Festivais: As bandas novas começam a sobressair sobre as velhas

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Testa
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nos últimos dias, as atrações de dois dos maiores festivais da Europa (Download e Hellfest) começaram a ser divulgadas. Uma coisa inimaginável a um tempo atrás chamou a atenção nas divulgações: monstros sagrados do rock'n roll abrindo para bandas muito mais jovens.

Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaEm cana: os rockstars em suas fotos mais constrangedoras

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

No Download 2015, já foi confirmado Judas Priest abrindo para o Slipknot e também o Faith no More abrindo para o Muse. O mesmo festival teve em sua versão mais recente o Avenged Sevenfold e o Linkin Park como atrações principais. No Hellfest, teremos Judas Priest, Motorhead e ZZ Top como bandas secundárias, enquanto o Slipknot e o Faith no More serão headliners. Antes raro, isso vem acontecendo com mais e mais frequência. Quem não se lembra do Slayer abrindo pro Avenged ou do Motorhead abrindo para o Slipknot no Rock in Rio?

É evidente que em grandes festivais o lado comercial é o que pesa para definir a ordem das apresentações e quem acaba se tornando decisivo para essa definição são os fãs mais jovens.

Existem dois motivos principais para isso acontecer.

1 - Os jovens crescem ouvindo essas bandas.

O banger com seus 13 anos, caso não tenha influência de ninguém, começa ouvindo o que está fazendo sucesso no momento. Isso acontece desde sempre. Atualmente, as bandas indie e de metalcore/hardcore estão em alta e dominam as playlists dos jovens. O maior representante dos últimos anos é o Avenged Sevenfold. Com um som e um visual moderno são o símbolo desta geração.

2 - Jovens valorizam demais a intensidade dos shows

O Slipknot, ao lado do Avenged, é a maior banda de metal da atualidade. Porém, o maior atrativo da banda são suas apresentações. Muita interação dos membros da banda com a plateia nas músicas, participação do público e adrenalina a mil. O show do Slipknot é o cenário perfeito para o gosto do jovem banger. Bandas como Limp Bizkit, Hatebreed e Rage Against the Machine são outros exemplos. Sinceramente, vejo poucos jovens com 'saco' para shows do Deep Purple, do Aerosmith, para a grande maioria das bandas grunge ou até para alguns grandes clássicos do heavy metal como o próprio Judas Priest. As antigas que passam nesse teste são aquelas que tem uma infinidade de clássicos como o Black Sabbath, o Kiss, o Pink Floyd... e/ou que mantêm essa intensidade, casos de AC/DC, Metallica, The Offspring...

Uma coisa é certa: as bandas jovens vão cada vez mais dominar os grandes festivais. E só já não dominam porque não existem muitas bandas que são unanimidade. Isso acontece, não pela qualidade musical das bandas(até porque toda fase, todo gênero tem seus gigantes), mas pelo enorme número de bandas na cena, graças às facilidades de divulgação de trabalho oferecidas pela internet, por exemplo.

Renovação nas bandas e fãs. O metal agradece.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Opiniões

Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaHetfield
Egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

Em cana: os rockstars em suas fotos mais constrangedorasEm cana
Os rockstars em suas fotos mais constrangedoras


Sobre Rafael Testa

Nascido em Juiz de Fora, Minas Gerais, tem 23 anos, é estudante de sistemas de informação e torcedor fanático do Vasco da Gama e do Tupi Football Club. Se interessou por rock/metal depois do grande tio Roney mostrar-lhe o Iron Maiden. Tem o gosto musical muito variado, curte do thrash metal do Slayer ao metalcore do All That Remains. Acredita que existem bandas boas atualmente e faz questão de apresentá-las.

Mais matérias de Rafael Testa no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor