Glenn Hughes: A primeira vez da lendária Voz do Rock no Rio de Janeiro

Resenha - Glenn Hughes (Circo Voador, Rio de Janeiro, 28/10/2007)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.




Era a terceira vez do lendário ex-baixista/vocalista do Deep Purple (com passagens ainda por outras bandas clássicas como o Trapeze e o Black Sabbath) no Brasil, mas a primeira no Rio de Janeiro. O local escolhido não poderia ser melhor: o Circo Voador, reduto carioca do rock 'n'roll desde sua fundação. A divulgação não deixava dúvidas, a "Voz do Rock" iria saciar os fãs com os maiores clássicos da sua ex-banda.

Fotos: Antônio César

Um público razoável para uma noite de domingo compareceu e conseguiu encher a pista da parte interna da lona do circo. O cenário estava armado e Glenn Hughes sabia o que todos queriam: "Stormbringer", clássico do álbum homônimo lançado em 1974, abriu o espetáculo levantando todos os presentes. "Might Just Take Your Life" veio na sequência e manteve o clima de empolgação da platéia.

Se músicas da sua carreira solo como "Land Of The Livin' (Wonderland)" - do disco "Soulmover" (2005) não eram tão conhecidas do público, o que se via no palco era uma banda inspirada (J.J. Marsh na guitarra, Ed Roth no teclado e Stephen Stevens na bateria) com Glenn Hughes em ótima forma, parecendo estar cantando tão bem - ou melhor - que 30 anos atrás e mostrando estar muito feliz por tocar no Brasil (e mais ainda no Rio de Janeiro). Não foram poucas as vezes que ele foi ao microfone dizer o quanto gostava da cidade e como a noite estava sendo especial.

Dos último disco de estúdio - "Music For The Divine" (2006) - "Steppin'On", "You Got Soul" foram bem aceitas pela platéia, que mesmo assim queria mais clássicos do Deep Purple... "Gettin'Tighter" e "You Keep On Moving" do disco "Come Taste The Band" (da Mark IV, com Tommy Bolin nas guitarras) foram uma grata surpresa, dedicadas especialmente ao guitarrista que morreu aos 25 anos. Além do repertório variado, não foram esquecidas as jams, que alongaram várias músicas, com solos e grooves para ninguém ficar parado.

O bis veio com "Soulmover" e a sempre esperada "Burn". Se alguém ainda tinha conseguido se conter, nessa hora o Circo Voador foi abaixo, para delírio dos que esperavam ansiosos por essa música. Uma noite de gala para os fãs de um dos vocalistas mais versáteis do rock, que mostrou não só apenas que ainda tem gogó, mas que ainda ama o que faz e que não pretende parar tão cedo. O que é o mais importante.


Outras resenhas de Glenn Hughes (Circo Voador, Rio de Janeiro, 28/10/2007)

Glenn Hughes: No Rio de Janeiro, a competência e solidez de sempre



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Glenn Hughes"


Glenn Hughes: produtora no Brasil se manifesta sobre shows canceladosGlenn Hughes
Produtora no Brasil se manifesta sobre shows cancelados

The Dead Daisies: Glenn Hughes substitui John Corabi e Marco Mendoza na bandaDead Daisies: Kazagastão mostra novo single em primeira mão

Deep Purple: queriam Glenn Hughes na banda antes de Roger Glover sairDeep Purple
Queriam Glenn Hughes na banda antes de Roger Glover sair

Soren Andersen: guitarrista lança "Bird Feeder", com Glenn Hughes e Chad SmithEm 21/08/1951: nascia o genial baixista e vocalista Glen Hughes

Glenn Hughes: produtora de Porto Alegre se pronuncia sobre show canceladoGlenn Hughes
Produtora de Porto Alegre se pronuncia sobre show cancelado

Glenn Hughes: produtora do show no Rio se manifesta sobre show canceladoGlenn Hughes
Produtora do show no Rio se manifesta sobre show cancelado

Glenn Hughes: turnê inteira pelo Brasil, com 9 shows, é canceladaGlenn Hughes
Turnê inteira pelo Brasil, com 9 shows, é cancelada

Slash: ensinando namorada a tocar Smoke on the Water, do Deep PurpleSlash
Ensinando namorada a tocar "Smoke on the Water", do Deep Purple

Glen Hughes: sexo, drogas e Rock'n'Roll no PurpleGlen Hughes
Sexo, drogas e Rock'n'Roll no Purple

2016: Os 10 melhores discos de rock/metal do ano, por Igor Miranda2016
Os 10 melhores discos de rock/metal do ano, por Igor Miranda

Slash: ensinando namorada a tocar Smoke on the Water, do Deep PurpleSlash
Ensinando namorada a tocar "Smoke on the Water", do Deep Purple


Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

IGN Music: os álbuns de Metal mais influentes segundo o siteIGN Music
Os álbuns de Metal mais influentes segundo o site

VH1: os 100 melhores álbuns de rock segundo a emissoraVH1
Os 100 melhores álbuns de rock segundo a emissora

Metallica: Conheça a lista de exigências do camarim da bandaSeparados no nascimento: Steven Tyler e Márcia GoldsmichRegis Tadeu: a experiência única de ouvir os álbuns do RammsteinKim Kardashian: usando camiseta do Metallica de dois mil dólares?

Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.