RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas


Ghost e as críticas ao "novo"

Por Marcelo Dias Albuquerque
Postado em 27 de setembro de 2013

Como tudo que existe nesse mundo, o rock sempre sofreu de um mal latente, que é a crítica a tudo que é novo no gênero. Atualmente tenho visto uma porção de críticas à banda Ghost, que se apresentou no palco principal do Rock in Rio deste ano.

É uma banda recente com apenas dois álbuns lançados e já faz muito sucesso. A proposta, contudo, é bem inovadora. Não que usar maquiagens seja realmente algo novo, pois isso não é. Mas o Ghost apresenta algo que difere bastante do heavy metal como o conhecíamos até então, que é a presença forte e avassaladora dos vocais. Dentro do gênero, quase todas as bandas mais famosas sempre tiveram destaque para o vocal, e no caso do Ghost o vocal é fraco, sem gritos e sem exageros, é quase como se falasse. Fora isso tem a questão de misturar música sacra e até letras em latim nas suas composições.

Ghost - Mais Novidades

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Só que esse post não tem o objetivo de falar da banda em si, o foco é outro. Ocorre que o público heavy metal, que escuta as mesmas coisas desde a década de 1980 ou antes, de maneira quase geral caiu em cima dessa banda com críticas cruéis e persistentes. O mesmo que fizeram antes com Slipnkot e System of a Down. Isso é fruto de uma mentalidade tradicionalista na qual a "música é", em vez de "a música está".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

A meu ver, esse tipo de público que se esforça em criticar coisas novas apenas pelo fato de não serem iguais às coisas antigas, é o mesmo público que, outrora, teria criticado veementemente o thrash metal por ele não ser heavy metal, e antes disso teria criticado o NWOBHM por que não era heavy metal tradicional, e antes disso, ainda, teriam criticado o próprio Black Sabbath por que a sonoridade da banda não tinha nada a ver com o rockabilly ou o hard rock dos anos 60 e 70.

Quando Black Sabbath e Led Zeppelin surgiram, as grandes revistas (até mesmo de rock) criticaram as duas bandas de formas até grosseiras. A resenha apresentada sobre "The Song Remains the Same", na época, apresentava uma opinião crítica exagerada sobre o álbum da banda que, atualmente, é um dos maiores clássicos do gênero. Gente assim também teria criticado o blues por que não era jazz, e se tivessem vivido a renascença teriam criticado compositores clássicos que hoje são consagrados.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

As pessoas não percebem que o mundo muda e que a música faz parte do mundo. É claro que eu prefiro ouvir Iron Maiden e Deep Purple em vez de ouvir Avenged Sevenfold. Mas, quem nasceu em 1995, por exemplo, talvez goste mais de ouvir Avenged. E quem sou eu para dizer que a banda é ruim? Posso dizer que ela é diferente, e isto é mesmo. O que o Ghost faz hoje se equipara ao que o Kiss fez no passado: marketing. O que o Ghost faz hoje se equipara ao que Alice Cooper fez no passado: chocar as pessoas.

Alguém acha que Leonardo da Vinci tinha o reconhecimento artístico que ele tem hoje, na época em que viveu? Não. Muito pelo contrário. Ele era um gênio ridicularizado em seu tempo, assim como um dia Einstein foi chamado de burro por seus professores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

Portanto, digo com toda certeza que é preciso aceitar a inovação. Se você gosta de coisas antigas, não tem problema, pois você sempre poderá ouvi-las também, e sempre haverá gente disposta a perpetuar os "clássicos" em qualquer gênero musical. Isso não é algo com o que se preocupar. O fato de hoje uma banda ser consagrada não vai desconsagrar os nossos ídolos do passado. E as pessoas têm que aceitar isso, para não parecerem burras em suas críticas vazias a tudo que é novo.

Heavy Metal já é algo bastante caricato e é motivo de piada para muita gente. Se você é metaleiro e quer respeito por isso - coisa com a qual me preocupo muito pouco -, então haja de forma respeitável. A começar, respeitando os outros e admitindo o talento de quem realmente o tem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 5
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Dream Theater: Mike Portnoy, o deus que cometeu pecado

Los Hermanos: Por que as pessoas se incomodam tanto com eles?


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | Alex Juarez Muller | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Geraldo Fonseca | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS