Van Halen: Gary Cherone reflete sobre os anos na banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Karla Aquino, Fonte: Rolling Stone, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Andy Greene do site rollingsotone.com recentemente conduziu uma entrevista com o ex vocalista do VAN HALEN do final da década de 90, Gary Cherone, sobre sua breve participação na banda.

Iron Maiden: "Tenho inveja dos fogos do Slipknot",diz BruceExcessos: como os rockstars gastam os seus milhões

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

RollingStone.com: O novo álbum do VAN HALEN parece ser feito, em sua grande parte, de material antigo. Você acha que eles pegaram músicas de gaveta para o "Van Halen III" ou compuseram novas letras?

Gary: O álbum "Van Halen III" foi feito em grande parte com material novo. Algum material que já fizemos antes entrou nesse álbum. Eu ouvi amostras dele, o que está maravilhoso, mas a maior parte ainda não escutei. Amaria escutar na íntegra. Tem uma parte instrumental, a qual também escrevi, mas ainda não sei qual o nome dela.

RollingStone.com: É interessante como a maior parte do álbum parece ter sido feita a partir de material antigo. É como um tipo de reconhecimento de que a banda não pode escrever da mesma forma que costumavam.

Gary: Em defesa de Ed, digo que sempre tinha mais material do que eu poderia fazer. Me lembro de onde estava guardado o material do (álbum) 5150 e havia algo que me parecia centenas de polegadas de rolo de fita. Tudo preenchido com jams e riffs. Não sei de quem foi a ideia de fazer o álbum da maneira como foi feito, eles quiseram recapturar o ponto de partida da banda. Faria sentido se voltassem nas demos, antes do primeiro álbum, e usado elas como ponto de partida. Mas conhecendo Eddie, ele provavelmente renovou todas suas ligações. Pelo que eu escutei, ele está pegando fogo.

RollingStone.com: Algum palpite sobre o novo material do VAN HALEN?

Gary: Não posso mais chegar em conclusões do que aqueles caras escrevem hoje em dia. Penso que eles voltaram para o material da explosão inicial do VAN HALEN. Eddie se tornou um diferente compositor durante os anos em que Hagar era o vocalista. Ele está mais para o tipo artesão. Cara, eu gostaria de ter escutado esses riffs quando eu estava na banda. Eles fazem parte do timbre puro de Eddie Van Halen. Não acho que o lançamento de "Tattoo" foi um passo em falso. Acho que é um bom som, só que é mais para o lado pop da banda. Escutei outros rumores de que eles escolheram ela como primeiro single do álbum de forma aleatória.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Van Halen"Todas as matérias sobre "Gary Cherone"


Deep Purple: Eddie Van Halen toca riffs clássicos de Ritchie BlackmoreDeep Purple
Eddie Van Halen toca riffs clássicos de Ritchie Blackmore

Music Radar: dez guitarras que mudaram a músicaMusic Radar
Dez guitarras que mudaram a música


Iron Maiden: Tenho inveja dos fogos do Slipknot,diz BruceIron Maiden
"Tenho inveja dos fogos do Slipknot",diz Bruce

Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões


Sobre Karla Aquino

Karla Aquino é uma jornalista e produtora de vídeos que sempre coloca trilhas sonoras para acompanhá-la diariamente. Fascinada por terror, aprendeu com Stephen King a adorar AC/DC e, por consequência, os clássicos do rock and roll. Ama tatuagens e toca guitarra meia boca, mas um dia será a versão feminina de Eddie van Halen.

Mais matérias de Karla Aquino no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL