Iron Maiden: descrição faixa a faixa do novo CD

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leandro Testa
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 16/07/03. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O profundamente aguardado novo opus do IRON MAIDEN, "Dance of Death" (esperado para setembro), mantém a tradição e deixa os fãs desesperados de curiosidade. Para matá-la um pouquinho, o website da banda liberou no último dia 15, um 'sneak preview' (comentários sobre uma obra antes de ser mostrada ao público oficialmente), que tentei traduzir aqui superficialmente. Resta saber se os boatos de este ser um álbum mais pesado, realmente virão a se confirmar, afinal, apenas tomando por base a já "revelada" "Wildest Dream" não foi possível ter uma noção disso (considero-a, em um primeiro momento, leve e previsível demais).
(Leandro Testa)

14 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores5000 acessosMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa

WILDEST DREAM
Teve sua apresentação prévia na recente turnê 'Give Me Ed... Til I'm Dead'. Essa é uma música dinâmica e roqueira que dá o pontapé inicial no álbum como um estrondo. A julgar pelo número de pessoas do público europeu que puderam cantar o refrão depois de uma única audição, ela certamente se tornará uma favorita para ser tocada 'ao vivo'.

RAINMAKER
Literalmente uma canção 'tempestuosa' (!), "Rainmaker" é outro rock vigoroso que mantém o ritmo galopante de sua abertura. E novamente, após tocar uma só vez, o refrão é instantaneamente memorável.

NO MORE LIES
O primeiro dos quatro épicos que ultrapassam a marca de 7 minutos no disco. Essa é uma obra inteiramente escrita por Steve Harris, com letras tipicamente pensativas/reflexivas. A entrada retraída dá lugar a vigorosos coros, com a bateria de Nicko quase que na linha "Bonham" [Led Zeppelin] em sua intensidade, e os '3 Amigos' [escrito propositadamente em português/espanhol] também brilham em um solo de três partes.

MONTSEGUR
Inspirada por um episódio infame na história dos Cavaleiros Templários em suas cruzadas e motorizada por riffs trovejantes, o arranjo ambicioso de "Montsegur" imita o horror e a confusão do histórico massacre.

DANCE OF DEATH
A peça decorativa do álbum, "Dance Of Death" é um conto sinistro apresentando letras poderosas/descritivas e "um som do demônio rápido e agradável" orientado pelas guitarras, que é melhorada pela banda toda à medida que ela solta a linha de um carretel demoníaco. A narração de histórias de Steve Harris em sua melhor e mais vívida forma.

GATES OF TOMORROW
Uma convocação imediata de guitarra se transforma em uma canção de passo incansavelmente rápido, estrelando um refrão de impacto e letras enigmáticas. E fique atento ao fervente solo na sua metade.

NEW FRONTIER
Só levou 20 anos, mas Nicko desfruta seu primeiro crédito como compositor com este conto que trata dos perigos de um homem tentando bancar Deus ao destruir a natureza. Mensagens aparte, é um ato 'up-tempo' exuberante que dá um pé legal na bunda do ouvinte.

PASCHENDALE
A segunda canção no álbum inspirada por batalhas históricas, desta vez pela Primeira Guerra Mundial. Depois de um começo cheio de tristeza, trazendo a figura de uma guitarra pontuda como uma agulha, a banda explode para dentro com um arranjo instrumental soando como uma barragem de fogo de artilharia. Outro épico memorável.

FACE IN THE SAND
Mais uma canção enigmática e atmosférica que exagera no drama enquanto ele cresce em intensidade, ela vem com uma grande melodia oscilante que é ecoada no solo de guitarra central. Cresce aos poucos no ouvinte, e de repente você verá a si mesmo cantarolando o refrão quando menos esperar!

THE AGE OF INNOCENCE
Depois de um começo enganador, suave e melódico, o humor muda de tristonho para rigoroso, à medida que Bruce cospe as letras de Steve sobre desilusão e injustiça e, semelhantemente, o refrão suave surpreendente contrasta com os riffs bate-estacas do verso.

JOURNEYMAN
Apesar de trazer guitarras acústicas e instrumentos de corda, não há nada de leve nesse encerramento do disco, que dão de mostruário belos vocais de Bruce. Seu coro truculento recusa em conceder ecos dos sentimentos presentes em "Wildest Dreams" e conclui/completa o álbum lindamente.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Steve Harris assiste show do Metallica no Canadá

14 acessosDuplas de guitarristas: Loudwire elenca suas dez melhores394 acessosBruce Dickinson: voando em um bombardeiro da II Guerra Mundial0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Bruce DickinsonBruce Dickinson
"Empresas precisam de fãs, não de clientes"

Iron MaidenIron Maiden
Como a banda tirou o pé do acelerador ao longo do tempo

Iron MaidenIron Maiden
A maior coleção do mundo no Guinness Book

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"

Mulheres no RockMulheres no Rock
As mais importantes segundo rádio inglesa

Yngwie MalmsteenYngwie Malmsteen
Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

GóticasGóticas
10 grandes bandas do gênero dos anos 80

5000 acessosIntrigas: Bandas em família que terminaram mal5000 acessosBeatles: Quais as pessoas e objetos da capa do Sgt. Peppers?5000 acessosPink Floyd: as 10 melhores escolhidas pela Ultimate Classic Rock5000 acessosSeparados no nascimento: Ronnie James Dio e Maria Bethania4003 acessosDinho Ouro Preto: A Dilma me incomodava, mas o impeachment me incomoda também5000 acessosDeep Purple: o exorcismo de Coverdale em "Stormbringer"

Sobre Leandro Testa

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Leandro Testa no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online