John Petrucci: nossos fãs são muito apaixonados e nos apoiam

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar Correções  

Peter Hodgson do IHeartGuitarBlog.com, recentemente conduziu uma entrevista com o guitarrista John Petrucci do DREAM THEATER. Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

IHeartGuitarBlog.com: O álbum anterior, parecia que vocês estavam tentando fazer um álbum que definisse tudo, e este parece ser um pouco mais relaxado, mais exploratório. Esta é uma avaliação correta?

Petrucci: Nós definitivamente abordamos "A Dramatic Turn Of Events" como se tivéssemos algo para provar com o que nós estávamos compondo, e nós queríamos ter certeza de que havíamos criado algo que passasse a segurança para os nossos fãs de que estamos aqui para ficar e que está tudo bem e que estamos avançando de uma forma positiva. Definitivamente a tonalidade do álbum veio dessa forma, com certeza. Agora, mais essa: depois que o álbum saiu, e felizmente foi tão bem recebido, tivemos uma turnê de sucesso, onde pudemos aprender mais sobre Mike Mangini como pessoa e como baterista, e nós conseguimos deixar as coisas fluírem com este álbum e seguir em frente com um novo som, uma nova abordagem, talvez mais experimental. Eu acho que a musicalidade deste álbum soa mais tempestuosa. Quando estávamos fazendo algumas das seções individuais, nós quisemos capturar a vibe de tocar ao vivo e improvisar e brincar com esse tipo de sentimento que acontece quando você toca com todo mundo junto na banda. É assim que foi composto e é assim que acho que está acontecendo. Com o último álbum, não houve um baterista na sala enquanto escrevíamos, então provavelmente o som tem mais controle, e é isso - eu usei esse termo antes de descrever Mangini - mais solto. Mais livre.

publicidade

IHeartGuitarBlog.com: Você fez alguma coisa em particular, como produtor, facilitando essa forma de trabalhar?

publicidade

Petrucci: Sim, absolutamente. Desde o início, a fim de capturar isso, fizemos de forma totalmente diferente, não apenas no estúdio onde todo mundo toca ao vivo, mas tínhamos a certeza de que os sons que estávamos gravando, nessa fase muito precoce, eram sons que seriam úteis e que poderiam entrar no álbum. Então pegamos um tempo extra no início para pegar todos os sons de bateria, os sons de guitarra, baixo e tudo mais, de modo que pudéssemos compor, se éramos capazes de capturar esse momento enquanto escrevíamos, éramos capazes de realmente manter aquilo e integrá-lo, juntamente com todos os overdubs. E isso foi muito, muito útil. Como produtor, eu fui capaz de ouvir que o álbum estava ficando certo desde o início. Eu não precisei esperar até as mixagens para ouvir como a guitarra soaria. Tudo já estava soando dessa forma. Quando você ouvir o disco é daquela maneira que foi desde o primeiro dia.

publicidade

IHeartGuitarBlog.com: Deve ter sido um momento estranho antes do álbum sair, enquanto você ouvia os comentários das pessoas que já ouviram falar do registro, mas o público em geral ainda não pôde conferir.

Petrucci: Absolutamente! É como se você tivesse algo que te deixasse muito orgulhoso e você diz: "Olha isso! Ouça isso!". Tem essa sensação de excitação e antecipação, e um pouco de ansiedade, mas geralmente é orgulho. Você sente como se você tivesse trabalhado muito duro em algo e você simplesmente não pode esperar para compartilhá-lo. É disso que se trata: compartilhá-lo e ter essa experiência com os nossos fãs, que temos a sorte de ter.

publicidade

IHeartGuitarBlog.com: Bem, só de olhar para as reações em "The Enemy Inside", quando foi lançado...

Petrucci: Pois é!

IHeartGuitarBlog.com: Eu acho que eu não vi nenhum comentário negativo!

Petrucci: Viu? Yeah! Isso foi tão incrível! Isso foi tão incrível de se ver. E isso só me deixa mais feliz. Eu amo os nossos fãs, porque eles são muito mais exigentes, mas eles são muito apaixonados e apoiam bastante o que fazemos, por isso, quando eu vi esse tipo de reação eu fiquei tipo, "Viu? Isso é incrível pra caramba". Porque, para jogar pra fora algo que você está orgulhoso e as pessoas reagirem da mesma forma que você espera, significa que estamos todos na mesma sintonia, e é apenas um grande começo para todo este processo.

publicidade

Leia a entrevista completa (em inglês) no link abaixo:
http://iheartguitarblog.com/2013/09/petrucci.html

Fonte original desta matéria:
http://www.blabbermouth.net/news/dream-theater-guitarist-our...

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Sabaton: Exército brasileiro retribuiu homenagem da banda suecaSabaton
Exército brasileiro retribuiu homenagem da banda sueca

Gigwise: as capas mais polêmicas dos anos 2000Gigwise
As capas mais polêmicas dos anos 2000


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin