O rock nacional de Nelson Rodrigues

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gabriel Piazentin
Enviar correções  |  Ver Acessos

Terminou a última edição do Rock in Rio (doravante RiR), e com ela veio um caminhão de reclamações de roqueiros. Até o WHIPLASH tem divulgado bastante um infográfico que mostra que no RiR tem sim rock, contradizendo as pessoas que dizem que não tem.

Heavy Metal: as 10 capas mais "de macho" de todos os temposR.E.M.: banda é dona da faixa que mais faz o homem chorar

Pois bem, o evento tem rock, a gente já sabe.

Mas o que incomoda a mim e a tantos outros não é o fato de não ter o estilo, mas sim de haver tantos outros que nada têm a ver com aquele. Daí o Nelson Rodrigues do título, a gente tem complexo de vira-lata para tudo. Quando nos deparamos com um evento como o RiR a gente espera, no mínimo, um Wacken (ou ainda, quando lhe prometem um Wacken Open Air igual ao alemão ele recebe um Metal Open Air tipo aquele que não aconteceu e foi uma catástrofe vergonhosa). Mas o que a gente recebe é a IVETE SANGALO e a BEYONCÉ, esta última cantando Ah LeLek. Tá.

Veja, as atrações não-rock do evento são boas, sim, mas você nunca vai esperar pelo IRON MAIDEN ou pelo METALLICA tocando em pleno carnaval de Salvador. O problema do RiR não é a falta de rock, e sim a mistura bizarra de tantos outros estilos. Mas fazer o quê, desde '85 o evento sempre foi assim, não? Sim. Mais prudente seria um evento com essas grandes estrelas não-rock só pra elas e deixasse o RiR só pra quem é roqueiro mesmo.

Né?

Não.

Não porque aqui o brasileiro roqueiro já é reprimido dia a dia com uma montanha de tantos outros estilos que a cultura popular consome e ele, o roqueiro, fica deixado de lado, à margem da música mainstream. Quantos eventos de rock você conhece? Quantos eventos de sertanejo você conhece? Olha quantos rodeios estouram pelo país perto da metade do ano, é gritante. Você não espera o DR.SIN tocando em Barretos. Bom, então esse roqueiro, deixado de lado pelo próprio país, quando ele tem um evento com ROCK no nome, ele espera que finalmente terá um lugar só pra ele, que finalmente vai poder ir a um evento de seis noites, dois fins de semana, só com a nata do estilo musical de que ele gosta. Mas não, os palcos têm de ser divididos com o DAVID GUETTA e pra ele só restam duas noites. E o pior, os palcos paralelos não são intercalados entre rock e não-rock.

É por isso que o brasileiro roqueiro sempre reclamou do Rock in Rio. E sempre vai reclamar, enquanto não tiver um espaço pra chamar de seu.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Opiniões

Heavy Metal: as 10 capas mais de macho de todos os temposHeavy Metal
As 10 capas mais "de macho" de todos os tempos

R.E.M.: banda é dona da faixa que mais faz o homem chorarR.E.M.
Banda é dona da faixa que mais faz o homem chorar

Guns N' Roses: Algumas curiosidades sobre o vocalista Axl RoseGuns N' Roses
Algumas curiosidades sobre o vocalista Axl Rose

Classic Rock: as 10 melhores baladas dos anos 80Classic Rock
As 10 melhores baladas dos anos 80

Álbuns ao vivo: 10 grandes registros da história do rockÁlbuns ao vivo
10 grandes registros da história do rock

Meshuggah: A linda tatuagem nas costas da modelo russa Olga BellemorMeshuggah
A linda tatuagem nas costas da modelo russa Olga Bellemor

Nirvana: Duff Mckagan relembra última vez que viu Kurt CobainNirvana
Duff Mckagan relembra última vez que viu Kurt Cobain


Sobre Gabriel Piazentin

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adClio336|adClio336