Resenha - Children Of Bodom (Scala, Rio de Janeiro, 10/08/2004)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

A segunda passagem dos finlandeses do Children of Bodom pelo Brasil veio em boa hora. Num ano que está sendo bem abastecido por shows, a turnê da banda, divulgando seu mais recente cd “Hate Crew Deathroll”, é um fato a ser comemorado, pois desta feita a mesma foi bem mais abrangente que a anterior, que teve menor número de shows e menor divulgação. Esta não. Os shows foram anunciados com boa antecedência e bem divulgados, o que não justifica a pouca quantidade de fãs presentes na quarta-feira do dia 10 de agosto no Scala. Nem o preço podia ser considerado salgado, visto que o ingresso vinha sendo vendido em valor promocional até no dia do evento. Mas infelizmente, nem tal fato colaborou e menos de 900 pessoas compareceram ao Scala (que depois de um hiato de mais de 4 anos voltava a abrigar um show de metal) para conferir o poder de fogo de Alex Laiho e cia.

4239 acessosFinlândia: as dez melhores bandas de Heavy Metal do país5000 acessosFotos de Infância: Marilyn Manson

Perto das 22:30 (com cerca de 45 minutos de atraso), as luzes se apagam e uma introdução no estilo “Três Patetas” (me corrijam se eu estiver errado, mas foi o que me pareceu) começa a soar na casa, com a banda entrando e emendando de cara “Hate Me!”, “Chockenhold (Chocked’n’Loaded)” e “Hatebreeder”. A galera agitava alucinadamente e Alex e seus comparsas mostravam um entrosamento magnífico. Os únicos problemas ficavam por conta do som (emboladíssimo e confuso) e pela performance da banda, que parecia apenas estar “suando a camisa” em mais um dia de trabalho.

Uma pausa para Alex se comunicar com a platéia (nada além do tradicional “How the F* are you doing?”) e emendar “Silent Night, Bodom Night” e “Bodom After Midnight”. Uma curiosidade é que um dia antes Alex havia ficado famoso pelas suas cusparadas no show de São Paulo, e neste ele parecia mais contido, cuspindo para o alto e não em direção a platéia, que alternava momentos de total agitação e momentos de pura observação.

“Sixpinder”, “Angels Don’t Kill” e a excelente “Needled 24/7” ajudaram a esquentar o clima no Scala, cuja acústica provou-se totalmente inadequada para um show de metal extremo. Mais algumas intervenções de Alex, inclusive uma animada “luta” entre ele e o tecladista Janne Wirman (aonde ambos realmente pareciam estar se divertindo, com Janne brincando com “Eagleheart” do Stratovarius) e “Deadnight Warrior” é tocada, seguida por “Towards Dead End” e um desnecessário solo de bateria, fraco e inútil.

Novamente cito a falta de entusiasmo por parte da banda. Toda a agitação soava “sem sal” e isso era perceptível a todos. Embora o peso do Bodom seja assustador, vide “Bodom Beach Terror”, “Kissing the Shadows” e “Everytime I Die”, não havia aquela energia entre público e banda. O show, que teve exatos 75 minutos, foi encerrado com “Downfall”. De nada adiantou trazer o novo guit\arrista, Roope Latvala, já que a maioria dos solos são feitos por Alex, que realmente é um excelente guitarrista. Roope fica em segundo plano, enquanto Alex coloca-se no centro do palco, sempre com uma cara de mal-encarado, tentando desfazer sua pose de barbie do metal.

Podem pensar que o show foi ruim... mas não foi. Ficou apenas a sensação de que o Bodom estava ali apenas para cumprir uma data... se fosse por isso seria melhor ter ficado em casa. Mas valeu... afinal é mais um show de metal pesado e muito bem tocado, e isso já vale muito.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

FinlândiaFinlândia
As dez melhores bandas de Heavy Metal do país

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Children Of Bodom"

Lado femininoLado feminino
Astros do rock que se vestiram de mulher

Children Of BodomChildren Of Bodom
Alexi Laiho comenta a agressividade do Slipknot

Mascotes do MetalMascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Children Of Bodom"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Marilyn Manson muito antes da fama

SlipknotSlipknot
Veja a evolução das máscaras de cada integrante da estreia aos dias atuais

Em 07/07/1990Em 07/07/1990
Morre Cazuza, por complicações decorrentes da AIDS

5000 acessosPink Floyd: as brincadeiras e enigmas nas capas dos álbuns5000 acessosMarilyn Manson: 7 coisas que você não sabia sobre ele5000 acessosMegadeth: as pérolas mais polêmicas ditas por Mustaine5000 acessosQuem ouve Heavy Metal ouve apenas Heavy Metal?5000 acessosSexta-feira 13: treze rockstars azarados5000 acessosOzzy Osbourne: "gostaria de ser levado a sério"

Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online