Damião Experiença: morre o lendário artista brasileiro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Luiz Pimentel, Fonte: Blog do Luiz Pimentel
Enviar correções  |  Ver Acessos

Se bem lembro, lá pelos anos 1980 ele era saudado pelos jornalistas como o fino do cult. Um reconhecimento, considero, infantil, já que era assumidamente tosco e, como tal, era reverenciado por alguns críticos claramente por isso, para que mostrassem que só esses escribas-fãs conseguiam enxergar a arte escondida numa confusão sonora e letras em linguagem muitas vezes inventadas pelo próprio.

Rockstars: as esposas mais lindas do rock - 1ª partePolêmica: as músicas mais controversas da história do Rock

A verdade é que ele era desequilibrado. Nascido na Bahia, segundo muitos em Lauro de Freitas, em 1935, a forma era muito mais relevante que sua música.

Ele nunca teve gravadora, nunca teve formalidade na produção e muito menos no lançamento de seus discos. Soltou uns 35 trabalhos. Com títulos tão engraçados quanto bizarros. "Damião Experiença no Planeta Lavoura" (1978), "Damião Experiença Chupando Cana Verde no Planeta Lamma / Damião Experiença Cheirando Alho no Planeta Lamma", "Damião Experiença no Planeta Mendigo", "Planeta Quentão", "Planeta Cachaça", "Planeta Cabelo", "Cemitério Nazismo" e, meu preferido, "AdeusAdolfHitler1945fim".

Morava no Rio, em apartamento condizente aos títulos que dava às obras, cheio de entulhos, caixas de pizza, garrafas de refrigerantes e discos. Tocava na rua e vendia seus discos igualmente por elas.

A lenda diz que mudou para o Rio para trabalhar na Marinha, caiu de um mastro, acidente que teria gerado sua confusão mental.

Não aceitava convites para shows e teve uma única participação ilustre conhecida, na música "Forró de Janeiro", do disco "Pérola Negra", de Luiz Melodia, no começo dos anos 70.

Em entrevista ao jornal O Globo, ano passado, terminou com uma das suas: "Dizem que minhas músicas estão na internet. Se estiverem, pode copiar. É tudo de graça."

Tá aí uma dele, de 1999. " Linguagem do Povo do Infinito ao Universo de Rose".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Damião Experiença"


Rockstars: as esposas mais lindas do rock - 1ª parteRockstars
As esposas mais lindas do rock - 1ª parte

Polêmica: as músicas mais controversas da história do RockPolêmica
As músicas mais controversas da história do Rock

Tradução: The Dark Side Of The Moon, do Pink FloydTradução
The Dark Side Of The Moon, do Pink Floyd

Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityGuns e Sabbath
Semelhança entre Zero the Hero e Paradise City

Fotos: confira 10 das mais curiosas no mundo do Rock - Parte 1Fotos
Confira 10 das mais curiosas no mundo do Rock - Parte 1

AC/DC: as melhores músicas com Bon ScottAC/DC
As melhores músicas com Bon Scott

Reginaldo Rossi: o rock era influência em algumas músicas do ReiReginaldo Rossi
O rock era influência em algumas músicas do Rei


Sobre Luiz Pimentel

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336|adClio336