Matérias Mais Lidas

imagemSteven Tyler dá entrada em clínica de reabilitação após sofrer recaída

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEncontro entre Paul Di'Anno e Steve Harris resultou em "algo que será discutido"

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemO dia que os membros do Black Sabbath foram amaldiçoados por uma seita satânica

imagemNick Mason relembra a época que o Pink Floyd desastrosamente tentou tocar reggae

imagemMark Tremonti, do Alter Bridge, revela que é grande fã de lendária banda de metal

imagemShavo Odadjian, baixista do System Of A Down, conta quais álbuns mudaram sua vida

imagemO que Adrian Smith descobriu ao retornar ao Iron Maiden

imagemAs composições de Paul McCartney nos Beatles preferidas de John Lennon

imagemIntegrantes do Rush relembram a época que abriram shows para o Kiss, em 1975

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemGene Simmons compartilha tweet com meme da ex-presidente Dilma Rousseff

imagemMarcello Pompeu agradece mobilização de fãs


Stamp

Metallica: o que Bob Rock fez para mudar o som do baixo no Black Album

Por Igor Miranda
Em 24/07/20

O produtor Bob Rock disse, em entrevista ao Tone Talks, o que fez para mudar o som do baixo de Jason Newsted no álbum autointitulado do Metallica, também conhecido como "Black Album", de 1991. Foi o primeiro trabalho da banda com Bob, que tinha uma missão dura com relação ao baixo - o disco anterior, "...And Justice For All" (1988), é notável justamente por ter suprimido a sonoridade do instrumento.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A primeira mudança foi de mentalidade, segundo Bob Rock. "O que nós fizemos com o som de Jason... na pré-produção, ele tinha um timbre mais agudo, quase um som de guitarra. Começamos a fazê-lo tocar mais com a bateria, aumentando o fundo como baixista. Era para se tornar uma seção rítmica em vez de tê-lo apenas duplicando o som da guitarra", afirmou, conforme transcrito pelo Ultimate Guitar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para chegar a esse objetivo, foi necessário, inclusive, promover uma mudança no equipamento usado por Jason Newsted. "Tentamos todo baixo e todo amplificador existentes. Fizemos muitos testes. Adivinha com o que terminamos? Um Ampeg SVT (amplificador) e um baixo Fender Precision", contou o produtor, mencionando dois equipamentos bem famosos.

No fim das contas, Bob Rock conseguiu obter o resultado sem mudar tanto a essência de Jason Newsted. "Jason abraçou isso e, claro, ele já tinha uma coleção desses instrumentos. É curioso que tentamos tudo e que ele não fica só duplicando a guitarra no 'Black Album', mas ele também faz isso varias vezes. Só que, no fim, ele tocou como um baixista propriamente dito, amarrado com a bateria, o que preencheu o som. Há baixo naquele álbum", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A produção de "...And Justice For All"

Em outra entrevista, concedida ao canal da Gibson no YouTube no início deste ano, Bob Rock chegou a dizer que a produção de "...And Justice For All", primeiro com Jason Newsted no baixo, não fazia sentido. A função é assumida por Flemming Rasmussen, em parceria com o baterista Lars Ulrich e o vocalista e guitarrista James Hetfield.

"Fui ver o The Cult abrindo um show do Metallica, fiquei para o show principal e o que vi ali não era o som do '...And Justice For All' - era uma grande banda, com peso e tamanho. O álbum não fazia sentido para mim. Sei que é um disco adorado por muitos, mas estou apenas sendo honesto", comentou, na ocasião. Pouco tempo depois, Bob acabou convidado pelo Metallica a gravar o disco seguinte, pois eles gostaram muito do resultado obtido por ele em "Dr. Feelgood" (1989), do Mötley Crüe.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

imagemMetallica: Bob Rock diz que produção de And Justice For All não faz sentido

Neste mesmo bate-papo, o produtor revelou uma pequena mudança que fez na sonoridade do Metallica logo nos primeiros dias de trabalho no "Black Album". Embora tenha curtido a música "Enter Sandman", ele estranhou o fato de todas as canções apresentadas da banda terem o mesmo tom: a nota mi (representada pela letra E).

"Perguntei o porquê e James, me olhando como se fosse me matar, disse: 'mi é a nota mais grave'. Então, falei: 'Black Sabbath e Mötley Crüe abaixaram suas afinações para ré (ou D)'. Perguntei se já haviam tentado isso e ele disse que não. Tentaram em 'Sad But True', tocaram uma vez e ficaram impressionados com o resultado. Eles começaram a gostar um pouco mais de mim naquele dia, apenas um pouco (risos)", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

imagemMetallica: a mudança sugerida por Bob Rock que fez a banda gostar mais dele

Comente: Qual a sua opinião sobre o Black Album?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.