Teoria Musical: Conceitos básicos e simplificados para iniciantes

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Edu Leocádio, Fonte: Teoria Musical
Enviar Correções  

De fato, dentro do Rock N' Roll há uma grande movimentação de ouvintes críticos. Talvez por não ser um gênero musical tão bem aceito como os outros, os ouvintes sejam realmente mais críticos do que o padrão ouvinte brasileiro. Pensando nisso, foram separadas algumas definições de alguns conceitos musicais, claro, dá maneira mais simples possível.

Vanusa e Black Sabbath: a notável coincidência nos riffsAC/DC: prostitutas revelam as esquisitices de Phil Rudd

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

* O que é música? Música é a arte de expressar-se através da organização dos sons e do silêncio, o que inclui harmonia, melodia e ritmo.

* O que é harmonia? Conjunto de notas tocadas ao mesmo tempo, por exemplo, os acordes das guitarras base/rítmicas.

* O que é melodia? Melodia é a sequência de notas tocadas uma após a outra, por exemplo, os solos de guitarra.

* O que é ritmo? Combinação de sons e silêncio, marcando o tempo e a pulsação da música. Todos em uma banda precisam ter ritmo, sendo tanto os da harmonia quanto os da melodia, porém, um percursionista/baterista por exemplo, não necessita fazer também a harmonia ou melodia, já que sua função é rítmica.

Acordes: Os acordes são o conjunto de notas organizadas e formadas dentro de uma determinada escala. Podem ser tocados tanto como harmonia, com as notas soando juntas e de uma só vez ou como melodia, com as notas soando uma de cada vez. Quando os acordes são tocados como melodia, chamamos de arpejo.

Escala: É uma sequência de notas organizadas por intervalos de tons e semitons, geralmente, seguindo da frequência mais baixa para a mais alta, ou seja, das notas mais graves para as mais agudas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Intervalos: Os intervalos são as distâncias entre as notas, sendo que um semitom(ou meio tom) é o menor intervalo possível entre duas notas e, um tom, é a soma dois semitons.

Escala cromática: É uma escala que contém todas as notas possíveis e, segue em eternos intervalos de semitons. Observe abaixo as notas da escala cromática:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Exemplo: Dó, Dó sustenido, Ré, Ré sustenido, Mi, Fá, Fá sustenido, Sol, Sol sustenido, Lá, Lá sustenido, Si, Dó,Dó sustenido, Ré, Ré sustenido, Mi, Fá, Fá sustenido, Sol, Sol sustenido, Lá, Lá sustenido, Si, Dó [...]

Continuando assim infinitamente, apenas com a diferença de que, a cada repetição, as notas ficam cada vez mais agudas, ou seja, mais finas.

Escala maior: A escala maior, talvez a mais conhecida entre os não músicos segue uma organização de intervalos dentro da escala cromática, sendo assim, os intervalos de: Tom, Tom, Semitom, Tom, Tom, Tom, Semitom. Formando assim, por exemplo, a escala de dó maior:

Dó, Ré, mi, Fá, Sol, Lá, Si, Dó

Resumo sobre a formação de Escalas maiores: De dó pra Ré, temos o intervalo de Um Tom(2 notas na cromática), de Ré pra Mi, temos mais um intervalo de Um tom, de Mi pra Fá, temos o intervalo de Um Semitom, e assim vai seguindo. Caso queira formar escalas maiores em outras tonalidades sem ser a de Dó, basta iniciar a escala cromática da nota desejada e seguir os intervalos citados acima. Exemplo abaixo com as notas da escala em parenteses, no caso, usamos a tonalidade de Ré Maior.

(Ré), Ré sustenido, (Mi), Fá, (Fá sustenido), (Sol), Sol sustenido, (Lá), Lá sustenido, (Si), Dó,(Dó sustenido), (Ré).

Notas no piano: No piano, as notas naturais se encontram nas teclas brancas, enquanto as notas acidentadas (Sustenidos e Bemois) se encontram nas teclas pretas.

Notas no violão: O violão, geralmente, possui seis cordas e uma sequência bem variada de casas alcançáveis. Cada casa corresponde a uma nota e é dividida por uma barra de ferro, chamada de traste. As cordas do violão são contadas de baixo para cima, sendo assim:

1) Mi(Mizinha/aguda)
2) Si
3) Sol
4) Ré
5) Lá
6) Mi (Mizona/grave)

Cada casa no violão, equivale a um semitom e a corda solta vale como se fosse uma casa zero. Sendo assim, se ao tocarmos a primeira corda solta fazemos Mi, ao tocar na primeira casa fazemos Fá, pois o Fá está um semitom a frente do Mi dentro da Escala Cromática e se tocarmos na segunda casa, teremos a nota fá sustenido, já que o fá sustenido está um semitom na frente do Fá e um Tom(2 semitons/Duas casas) na frente do Mi. Esta sequência se repete em todas as cordas.

Formação de acordes maiores: Agora que sabemos como formar escalas maiores, podemos formar acordes selecionando notas de dentro delas. Para formar um acorde maior, devemos escolher a Tônica(primeira nota da escala), Terça(terceira nota da escala) e a quinta(quinta nota da escala) formando assim a triade do acorde. Abaixo segue a escala de dó maior e as notas do acorde de Dó maior entre parenteses.

Exemplo: (Dó), Ré, (Mi), Fá, (Sol), Lá, Si

Tríade de Dó maior: Dó, Mi e Sol. Ao tocar estas três notas ao mesmo tempo, tocamos um acorde de Dó Maior.

A mesma regra se repete em outras tonalidades e, para formar acordes menores sem se estender muito, deixo a dica que de que desça a terça de um acorde maior um semitom.

Exemplo:

Tríade de Dó Maior: Dó, Mi e Sol
Tríade de Dó menor: Dó, Ré sustenido e Sol

Cifras: As cifras são um modo muito usado para representar as notas através de letras, segue abaixo quais letras representam quais notas:

C= Dó
D= Ré
E= Mi
F= Fá
G= Sol
A= Lá
B= Si
#= sustenido
b= Bemol

Diferenças entre sustenido e bemol: Sustenidos e o bemol são nomes que utilizamos para classificar os acidentes - notas não naturais - da escala cromática. Uma mesma mota pode ser considerada tanto sustenida quanto bemolizada.

O sustenido: É a quando uma noa está meio tom na frente de outra.

O Bemol: É quando uma nota está meio tom atrás de outra.

Sendo assim, um Dó sustenido ao mesmo tempo também é Ré Bemol.

Para encerrar, explico a formação de uma das escalas mais usadas dentro dos clássicos do blues e do Rock N' Roll: A escala Pentatonica.

Para formar a escala pentatonica, como o próprio nome sugere, devemos diminuir o número de sete notas por escala para cinco. Então, ao remover dois graus bem dissonantes que são o quarto e o sétimo, formamos escala pentatonica. Segue abaixo entre parenteses as notas da escala pentatonica dentro da escala maior:

(Dó), (Ré), (Mi), Fá, (Sol), (Lá), Si, (Dó)

Pentatonica de Dó Maior: Dó, Ré, Mi, Sol, Lá, Dó

Este foi um resumão sobre alguns conceitos básicos de formação de acordes e escalas maiores. Espero que este artigo sirva como primeiro passo aos que estão iniciando na arte da música ou, que agora você possa pelo menos fingir não ser totalmente zerado na boa arte da malandragem e improvisação com as poucas informações.

Sugestão do autor - Guitarristas que mudaram minha visão sobre a música:

Paul Gilbert, Jeff Beck, Robert Johnson, B. B King, Eric Clapton, Eddie Van Halen, Kiko Loureiro, Juninho Afram, John Petrucci, Steve Vai, Joe Satriani, Malmsteen, John Mayer

Segue abaixo alguns links interessantes e simples para caso queira estudar:

http://www.descomplicandoamusica.com/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Escala_maior
http://pt.wikipedia.org/wiki/Escala_menor
https://candidosalesg.wordpress.com/2010/04/14/formacao-de-a...
http://guitarraparainiciantes.com.br/formacao-de-acordes/
http://www.allansales.com.br/formacao-de-acordes-triades/
http://pt.slideshare.net/paulo_206/inverso-de-acordes-teclad...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Vanusa e Black Sabbath: a notável coincidência nos riffsVanusa e Black Sabbath
A notável coincidência nos riffs

AC/DC: prostitutas revelam as esquisitices de Phil RuddAC/DC
Prostitutas revelam as esquisitices de Phil Rudd


Sobre Edu Leocádio

Nascido em 1996, carioca e meritiense. Guitarrista e violonista cristão. Caminhando no rumo esquerdo da vida.

Mais matérias de Edu Leocádio no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280