Marky Ramone: Rio de Metal entrevista o músico

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Sigried Neutzling Buchweitz, Fonte: Rio de Metal
Enviar correções  |  Comentários  | 

Em comemoração aos 17 anos do Bar Bukowski, eles chamaram a banda Blitzkrieg de Marky Ramone para um show no dia 18 deste mês, imperdível pra quem curte o som cru e contestador do punk rock.

924 acessosCanal NB: Charles Manson e as influências na música5000 acessosListed: TV americana elege os maiores bad boys da música

Como todos sabem, este blog (http://riodemetal.blogspot.com.br) é voltado para a cena independente carioca, então, aproveitou-se a oportunidade para conhecer um pouco mais sobre o envolvimento de Marky Ramone com a cena brasileira e suas impressões sobre o Rio de Janeiro. confiram!

Você já fez vários tours pelo Brasil e o Rio de Janeiro foi um dos seus destinos por mais de uma vez. Como você percebe o público brasileiro, especialmente aqui no Rio? Fale também sobre sua experiência na edição de 2013 do Rock in Rio.

Marky Ramone: Eu amo o público da América do Sul em geral, o Brasil sempre foi ótimo para mim. O Rio é uma cidade linda, apesar de todos os problemas. Tive a sorte de fazer todos os lugares turísticos antes e tivemos uma explosão. Rock in Rio ... Uau, sim. Grande show, foi divertido estar lá.

Em 2005, você estava com a banda gaúcha de punk rock Tequila Baby, com quem fez quatro shows por lá e gravou um álbum no ano seguinte. Conte-nos sobre a experiência com esses músicos brasileiros.

MR: Eu gosto de jogar com diferentes músicos de todo o mundo. Isso me inspira a sentir energia e a visão deles da música que toco. Tequila Baby é ótima, boa vibe, com gente boa. Tocamos muitos shows juntos e eu ainda os vejo aqui e acolá. Eu também toquei com Os Raimundos há uns tempos, gravamos um álbum ao vivo... e nunca fui pago...

Além de Tequila Baby, você teve a oportunidade de ver o trabalho de outras bandas e músicos do Brasil, especialmente aqui no Rio? Nesse caso, quem você gostaria de destacar?

MR: Eu realmente não conheço nenhuma banda carioca, há alguma que você pode recomendar? Deixe-me saber e eu colocarei pra tocar em meu programa de rádio nos EUA.

Eu conheço Os Raimundos, Sepultura... Derrick é um bom amigo. Eu tenho que admitir que eu sou ruim com nomes, já que eu sou apresentado a tantas pessoas ....

Com Blitzkrieg, dois singles foram lançados. O mais recente, "If and When" em 2011 e "When We Were Angels", em 2009. Há uma diferença entre a forma como estas obras recentes de som e o que você fez com Ramones ou mesmo com outras bandas punk: eles estão relacionados, mas há é algo mais melódico e suave, eu diria. Eu gostaria de saber mais sobre esta nova abordagem.

MR: Não havia nenhum "plano" para gravar algo mais melódico, simplesmente saiu como nos sentimos ao fazer essas músicas.

Como você vê a cena atual de punk rock e rock em geral? Você entrou na cena de música em Nova York nos anos 70 com a banda Dust e viveu diferentes cenários ao longo do tempo. O que você considera positivo e negativo em cada uma dessas décadas, por exemplo?

MR: Eu acho que a cena punk está firme e forte mesmo que o meu gosto pessoal seja diferente. Cada geração manifesta a sua raiva através da música e sempre haverá as crianças na garagem que vão criar um nome para si. Gosto de Offspring, Green Day... das bandas "menores" Eu gosto do Gallows do Reino Unido no momento. Em geral, eu não acho que o punk não possa ser famoso. As pessoas acham que o punk significa pobre, underground e desconhecido. Eu não penso assim. De uma forma Frank Sinatra era punk, ele fez tudo à "sua" maneira e conseguiu.

Em entrevista à revista Modern Drummer você disse que no início da sua carreira você era menor de idade e, portanto, não poderia realizar espectáculos sem que alguém mais velho do que 21 não o acompanhasse. Uma das questões que vemos no cenário do rock aqui no Rio de Janeiro é que uma legião de adolescentes curte o som, mas estão proibidos de entrar a maioria dos locais, numa situação semelhante à encontrada por você, baseado em questões legais. O fato é que começamos a moldar os nossos gostos musicais na adolescência e sendo proibido de entrar onde bandas locais se apresentam pode ser um pouco frustrante... Conte-nos um pouco sobre como era naquela época.

MR: Como você sabe em os EUA existem leis rigorosas em matéria de álcool, os menores etc etc. Por um lado é ruim, mas por outro lado... você realmente quer bêbados jovens de 15 anos em shows?

Além da música, você tem envolvimento com quadrinhos e culinária. Eu adoraria ouvir sobre isso.

MR: Eu amo SCI-FI clássico e horror. Ray Harryhausen, Godzilla, Universal Monsters todas essas coisas velhas. Eu coleciono robôs de brinquedo também, os antigos de lata. E cartazes vintage. Eu gostaria de ter uma casa maior para colocar tudo em exposição. No momento eu estou revezando e mudando tudo na casa uma vez por ano. Algumas coisas voltam pro porão, coisas novas vem à tona.

Culinária - como você sabe que eu não bebo, portanto, eu gosto de passar o tempo livre indo atrás de bons restaurantes ao redor do mundo. Eu amo a idéia da culinária tradional, receitas veeeelhas, como meus molho de tomate da minha avó...

O Brasil tem ótimos lugares para comer, especialmente São Paulo, meu amigo Henrique do restaurante SAL é ótimo, vamos lá o tempo todo.

Em geral eu gosto de estar ocupado, portanto, eu me envolver em todos os tipos de empreendimentos.

Obrigado pelo apoio. Vejo vocês em breve.

Marky Ramone. Fonte: divulgação Bar Bukowski
Marky Ramone. Fonte: divulgação Bar Bukowski

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

924 acessosCanal NB: Charles Manson e as influências na música942 acessosRamones: unboxing das duas recentes box-sets591 acessosRamones: a resenha do álbum "Pleasant Dreams"556 acessosRamones: "Rocket To Russia" ganha edição super deluxe600 acessosRamones: "Rocket to Russia" ganha edição expandida em CD triplo0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Ramones"

CJ RamoneCJ Ramone
"Usar camisa dos Ramones por causa da moda é estúpido"

Marky RamoneMarky Ramone
Inventando "ferramenta" contra smartphone em show

RamonesRamones
Morre o baterista e produtor Tommy Ramone

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Ramones"0 acessosTodas as matérias sobre "Blitzkrieg"0 acessosTodas as matérias sobre "Dust"0 acessosTodas as matérias sobre "Tequila Baby"0 acessosTodas as matérias sobre "Raimundos"


ListedListed
TV americana elege os maiores bad boys da música

Drogas e ÁlcoolDrogas e Álcool
Protagonistas nos piores shows de grandes astros

CretinCretin
Transexual rompe barreiras no metal extremo

5000 acessosDebandados: saíram de uma banda e formaram outras de igual pra melhor5000 acessosSeparados no nascimento: Dave Mustaine e Mika Hakkinen5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil4196 acessosIron Maiden: "Não sabíamos se haveria futuro para nós"5000 acessosAC/DC: Os Top 10 solos de guitarra de Angus Young5000 acessosZakk Wylde: "Black Sabbath com o Dio não é Black Sabbath"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Sigried Neutzling Buchweitz

Sou arquiteta e urbanista, blogueira nas horas vagas, apaixonada por novidades sonoras. Por isso edito o blog Rio de Metal, pra ajudar a divulgar eventos e bandas (autorais) independentes de rock pesado que acontecem no estado do Rio de Janeiro. De vez em quando, falo de outros assuntos ligados a esse som poderoso que é o Metal, tipo arquitetura, decoração, humor... Gosto muito quando os leitores participam com comentários!

Mais matérias de Sigried Neutzling Buchweitz no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online