Downloads gratuitos: acertos, erros, polêmicas e verdades

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcos Garcia
Enviar correções  |  Ver Acessos

É de domínio público que desde o final dos anos 90, com o advento do compartilhamento dos arquivos de forma gratuita pela internet, a indústria musical nunca mais foi a mesma, graças ao compartilhamento de músicas de forma gratuita pela internet. De um lado, os fãs baixam os discos de suas bandas favoritas, e muitas vezes, deixam de comprar os oficiais; do outro, as gravadoras, que tentam desenvolver formas para acabar com o ramo da pirataria, desenvolvido através do download gratuito de certo CD ou DVD, que é gravado em mídia barata e vendido pelas ruas e camelôs da vida por preços bem mais em conta que os oficiais, por mais que estes tenham vantagens inúmeras sobre a versão pirata.

Metal: as bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheadsAndreas Kisser: os álbuns que marcaram o guitarrista

Não é desconhecido do público que vários artistas, como METALLICA, MADONNA, DR. DRE e outros artistas, dentro e fora do Metal/Rock, levantaram uma polêmica contra o compartilhamento de músicas pelo Napster, mas isso só aumentou as formas de compartilhamento de arquivos (pelo visto, uma manifestação de proporções épicas). A propaganda teve efeito reverso, e o escândalo dos artistas citados acabou espirrando para todos os lados, e auxiliou artistas de porte pequeno e médio, já que a divulgação de seus trabalhos por entre os fãs se tornou mais fácil e acessível, já que agora se poderia ouvir o CD com calma, sem se preocupar em economizar para comprar os de seu artista favorito, e isso democratizou a cena, pois grandes e pequenos começaram a ter oportunidades.


Agora, graças à luta contra a pirataria feita de forma errada, uma nova polêmica surge na internet, com a "Stop Online Piracy Act" (SOPA), de autoria do senador republicano Lamar Smith, do Texas (mais um texano conservador acredita que o mundo é dele...) e a "Protect IP Act" (PIPA), onde IP é de 'Intellectual Property', do mesmo senador, que andam causando manifestos aos montes, ao ponto de serem retiradas da pauta de votação, porque, obviamente, ia dar uma confusão dos infernos, já que o grupo de hackers Anonymous (que utiliza a imagem do personagem V, do filme e quadrinhos 'V de Vingança', do mestre Alan Moore), em retaliação ao fechamento do site de armazenamento Megauload em 19/01/2012 (outros, como Filesonic, Fileserve, FileJungle e UploadStation, bloquearam os arquivos lá guardados, permitindo acesso apenas pelo usuário que o colocou lá.o x7.to e o UploadBox pediram para sair da briga e já avisaram que 'todos os arquivos serão deletados em 30 de janeiro') e devido aos citados atos, derrubaram vários sites, alguns considerados fortalezas inexpugnáveis (Departamento de Justiça americano, FBI, Casa Branca, sites dos governos francês e brasileiro, e alguns da indústria de música e cinema foram atacados ao ponto dos mesmos serem tirado do ar), bem como jogaram na net vários detalhes da vida pessoal do chefe do FBI, Robert Mueller (se fosse aqui, já teria sido demitido, já que a Presidente Dilma, por conta de denúncias de corrupção, andou detonando ministros ano passado), e disponibilizou todo o catálogo de CDs e DVDs da Sony para download, e já avisaram que não irão parar por aí.

O conteúdo dos atos é um ato de pura censura e proteção às indústrias, pois querem responsabilizar TODO e QUALQUER SITE pelo que é colocado neles, inclusive postagens inocentes. Ou seja, sua liberdade, leitor, foi para o ralo, e o pior de tudo: você só acordou para esta realidade agora, quando gigantes como Mozilla Corporation, Facebook, Electronic Frontier Foundation, Yahoo!, eBay, American Express, Reddit, Google, Reporters Without Borders, Human Rights Watch, English Wikipedia, entre outros, mais um monte de senadores americanos, e pelo visto, o próprio Presidente Barack Obama (se isso for fato, ninguém terá mais direito de criticá-lo por aqui), que prometeu vetar o projeto se ele passar pelo senado, já entraram no páreo.

E se a PIPA, SOPA e outros passarem, podem dar um adeus não só aos downloads gratuitos de músicas e vídeos, mas de livros, artigos, bem como acesso às enciclopédias virtuais e sites de relacionamento da net. Sem contar que seus e-mails, sejam no servidor que for, serão vigiados. Os conservadores (leiam-se membros do partido Republicano, mas exima disso os do partido Democrata) do país que apregoa guerras contra o terrorismo pelo mundo, em defesa à liberdade e ao 'American Way of Life' querem arrancar da net, cuja melhor definição é ser um espaço democrático onde todos são iguais, sua essência... Ou seja, uma boa parte dos usuários da internet vai perder interesse, e por efeito dominó, o número de pessoas cortando os serviços de internet em seus lares deverá cair abruptamente...

Mas analisemos de forma mais profunda a relação fã-músico-gravadora-governo.

Os fãs (aquele que realmente se importam, e não os engraçadinhos que só querem ganhar grana) usam muito o argumento 'baixo para ouvir, e se gostar, compro o oficial', e é verdade para muitos, pois os arquivos MP3 das bandas servem para uma ouvida preliminar no trabalho, como as antigas fitas K7 dos anos 80, para ver se realmente vale o investimento em dinheiro, pois ouvir na loja não é uma opção, já que o comprador nem sempre tem acesso à qualidade sonora boa e tempo para ouvir, quando chega a tanto, já que o atendente na loja nem sempre tem paciência, pois os olhos do patrão estão sobre ele, ou boa vontade para que o comprador ouça, e se não achar um CD digno de seu investimento, não o compre, o que é direito dele pelo CDC. Ninguém mais é bobo o suficiente em comprar um CD sem ouvir, pois quando chega em sua casa, o fã pode ouvir uma bomba sonora. E este autor aqui passou por isso com o vinil duplo do 'Metallica', em 1991, pois a sensação foi bem frustrante, já que foi um disco que este que vos escreve não gosta (sem motivos. É apenas o gosto pessoal mesmo).

O fã deste ou daquele grupo, em geral, só deixa de comprar o disco de seu artista favorito quando não tem dinheiro, ou quando o disco não o satisfaz (existem alguns que chegam ao extremo do 'fãnatismo' de comprar 'por causa da coleção', mas cada uma faz o que bem entende com seu dinheiro...). O segundo se autoexplica, e o primeiro tem sido uma máxima no Brasil, já que nossa economia anda um lixo, e para tentar combater a pirataria, as gravadoras e selos procuram aumentar os atrativos, lançando versões duplas, mas o preço sobe de forma exorbitante, salvo casos bem raros (ou quando o disco vira aeroporto de poeira nas lojas). Cito um: observando os preços de CDs, um simples do DIMMU BORGIR nacional estava 35 paus, enquanto paguei na versão Deluxe (CD Duplo) do 'Born This Way' de LADY GAGA R$25,00, e isso no mesmo dia!

Mas qual o motivo de tal discrepância? As despesas de prensagem são as mesmas para ambos (independente se é um é uma gravadora multinacional, e o outro, um selo independente), e em tese, são dois CDs contra um só... Ainda bem que o CD era simples, mas ficou na loja assim mesmo...
Muitos dizem que o CD enquanto mídia está falido, mas em 2009, no dia em que MICHAEL JACKSON faleceu, além do Google cair devido ao número de acessos, houve uma corrida às lojas para a compra de trabalhos do mesmo. LADY GAGA já vendeu, de maio de 2011 (sua data de lançamento) até o momento, 8 milhões de cópias de 'Born This Way' pelo mundo. Logo, o CD ainda tem muita lenha para queimar, bastando saber divulgar e criar estratégias de marketing dignas, e muitos artistas consagrados sem serem do Metal, já divulgaram a verdade há alguns anos, aquela que nenhum empresário de grandes gravadoras que dizer: um CD pronto, com todos os encargos devidos, sai a menos de R$ 2,00, vide o fórum do Cifra Club, ainda mais hoje em dia, em que os recursos tecnológicos em estúdio facilitaram as gravações, pois otimizaram o tempo usado e facilitaram a vida dos que chegam ao estúdio bem ensaiados e sabendo o que querem, e assim, reduziram os custos. Então, porque o mesmo custa 30 paus em uma loja?

Acabo de ver que o 'Iconoclasm' edição deluxe (2 CDs), do SYMPHONY X, pelo E-Bay, está saindo à R$19,26, com a cotação do dólar de hoje (25/01/2012). No Brasil, está saindo por volta dos 30 Reais, ou seja, paga-se uma diferença de aproximadamente 55, 76%!!!!! Novamente, vemos uma quantia soma em dinheiro bem acima do esperado.

Ainda há uma parcela de culpa em relação à pirataria que deve ser atribuída aos governos (em especial o do Brasil), que é a questão de impostos sobre a fabricação e comercialização de CDs, mas conforme este link, o Governo Federal Brasileiro está pretendendo acabar com os impostos sobre CDs e DVDs produzidos por artistas daqui, logo, isso também pode implicar em maior investimento nas bandas brasileiras, o que já é uma coisa muito boa, mas é preciso que a alternativa se expanda aos artistas do exterior, pois cultura pode (e deve) ser adquirida de todas as formas e lugares, e os empresários do ramo (gravadoras e produtoras, distribuidoras, lojistas) devem buscar alternativas para que o preço caia, pois as únicas formas de combater o download gratuito ainda são a propaganda digna e o preço acessível, pois os famosos 'ataques de pelancas' de artistas, que ganham muito mais com shows do que com vendas de CD, não é justificado, já que a audição gratuita (que pode ser feita via Myspace, Reverbnation, página das bandas no Facebook, e outros) incentiva o fã, e só não o faz quando o disco não o satisfaz, com afirmado no princípio desse texto.

A prova de que a maioria dos artistas anda 'atravessando o samba' é um vídeo do ano passado, em que celebridades Pop como WILL.I.AM, KANYE WEST, SNOOP DOGG (que é bem conhecido por seus filmes polêmicos por aqui), P. DIDDY, MARY J. BLIGE, e ALICIA KEYS (casada com presidente executivo do Megaupload, Kasseem Dean, conhecido por Swizz Beatz, conhecido produtor de Hip-Hop) elogiando o Megaupload:

E agora, José????

Uma boa estratégia das gravadoras para impulsionar o mercado é o aumento da oferta (ou seja, aumentar o número de cópias do produto), forjar alternativas para baratear o preço do para as lojas (e exigir um preço menor da mercadoria para a venda ao consumidor final, que é o fã), para pode vender maior número de produtos, tendo lucro maior, ou seja, se recua um passo para se andar dois. É assim nos EUA, e as coisas funcionam bem por lá em cima dessa estratégia bem simples, e não apenas encima de CDs e DVDs, mas de tudo.

A questão da satisfação musical que o fã deve sentir está diretamente ligada à necessidade da banda se superar, ser capaz de surpreender seu fã, e de aglutinar novos, o que não é lá algo simples, já que o marasmo se faz presente nos últimos tempos em termos de criatividade, e muito do que é lançado apenas se aglutina às pilhas e pilhas de discos que o fã ouve e diz 'Mas isso a banda fulana de tal já faz', e aí, meus caros, o caldo engrossa, porque uma grande parte dos fãs de música pesada não compra produtos repetidos, o péssimo e velho 'mais do mesmo'.

A indústria fonográfica se encontra diante de um grande desafio, que é incentivar o fã a parar com downloads gratuitos (pois estes nem sempre tem boa qualidade sonora e as vantagens de um CD original) e comprar discos, mas a reversão do quadro fúnebre que temos atualmente passa justamente pela diminuição de preços, e não só dos custos, pois qual fã que não gosta de ter um original da banda que gosta em sua casa? E isso pode ainda impulsionar a indústria dos eletrodomésticos, que podem voltar a vender aparelhos de som por este motivo.

Mas tentar sanar o problema começando pela internet não dá, é impossível, e vamos ser bem sinceros: todo mundo já baixou um CD, livro, filme, vídeo, e outras coisas, na net, e o que muitos chamam de ilegal, já que afeta os bolsos dos empresários, poderia ser muito bem transformado em estratégia de marketing, vide o sucesso do ITunes e outros sites pagos para download, isso é, se nossos empresários deixarem a mentalidade extrativista, herdada dos colonizadores portugueses, e passarem a pensar um pouco mais no consumidor satisfeito do que no dinheiro que entra-lhe no bolso, já que o que falta em nosso país é só a conscientização de usar o download gratuito como ferramenta mercadológica para impulsionar a venda de produtos.

Fica a pergunta, a reflexão, e esperam-se atitudes o mais breve possível que não interfiram na liberdade alheia, ou preparemo-nos para ver um dos maiores ataques na net de todos os tempos...

Em tempo: agradeço a ótima referência do artigo 'Começou a III Guerra Mundial. E ela é digital!', da autoria do crítico Regis Tadeu. Bem como recomendo a leitura dos verbetes da Wikipedia sobre os atos PIPA e SOPA:

http://en.wikipedia.org/wiki/PROTECT_IP_Act#Opponents
http://en.wikipedia.org/wiki/Stop_Online_Piracy_Act

"(...)Existem, é claro, aqueles que não querem que falemos. Desconfio que ordens estejam sendo dadas e homens com armas já se ponham a caminho. Por que?
Porque enquanto a violência for usada no lugar do diálogo, palavras sempre terão seu poder.
Palavras oferecem um meio para o significado e para aqueles que escutam a enunciação da verdade.
E a verdade é que existe uma situação totalmente errada neste país. Não existe? Crueldade e injustiça. Intolerância e opressão. Onde um dia houve o direito de discordar, de pensar e falar como se desejasse, agora temos sensores e sistemas de vigilância forçando-nos a nos conformar solicitando nossa submissão.
De quem é a culpa? Com certeza existem aqueles que são mais responsáveis do que os outros e eles vão ter que prestar contas.
Mas verdade seja dita, se procuram por culpados só precisam se olhar no espelho...."
(V, de V de Vingança)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "Pirataria"


Google: não nos culpem pela piratariaGoogle
"não nos culpem pela pirataria"

Gene Simmons: Os fãs estão matando aquilo que mais amamGene Simmons
"Os fãs estão matando aquilo que mais amam"

Pirataria: enquanto isso, em uma loja de CDs na Rússia...Pirataria
Enquanto isso, em uma loja de CDs na Rússia...


Metal: as bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheadsMetal
As bandas e sub-gêneros mais odiados pelos metalheads

Andreas Kisser: os álbuns que marcaram o guitarristaAndreas Kisser
Os álbuns que marcaram o guitarrista

Cinco contra um?: Roqueiros comentam como a revista Playboy os marcouCinco contra um?
Roqueiros comentam como a revista Playboy os marcou

Dr. Sin: Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis TadeuDr. Sin
Agora todo mundo lamenta? Vão se foder!, diz Regis Tadeu

As novas caras do metal: + 40 bandas que você deve conhecerAs novas caras do metal
+ 40 bandas que você deve conhecer

Nirvana: Polícia de Seattle libera novas fotos do corpo de CobainNirvana
Polícia de Seattle libera novas fotos do corpo de Cobain

Nirvana: produtor de Nevermind revela detalhes da gravaçãoNirvana
Produtor de Nevermind revela detalhes da gravação


Sobre Marcos Garcia

Marcos Garcia é Mestrando em Geofísica na área de Clima Espacial, Bacharel e Licenciado em Física, professor, escritor e apreciador de todas as subdivisões de Metal, tendo sempre carinho pelas bandas mais jovens e desconhecidas do público, e acredita no Underground como forma de cultura e educação alternativas. Ainda possui seu próprio blog, o Metal Samsara, e encara a vida pela máxima de Buda "esqueça o passado, não pense no futuro, concentre-se apenas no presente".

Mais matérias de Marcos Garcia no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336