Classic Rock: Felizmente casa lotada não é fator para um bom show

Resenha - Voices Of Classic Rock (Credicard Hall, São Paulo, 03/11/2001)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Antonio Carlos Castro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Fotos: Fernanda Zorzetto


Chegando ao Credicard Hall, uma dúvida pairava no ar: haverá show aqui hoje? Mais uma vez a produção pisava feio na bola ao marcar a apresentação para o meio do feriado. Mas, como casa lotada não é fator essencial para um bom show, continuamos com uma enorme expectativa. Estaríamos, dentro de alguns momentos, diante de seis grandes vocalistas dividindo o mesmo palco! Fato raro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


A espera foi curta. As 22h15min as luzes se apagam e o brilho agora era de total responsabilidade de Alex Ligertwood, Fergie Frederiksen, Glenn Hughes, Jimi Jamison, Joe Lynn Turner, Larry Hoppen e Peter Rivera. E é Glenn Hughes, o Voice of Rock e idealizador do projeto, quem vem dar as boas vindas e com direito a "tudo bem?" para o público. Foi assim que começou, os seis no palco e muita energia. Estávamos todos convocados para cantar com eles pelo resto da noite.


Neste primeiro bloco, cada vocalista cantou um sucesso da carreira. Desde o início ficou clara a satisfação de cada um deles em estarem reunidos. Entre os destaques dessa parte do show estão o maior sucesso de Santana nos anos de 1980, "Winning", na voz de Alex Ligertwood; Peter Rivera assumindo a batera e o vocal em "Get ready"; "Hush", primeiro sucesso do Deep Purple, comandada por Joe Lynn Turner, e outra obra-prima da banda inglesa, Stormbringer, com Glenn Hughes inspirado e levantando parte da platéia. Estava terminada a primeira parte do show. As luzes se acenderam e veio um curto intervalo.


Larry Hoppen é quem abre o segundo bloco com o hit "Dance with Me". Esbanjando talento, Larry mostrou ser o mais eclético dos músicos. Além de cantar não abriu mão de tocar violão, guitarra e teclado. Na seqüência, uma aula de vocal com Alex Ligertwood que, insatisfeito com sucessos como "Black Magic Woman", emendou um empolgante duelo entre sua voz e a guitarra de Larry Hoppen. A platéia, ainda tímida, começava a se soltar.

Fergie Frederiksen, sem perder o pique, traz dois grandes sucessos do Toto, "Africa" e "Rosana". Peter Rivera entende o recado e solta "I just want to celebrate". E Jimi Jamison completa com a belíssima "The search is over".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Chegava a hora de mais Purple! Joe e Glenn disparam "My woman from Tokyo". E vendo que ninguém mais parava quieto nas cadeiras, Joe chama todos para frente do palco. "Burn" e "Highway Star" incendeiam de vez o local para delírio dos fãs.

E a sucessão de hits seguiu até o final em que tivemos o maior clássico do Survivor, "Eye of the Tiger" e todos juntos para encerrar com "Smoke on the water". O show foi realmente um sucesso (atrás do outro).

Enfim, para a rouca platéia, sobrou uma única questão: Voices of Classic rock ou Rocks of Classic Voices?

Mais fotos




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Glenn Hughes"


Glenn Hughes: Foi estranho estar no Black Sabbath, diz músicoGlenn Hughes
Foi "estranho" estar no Black Sabbath, diz músico

Glenn Hughes: ele ama o Brasil pelas pessoas, comida e futebolGlenn Hughes
Ele ama o Brasil pelas pessoas, comida e futebol


Lemmy: sob investigação, em 2008, por exibir insígnia nazistaLemmy
Sob investigação, em 2008, por exibir insígnia nazista

Humor: O dia em que Steve Vai foi humilhado por ChimbinhaHumor
O dia em que Steve Vai foi humilhado por Chimbinha


Sobre Antonio Carlos Castro

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

Cli336x280 CliIL Cli336x280