Motorhead: Eddie Fast Clarke se vai e com ele parte da minha euforia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Contrera
Enviar correções  |  Ver Acessos

Hoje é assim. A gente abre o Facebook e, de parte de um fã clube oficial, sabemos que (mais) um de nossos heróis se foi. Ontem foi assim, com o Eddie Fast Clarke, para sempre a espinha dorsal (dupla) do Motörhead.

Ninguém é perfeito: os filhos "bastardos" de pais famososSlayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Quando penso no Eddie, que se foi há poucos momentos tentando se recuperar de uma pneumonia, lembro de como ele parecia quieto e calmo. Mas era um sujeito de convicções. E foi assim que ele foi defenestrado da banda. Ele não quis entrar, por um motivo qualquer (parece que uma companheira de palco), e o Lemmy o dispensou.

O Eddie foi um sujeito aparentemente calmo também quando eles andavam nas turnês. Mas isso era só em aparência. O Lemmy comenta, num dos documentários sobre a banda, que o Philthy Animal frequentemente se envolvia em brigas com ele. Saía porrada para tudo quanto é lado.

O Eddie Fast Clarke era um guitarrista sutil e claro. Ele, quando comentava sobre a guitarra da banda, o fazia calmamente, mostrando como pequenos detalhes faziam a diferença na impressão geral das músicas. Recordo-me que suas impressões eram certeiras, ao menos para mim. Ele é um coautor dos clássicos, e isso ninguém - nem o Lemmy - lhe tira.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Com o perdão de magoar um pouco os fãs do Philip Campbell, foi o Eddie que fez a sonoridade do Motörhead. O Phillip é competente, e gosto mais da fase posterior do Motörhead, mas creio dizer que a banda não existiria enquanto marca de som se não fosse o Eddie. Claro que o baixo do Lemmy é fundamental. Mas, como já disse, o Eddie é a segunda espinha dorsal do Motörhead clássico. E assim continuará sendo.

Em miúdos, o Eddie pareceu-me aquele típico inglês quieto com quem você não deveria mexer. Um sujeito calmo, mas irrequieto, que conseguia lidar com a cobrança até o ponto em que você mexesse com seus brios. Um sujeito de princípios. Como o Lemmy, inclusive. Diz-se que dois bicudos não se bicam.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sou um sujeito duro, então, se lamentei aqui comigo, saindo um pequeno esboço de lágrima, foi por apenas instantes. Agora percebo que com o Eddie bastante de meu casamento também se foi. Porque ele embalou aqueles momentos em que eu transtornava tudo e todos, e fingia que era violento (algo que não sou, embora seja agressivo).

O Eddie, não. Ele era violento.

RIP, meu caro.


Morte de Fast Eddie Clarke

Motorhead: Morreu, aos 67 anos, Fast Eddie ClarkeMotorhead
Morreu, aos 67 anos, "Fast" Eddie Clarke

Motorhead: Mikkey Dee comenta morte de Fast Eddie ClarkeMotorhead
Mikkey Dee comenta morte de "Fast" Eddie Clarke

Motörhead: Phil Campbell lamenta morte de Fast Eddie ClarkeMotörhead
Phil Campbell lamenta morte de "Fast" Eddie Clarke

Motörhead: todos da formação clássica já nos deixaramMotörhead
Todos da formação clássica já nos deixaram

Motörhead: músicos reagem à morte de Fast Eddie ClarkeMotörhead
Músicos reagem à morte de "Fast" Eddie Clarke

Phil Campbell: homenagem a "Fast" Eddie Clarke com nova banda

Todas as matérias sobre "Morte de Fast Eddie Clarke"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "Morte de Fast Eddie Clarke"Todas as matérias sobre "Motorhead"Todas as matérias sobre "Fast Eddie Clarke"


Ninguém é perfeito: os filhos bastardos de pais famososNinguém é perfeito
Os filhos "bastardos" de pais famosos

Slayer: Gary Holt é realmente um cara mal-agradecidoSlayer
Gary Holt é realmente um cara mal-agradecido


Sobre Rodrigo Contrera

Rodrigo Contrera, 48 anos, separado, é jornalista, estudioso de política, Filosofia, rock e religião, sendo formado em Jornalismo, Filosofia e com pós (sem defesa de tese) em Ciência Política. Nasceu no Chile, viu o golpe de 1973, começou a gostar realmente de rock e de heavy metal com o Iron Maiden, e hoje tem um gosto bastante eclético e mutante. Gosta mais de ouvir do que de falar, mas escreve muito - para se comunicar. A maioria dos seus textos no Whiplash são convites disfarçados para ler as histórias de outros fãs, assim como para ter acesso a viagens internas nesse universo chamado rock. Gosta muito ainda do Iron Maiden, mas suas preferências são o rock instrumental, o Motörhead, e coisas velhas-novas. Tem autorização do filho do Lemmy para "tocar" uma peça com base em sua autobiografia, e está aos poucos levando o projeto adiante.

Mais matérias de Rodrigo Contrera no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280