Matérias Mais Lidas

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemO segredo da longevidade do baixista do Guns N' Roses tem inspiração nos Stones

imagemApós resposta de Malmsteen, Jeff Scott Soto rebate guitarrista e diz que deseja paz

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemMalmsteen ameaça cancelar show por que vocalista Jeff Scott Soto estava no local

imagemKirk Hammett relembra "Metallica x Napster": "avisamos todo mundo o que aconteceria"

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemVangelis, compositor de cinema e lenda do prog rock grego, morre aos 79 anos


PRB

Chris Cornell: como era o misterioso cantor na "vida real", segundo Tom Morello

Por Igor Miranda
Em 22/12/20

Chris Cornell, que nos deixou em 2017, foi um dos vocalistas mais emblemáticos a surgir com o movimento grunge, na década de 90. O guitarrista Tom Morello, que tocou com Cornell no Audioslave, revelou em entrevista como era o cantor, a quem ele definiu como "um cara misterioso".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Durante o bate-papo, que rolou no canal "Q on CBC" e teve transcrição do Ultimate Guitar, Morello disse que Cornell era "um cara super mítico na vida real". "Nunca deixei de ser fã de Chris. Ele era um amigo, um colega de banda, mas era um cara misterioso", disse, inicialmente.

Em seguida, Tom destacou que conhecia Chris apenas por encontrá-lo em shows e festas. O primeiro contato real foi quando, acompanhado do produtor Rick Rubin, o guitarrista o visitou e convidou para entrar no Audioslave.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A situação, bastante peculiar, foi narrada por Morello como exemplo de como Chris Cornell era "na vida real".

"Encontrávamos Chris em shows, talvez em churrascos ou coisas assim, mas Tim (Commerford, baixista), Brad (Wilk, baterista) e eu falamos com Rick Rubin e eu fui com Rick à casa de Chris. Ele estava morando em Ojai, que ficava a uma hora e meia de Los Angeles", afirmou.

O guitarrista, então, descreveu o local: "Lá, o céu parece mais escuro e é mais arborizado e quase como Transilvânia. E, claro, a casa de Chris era a mais distante, parecida com um castelo espanhol, na colina mais solitária".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Assim que chegaram, Tom e Rick se depararam com algumas motocicletas, além de uma longa escadaria. "As portas se abriram ao estilo 'A Família Addams', ninguém abriu. Então, chega Chris em sua forma esguia, com seus 1,90m de altura, descendo lentamente as escadas. Rick logo me falou: 'vamos dar o fora daqui' (risos). Sentíamos que nossas almas estavam em perigo", destacou.

Morello apontou que essa história servia para exemplificar que "havia algo diferente com Chris". "Parte significativa da genialidade artística dele estava entrelaçada com esses demônios que estavam ali desde sua infância. Dava para sentir isso nas músicas e letras dele, assim como na vida dele. Havia partes ali que eu jamais tive acesso", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por fim, o guitarrista declarou que pensa em Chris Cornell todos os dias. "O lado bom é que temos todas essas memórias e esses discos. Ele fez muitas boas músicas, das quais poderemos desfrutar para sempre. Penso nele todos os dias", concluiu.

A entrevista pode ser ouvida na íntegra, em inglês e sem legendas, no player de vídeo a seguir.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.