Tony Iommi: guitarrista é impotente e violento, diz Lita Ford

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar Correções  

Parece que a autoria de livros autobiográficos 'escritos' por astros do rock onde se vangloria por extravagâncias sexuais e acusações de crocodilagem por parte de parceiros amorosos deixou de ser exclusividade de músicos homens.

Em seu primeiro livro, 'Living Like A Runaway', a musa-mor do hard rock oitentista LITA FORD, que alcançou projeção mundial ainda nos anos 70 quando foi integrante das RUNAWAYS, conta tudo.

publicidade

Dentre várias passagens bastante pesadas, Ford comenta a respeito do começo da década de 80, quando ela abriu para o BLACK SABBATH e passou algum tempo com seu ídolo da guitarra, TONY IOMMI. 'Ele parecia tão sedutor, autoconfiante e bonito', ela escreve. 'Eu viria a descobrir depois que as aparências podem enganar. '

publicidade

Eles acabaram 'se pegando um pouco' naquela noite, 'Mas foi só o que ele conseguiu, porque ele estava muito chapado', ela escreve, tendo notado a copiosa quantidade de cocaína presente no ambiente.

publicidade

'Ele estava impotente devido ao constante uso de drogas, e ele ficava muito constrangido. Eu me senti mal por ele e não sabia exatamente o que fazer. Eventualmente, eu consegui fazê-lo gozar. '

Eles mantiveram contato um com o outro, o relacionamento progrediu e ela ficou entusiasmada quando Iommi a convidou até a Inglaterra para conhecer sua mãe.

publicidade

O casal estava no avião, e tão logo a aeronave começou a se movimentar, Iommi, 'do nada… se virou e me deu um soco no olho. '

Ela se viu presa em um voo de 10 horas de duração com um homem que tinha acabado de misteriosamente transformar-se de amante em agressor e passou as 10 horas isolada na coxia das aeromoças. Ela planejava voltar para Los Angeles tão logo eles aterrissassem, mas Iommi agiu como se nada tivesse acontecido, e ela decidiu ficar, como – palavras dela – 'uma idiota. '

publicidade

A mãe de Iommi viu o olho roxo de Lita, e foi aí que a cantora soube que violência contra mulheres era típico daquela família, e que o pai do fundador do Sabbath costumava fazer a mesma coisa.

Ela e Iommi chegariam eventualmente a serem noivos, e ele a agrediu violentamente quatro ou cinco vezes durante o relacionamento. O pior veio logo depois de ele ter dado o anel de noivado a ela.

publicidade

'Depois de cheirar um caminhão de farinha, ele ficou irritado e me estrangulou até que eu desmaiasse', ela escreve. 'Quando acordei, eu o vi segurando uma cadeira por cima da minha cabeça. Era uma cadeira grande e pesada de couro com rebites ao redor dos braços, e ele estava prestes a arrebentá-la na minha cara. Eu me rolei pro lado, e sai correndo rápido o suficiente para ele não me acertar e a cadeira se arrebentou no chão. '

publicidade

Ela correu pro lado de fora e pensou no lugar mais seguro que ela poderia ir. Descartando a casa de seus pais, já que seu pai 'assassinaria' Iommi, ela foi de carro até a casa do ex-namorado, NIKKI SIXX, do MÖTLEY CRÜE.

'Living Like A Runaway' não tem previsão de lançamento no Brasil.

Lita Ford: rebatendo críticas à revelação sobre Tony IommiLita Ford
Rebatendo críticas à revelação sobre Tony Iommi

publicidade



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bandas Iniciantes: 17 maneiras de assassinar sua carreira musicalBandas Iniciantes
17 maneiras de assassinar sua carreira musical

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin