Mustaine: "Não sou o malvado que todos pensam"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Gustavo Hermann, Fonte: Great Falls Tribune
Enviar correções  |  Ver Acessos

O líder do MEGADETH, Dave Mustaine, falou recentemente com Patrick Douglas, do Great Falls Tribune, sobre o festival Gigantour 2006, que teve início no dia 6 de Setembro em Boise, Idaho.

Black Metal: banda brasileira fez clipe mais bizarro do universoSystem Of A Down: Daron Malakian ensina como ser músico

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"O Gigantour não é tanto um festival quanto é um espírito," explicou Mustaine. "É um estilo de vida e é uma maneira de capturar o significado do heavy metal. Eu estou realmente orgulhoso de estar nesse gênero de música."

"Há mais de 100 homens e mulheres lá fora todos os dias sob a minha asa," diz Mustaine sobre o staff da Gigantour.

"Como um garoto tocando guitarra aos 13 anos de idade, sentado no meu quarto, dedilhando junto com as músicas em um livro de tablaturas, eu nunca pensei que isso poderia acontecer, nem em um milhão de anos."

"Esse não é realmente um festival dark, negativo, perigoso. É totalmente metal, totalmente diversão. Não é como esses festivais que são realmente assustadores e as garotas vão parecendo com a Morticia Addams - o que na verdade eu achava sexy de certa forma."

"A principio a motivação foi apenas fazer algo antes que o interesse no Dave Mustaine acabasse e minha carreira tivesse terminada", diz ele. "Eu queria passar a tocha para a próxima geração e também queria dar algo para os fãs em troca do suporte que me deram no decorrer dos anos. É por isso que o talento é incrível."

Sobre o aprendizado com o último ano, que inaugurou a turnê:

"Como uma mulher que fica grávida, se ela se exercita, se cuida, usa vitamina E e massageia a pele, não ficará com estrias. Se ela não se importa com o que está acontecendo e apenas deixa tudo acontecer, não se exercita, etc, vai ter estrias. E essas estrias são para sempre. Nos negócios, estrias são ruins para a infraestrutura. Assim, o melhor é crescer a passos lentos e estar certo de que tudo será feito de forma adequada."

Sobre mostrar para o novo selo do Megadeth, Roadrunner Records, que ele não é o cara malvado que as pessoas fazem ele parecer:

"Eu estou realmente chocado que eles não acharam que eu estaria aberto para quaisquer sugestões", ele explica. "Eu não sou ruim, o cara malvado que todos pensam que sou... mas, se você me machucar, vou machucá-lo de volta de uma forma duas vezes pior. Eu não sou uma pessoa difícil. Sou exigente, quero o absolutamente melhor e é por isso que quero que a Gigantour seja brilhante para os fãs."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Megadeth"


Grammy: O que houve de melhor (e pior) relacionado ao rock/metalGrammy
O que houve de melhor (e pior) relacionado ao rock/metal

Dave Mustaine: pedindo desculpas a HetfieldDave Mustaine
Pedindo desculpas a Hetfield


Black Metal: banda brasileira fez clipe mais bizarro do universoBlack Metal
Banda brasileira fez clipe mais bizarro do universo

System Of A Down: Daron Malakian ensina como ser músicoSystem Of A Down
Daron Malakian ensina como ser músico


Sobre Gustavo Hermann

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Gustavo Hermann no Whiplash.Net.

adGoo336