todo homem que sabe o que quer / Pega o pau pra bater na mulher", mesmo com os insistentes pedidos da platéia.

De fato, era um bom rock'n'roll. Mas o que Marcelo Nova não consegue entender é que não é necessário ser uma metralhadora cheia de mágoas para ser roqueiro. Então se divertia com frases como "Eu não entendo de rock, se quer entender de rock, pergunte ao Jota Quest" e deferindo ataques contra NX Zero, Lulu Santos, Detonautas. Quem sabe porque são exatamente essas pessoas que ocupam o espaço que ele não ocupa. Continuava, esbravejando sobre punhetas e punheteiros, enquanto seu diminuto público ia ao delírio.

Nosso rock nacional tem cada criatura. Deve ser mesmo difícil ver os colegas fazendo sucesso e lotando shows, enquanto se cai no esquecimento. Mais análise e Marcelo Nova deixaria de ser Marcelo Nova.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Marcelo Nova"


Marcelo Nova: "Através de Raul eu tive noção do que fazer na vida"Calanca: Eric Burdon, Marcelo Nova e o passaporte para a Casa BrancaMarcelo Nova: analisando sua carreira em conversa com Gastão Moreira

Marcelo Nova: Na música brasileira existem belas bundas!Marcelo Nova
"Na música brasileira existem belas bundas!"


Musical Box: Os 20 discos seminais do Hard RockMusical Box
Os 20 discos seminais do Hard Rock

Cantadas Headbanger: Estou Priest a te dar um beijo!Cantadas Headbanger
"Estou Priest a te dar um beijo!"

Os Simpsons: bandas de Rock na versão amarelaOs Simpsons
Bandas de Rock na versão amarela

Filhas de Rockstars: conheça algumas das mais bonitasMulheres e guitarras: as mais importantes segundo a GibsonRobert Plant: falando brevemente sobre a explosão do grungeW. Axl Rose: "ele é tudo que falta no rock de hoje", diz Fortus

Sobre Taís Bleicher

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Taís Bleicher no Whiplash.Net.