Dokken: formação clássica não deveria se reunir

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: IgorMiranda.com.br
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nos últimos dias, foram anunciadas seis apresentações da formação clássica do Dokken no Japão, em outubro deste ano, e uma nos Estados Unidos, em setembro. Inicialmente, seriam somente os shows no país oriental, mas a banda voltou atrás e decidiu tocar na terra do Tio Sam.

Além do Maiden: A História da New Wave Of British Heavy MetalAndre Matos declara: "O Angra tinha que acabar!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Don Dokken, George Lynch, Jeff Pilson e Mick Brown garantem que serão apenas seis shows no Japão e somente um nos Estados Unidos. Ou seja: segundo eles, a reunião será um evento restrito.

Sabemos que não será. É bastante previsível que a formação volte a tocar junta quando vir a rentabilidade do projeto, apesar de que não vão lotar estádios ou nada do tipo com as apresentações de agora.

Os contornos da reunião começaram a ser desenhados ainda em abril do ano passado, quando integrantes da formação clássica do Dokken afirmam à imprensa que uma reunião estaria a caminho. O assunto ganhou força novamente no início deste ano, com Jeff Pilson e Mick Brown falando sobre as conversas entre os músicos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O empolgado Mick Brown chegou a deixar a banda de Ted Nugent, na qual tocava há 11 anos, para se dedicar mais ao possivelmente reunido Dokken. O entrave estaria na agenda de Jeff Pilson, que não abre mão do Foreigner: há shows marcados até 2018.

O problema parece ter sido resolvido. No entanto, em meu ver, há uma série de motivos para o Dokken original não se reunir.

Bons projetos se comprometem

Especialmente no caso de George Lynch, deixar o bom Lynch Mob de lado para apostar em uma furada reunião do Dokken parece arriscado. Os últimos lançamentos do Mob mostram que a banda está afiada e bem posicionada em uma variação distinta do hard rock, que aproveita o estilo melódico peculiar do guitarrista e o swing dos vocais de Oni Logan.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quando George Lynch se reuniu com Jeff Pilson e Mick Brown para o T&N, o resultado foi fantástico. E sem Don Dokken. O resultado da parceria com Michael Sweet também foi positivo. São projetos com visibilidade em nichos, assim como o Dokken, que já deixou de ser uma mega-atração ainda na década de 1980.

Voz de Don Dokken

O estado atual da voz de Don Dokken também é deplorável. Vi ao vivo e sei do que estou falando.

É um caso atípico, pois não há nem mesmo resquícios do vocal de antigamente. Até mesmo Axl Rose nos seus momentos mais Mickey Mouse esteve em melhor forma. Os hábitos de Don o prejudicaram e o preço foi cobrado.

Afinidade

Há prazo de validade nisso tudo. Don Dokken e George Lynch nunca se deram bem. Nem mesmo no auge do sucesso.

Uma parceria entre artistas tão diferentes e egocêntricos não deve durar, apesar de sabermos que logo eles mudarão de ideia e anunciarão alguma espécie de reunião permanente. O grupo se reuniu no meio da década de 1990 e a tentativa fracassou. Foi lançado, inclusive, o álbum mais enfadonho de sua discografia: "Shadowlife".

Lynch brincou, em entrevista concedida no ano passado, que a cada dois anos os músicos sentam para discutir uma possível reunião. E nunca sai do papel. Não deu certo há 30 anos, não deu certo há 20 anos e não vai dar certo agora.

Pode anotar: os músicos serão seduzidos pelas cifras atraídas com o retorno, vão voltar para mais shows, farão as apresentações e acabarão brigando.

Não à toa, declarações de pessoas envolvidas com o Dokken no passado indicam que a parceria passava longe de ser saudável para os envolvidos. Há quem defenda Don Dokken, há quem defende George Lynch.

O produtor Tom Werman coloca George como o vilão. "George Lynch e Don Dokken nunca foram amigos. Na verdade, era a banda contra o vocalista. Mas ele escrevia as músicas românticas e elas faziam sucesso. Era uma engenharia bem dividida. George jogava uns contra os outros, era o cara malvado", disse, em entrevista.

Nem mesmo financeiramente parece compensar tanto. A primeira reunião do Dokken não foi um grande sucesso. Culpa dos integrantes, que já não estavam se entendendo e colaboraram para um mau gerenciamento, é verdade. Vinte anos depois, o apelo é ainda menor.

Como fã do Dokken, prefiro ver a banda estacionada, em uma parcial aposentadoria, enquanto o Lynch Mob ganha espaço e possíveis combinações entre George Lynch, Mick Brown e Jeff Pilson acontecem. A mais recente, inclusive, foi a participação de Pilson em "Rebel", álbum do Mob, lançado no ano passado.

É evidente que posso estar errado e o Dokken pode acabar fazendo apenas os sete shows prometidos. Ou podem estender a reunião e voltarem de vez. Mas é muito improvável que qualquer uma das opções aconteça.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "Dokken"


Guitarra: dez canções mais difíceis pra quem tem mãos pequenasGuitarra
Dez canções mais difíceis pra quem tem mãos pequenas

Hair metal: os 50 melhores álbuns de todos os tempos, segundo a Rolling StoneHair metal
Os 50 melhores álbuns de todos os tempos, segundo a Rolling Stone


Além do Maiden: A História da New Wave Of British Heavy MetalAlém do Maiden
A História da New Wave Of British Heavy Metal

Andre Matos declara: O Angra tinha que acabar!Andre Matos declara
"O Angra tinha que acabar!"


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280