Metallica: "Amor e momentos positivos no 'Death Magnetic'"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Douglas Morita, Fonte: Metallica Remains
Enviar correções  |  Comentários  | 

A News.com.au da Austrália realizou uma entrevista recentemente com o baterista do METALLICA, Lars Ulrich. Alguns trechos da conversa podem ser conferidos abaixo.

3123 acessosBill Ward: os dez discos de metal favoritos do baterista5000 acessosMomentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outros

Sobre sua vida fora do Metallica:

"Nós todos vivemos vidas normais e quietas nos subúrbios de São Francisco, levando nossos filhos à escola. Minhas responsabilidades são acordar às 6h30 da manhã e preparar as lancheiras. Sair em Paris para programas de TV e ter jantares chiques e beber vinhos franceses caros, não é exatamente trabalho duro. Eu digo às pessoas comigo que elas têm permissão de me estapear se eu reclamar alguma vez. Ninguém me estapeou o suficiente porque tem medo, mas eu os encorajo."

"Eu vejo cada vez mais o Metallica como minha fuga das responsabilidades reais que são meus filhos e família e minha situação doméstica. Muitas pessoas usam a palavra emprego ou trabalho, mas isto é divertido, é uma fuga sair em turnê. Eu durmo mais em turnê do que quando estou em casa."

Sobre o "Death Magnetic":

"Não é o disco mais feliz. Há um tópico rolando em todas as músicas, sobre morte e suicídio, desespero e miséria e estar ferrado. 'Death Magnetic' foi uma forma, um jeito de resumir tudo isso."

"As letras sempre são importantes para o Metallica. Elas não podem ser forçadas e estas surgiram bem tarde no processo, tudo da mente insana do único James Hetfield."

"Eu estava perplexo com quão boas as letras eram. E perplexo com quanta merda estava rolando em sua mente, quantas coisas ainda rolavam na cabeça do pobre homem. Então eu fiquei feliz do ponto de vista criativo mas um pouco preocupado com o cara."

Sobre quem foi o primeiro a chamar o Metallica de volta ao estúdio:

"Mick Jagger. E eu vou te dizer porque foi o Mick Jagger. Um dos seus representantes ligou para os representantes do Metallica no outono [americano] de 2005 e perguntou se a gente tocaria com os Rolling Stones em São Francisco. Nossa resposta foi 'Tudo bem, que se foda, nós vamos tocar com os Stones porque é algo que todo mundo deveria fazer alguma vez na vida'. Nós nos encontramos uma semana antes dos shows depois de passarmos boa parte do ano descansando e começamos a ensaiar e sair. Nós nos divertimos tanto que literalmente depois do show dos Stones, nós viemos e começamos a passar pelas fitas demos."

Sobre o processo de gravação:

"Quando você está tentando acertar algo no estúdio, você tem que estar preparado fisicamente devido à falta de platéia; você tem que achar por conta própria, aumentar não pra 11 mas pra 12. Nós não fazemos muitos takes - seis, oito, talvez 10 - e então acabamos e usualmente dá três ou quatro horas isso. Há definitivamente uma rotina para nós no estúdio e isso também envolve fazer yoga e ter pratos de fruta."

Sobre o fato dos dois primeiros singles do álbum, "The Day That Never Comes" e "Cyanide", terem entrado nas paradas de singles mesmo eles tendo mais de seis minutos de duração cada:

"Isso é uma vitória. Há muito amor e boa vontade e momentos positivos neste disco do Metallica. Vamos ver daqui a seis meses se isso pega."

A matéria completa pode ser lida, em inglês, clicando aqui.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Bill WardBill Ward
Os dez discos de metal favoritos do baterista

619 acessosMetallica: vídeo oficial de "Fuel" em Orlando3311 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

MetallicaMetallica
O que significa "Ride The Lightning"?

MetallicaMetallica
"Enter Sandman" em versão Sertanejo Universitário

MegadethMegadeth
Ex-membros disponibilizam cover de faixa do Metallica

0 acessosTodas as matérias da seção Entrevistas0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"

BizarricesBizarrices
Ozzy Osbourne, Rolling Stones, The Who e outros

Nuno BettencourtNuno Bettencourt
Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com ela

Iron MaidenIron Maiden
Mulheres em uniforme de couro e com spikes

5000 acessosRodolfo: "O rock brasileiro entrou numa crise desde o começo dos anos 2000"5000 acessosEvanescence: estranha criatura em foto de Amy Lee com seu filho5000 acessosGreen Day: 10 coisas que você não sabe sobre a banda5000 acessosRock: ele não morreu, mas está morrendo, segundo pesquisa5000 acessosBlack Sabbath: filósofo escreve livro sobre as letras5000 acessosLoudwire: 10 discos fodas com capas toscas

Sobre Douglas Morita

Douglas Morita acha que se existem constantes em sua vida, uma delas definitivamente é o Metallica. Fã da banda desde que se conhece por gente, criou o site Metallica Remains em 1998 e considera o grupo como sua principal - porém, obviamente, não única - influência musical. Além do Metallica, tenta ouvir de tudo um pouco, sem se limitar a estilos ou rótulos.

Mais matérias de Douglas Morita no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online