RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemQuando o Lynyrd Skynyrd irritou Mick Jagger ao abrir o show dos Rolling Stones

imagemApós dez anos, Jason Newsted procura guitarristas para montar um projeto de metal

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemA única música tocada no Festival de Woodstock que atingiu o primeiro lugar nas paradas

imagemAs queixas que colegas do Paralamas mais fazem sobre Herbert Vianna, segundo o próprio

imagemSlash acha que os rockstars dos 60s e 70s eram mais inteligentes e educados que os dos 80s

imagemO hit da Legião Urbana antiviolência cantado sob perspectiva de jovem da periferia

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagem"A vida é curta", afirma Floor Jansen, vocalista do Nightwish

imagemJohn Lennon queria regravar todas as músicas dos Beatles, segundo produtor George Martin

imagemA bizarra lembrança que Kerry King tem do último show do Slayer

imagemA icônica reportagem de Glória Maria em que Raul Seixas disse que foi atropelado por onda

imagemA reação de Jairo Guedz quando houve o racha do Sepultura no auge do sucesso

imagemA vingança de Joana Prado (ex-Feiticeira) contra filhos briguentos que envolve RPM


Def Leppard Motley Crue 2

Dr Sin: Oito anos de espera findados com show em Belo Horizonte

Resenha - Dr Sin (Lapa Multishow, Belo Horizonte, 24/03/2001)

Por Thiago Sarkis
Postado em 24 de março de 2001

Aqueles que conhecem a história de eventos marcados e cancelados com o Dr. Sin, na capital mineira, com certeza ficou com um pé atrás até a hora em que banda pisou no palco. Porém, os oito anos de espera, pelos quais os fãs belo horizontinos do Dr. Sin tiveram que passar, foram findados no dia 24 de Março de 2001, no Lapa Multshow.

Bom, quem aguardou oito anos, pode agüentar mais alguns minutos ou horas, certo? É, estaria certo se a banda de abertura não fosse o Scarceus. A apresentação do grupo pode ser definida como algo entre o desnecessário e o impróprio. As músicas próprias do grupo não empolgaram e quase todas as covers foram muito mal escolhidas.

Entre elas, a saturada e totalmente fora do contexto da noite, "All Around The World", do Red Hot Chili Peppers. Pior que essa escolha, só a terrível idéia de incluir "Maracatu Atômico", de Chico Science & Nação Zumbi, no set list. E entre esses devaneios absurdos, algo de bom surgiu, quando a banda tocou "Come Together" dos Beatles, em uma versão mais pesada.

O Scarceus saiu de cena e deixou espaço para o Concreto, convidado especial, que faria os mineiros pagarem seus últimos pecados antes da entrada do Dr. Sin.

A banda mineira, que já havia aberto diversos shows, entre eles o primeiro do Angra em Belo Horizonte, conseguiu empolgar parte do público, provocando uma série de rodas de mosh com músicas de seu primeiro álbum e covers de músicas do Black Sabbath. As músicas inéditas que foram apresentadas e estarão presentes no próximo disco do grupo, não levantaram o público, mas pelo menos fizeram com que o set list do Concreto mudasse, depois de ‘quatrocentos anos’ de hibernação.

O mais difícil já havia sido superado. Dois shows com músicos de qualidade questionável já era o bastante. Na hora que o Dr. Sin entrou no palco, o clima mudou, e as coisas entraram nos eixos. Aliás, foi tudo como tinha que ser. Presentes ali, no palco do Lapa Multshow, comemorando 20 anos da Cogumelo Records, estava o Dr. Sin, como um trio, em sua formação original, sem o novo vocalista Michael Vescera, que teve problemas na agenda e não pôde comparecer. Óbvio que Vescera é uma falta a ser sentida em qualquer banda que integre, porém, para o primeiro show do Dr. Sin em Belo Horizonte, sua ausência foi até saudável, pois deixou os público mineiro acompanhar a banda em sua essência, da maneira como iniciou a carreira e lançou seu debute.

O som não era excelente em todos os cantos da casa, porém, em 95% do local o som chegava realmente estonteante, beirando a perfeição, em um trabalho magnífico feito pelos organizadores, que contrataram profissionais competentes para trabalhar no evento.

Eduardo Ardanuy, Andria Busic e Ivan Busic, definitivamente, ESTRAÇALHARAM. Fizeram um espetáculo maravilhoso, com musicalidade a toda prova e muita simpatia e bom humor. Mostraram uma presença de palco rara e um contato com o público extremamente próximo. Conversaram, riram, fizeram piadas uns com os outros e realmente detonaram em seus devidos instrumentos.

[an error occurred while processing this directive]

Com um set list variado, contendo músicas de todos os seus álbuns, a banda conseguiu empolgar o público em todos os momentos de sua apresentação. Eduardo Ardanuy se destacou, com uma precisão técnica inacreditável. Reforçou, a cada nota que tocou, as expectativas do público, que o ovacionava ao fim de cada solo.

[an error occurred while processing this directive]

"Karma", "Isolated", "Futebol, Mulher & Rock ‘n Roll", "No Rules", "Fire", "Emotional Catastrophe", entre outros antigos sucessos do Dr. Sin, tinham suas letras cantadas pela pequena, mas intensa platéia, que seguia fielmente Andria.

Além do esperado foi a forte reação e nítida emoção dos presentes frente às novas músicas, presentes no álbum "Dr. Sin II", "Time After Time" e "Danger" e a balada "Eternity", que também foram cantadas em coro.

[an error occurred while processing this directive]

Não poderiam faltar as versões de "Holy Man", do Deep Purple, e "Have You Ever Seen The Rain?" do Creendence Clearwater Revival, presentes respectivamente nos álbuns "Brutal" e "Isolated", que também causaram impacto e arrancaram aplausos dos fãs.

Se a primeira impressão é a que fica, então o Dr. Sin pode comemorar e ter certeza de sucesso em Belo Horizonte, para o resto de sua carreira. Com uma apresentação dessas, não há público que não saia satisfeito. Parabéns à banda e à Cogumelo, pelos seus 20 anos de existência e pela iniciativa de trazer para os mineiros uma das melhores bandas da história do metal nacional.

[an error occurred while processing this directive]

Mais fotos

[an error occurred while processing this directive]

Dr. Sin – http://www.drsin.com.br

Cogumelo Records
Augusto de Lima, 555 - Loja 32
Belo Horizonte - MG - BRASIL CEP 30.190-000
Fone/Fax: (0xx31) 3224-0493
http://www.cogumelo.com-
email: [email protected]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Edu Ardanuy: Guitarrista revela os bastidores da reunião do Tritone

Rock: seis bandas que se inspiraram na cultura Pop

Fafá de Belém: "meu espírito é heavy metal", diz a cantora

Ivan Busic: comercial antigo de tênis com Gisele Bundchen


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.
Mais matérias de Thiago Sarkis.