Geddy Lee: o Rush é totalmente dependente dos três integrantes

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernando Portelada, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar Correções  

O Fender.com recentemente entrou em contato com o frontman do RUSH, Geddy Lee, para discutir o apelo da banda e o que os tornam tão únicos na cena musical. Um trecho dessa história está disponível abaixo.

Há uma longa lista de fatores que tornam o RUSH uma banda única – sua decência humana, sua musicalidade incrível, e a habilidade de composição são somente alguns. Ou, como Dave Grohl afirmou, eles continuaram verdadeiros a si mesmos como artistas, ao invés de procurar um sucesso comercial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"É a forma que trabalhamos", afirmou Lee. "Nós fazemos o que parece certo e esperamos que as outras pessoas gostem. Nós fazemos música que nos deixa felizes, nós não sentamos e escrevemos músicas, porque a audiência vai gostar. Nós escrevemos música porque curtimos e esperamos que eles curtam também. Por isso que nossa carreira sempre esteve em corda bamba, porque não é programada, não tem esse grande plano que estamos tentando carregar. É algo natural, orgânica, que evoluiu, faz erros e algumas vezes se move para frente, algumas vezes para trás e algumas vezes de lado."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas talvez o que seja o mais impressionante no RUSH após 40 anos é que esses homens ainda tem uma profunda dedicação uns com os outros, com um sentimento de "Três mosqueteiros", um por todos e todos por um, uma mentalidade que não é encontrada em muitas bandas atuais.

"Você passa 40 anos com as mesmas pessoas e todo nosso coração, suor e personalidade acaba indo na música que fazemos", explicou Lee. "Também é uma amizade, um clube colaborativo. Está conectado com nossas personalidades, está conectado com os seres humanos. Não é algo que uma pessoa pode entrar e fazer parte. É algo que depende das três pessoas que estão na banda, e se um sair ou não quiser tocar mais, nós não podemos substituir essa pessoa por outra. Vai mudar a química, vai mudar a dinâmica e seria, portanto, uma banda diferente."

"O RUSH, como eu vejo, é um ser vivo, dependente, interdependente e conectado com os três bobões que estão nessa banda. E é assim que deve permanecer."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1


Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

WhiFin Goo336 Goo728 Cli336