Matérias Mais Lidas

Guns N' Roses: a curiosa e humilde reação de Axl Rose ao ser eleito melhor vocalistaGuns N' Roses: a curiosa e humilde reação de Axl Rose ao ser eleito "melhor vocalista"

Legião Urbana: série da Globo sobre a banda é cancelada e motivo irrita músicosLegião Urbana: série da Globo sobre a banda é cancelada e motivo irrita músicos

Capital Inicial: a razão curiosa pela qual Dinho Ouro Preto ficou viciado em drogasCapital Inicial: a razão curiosa pela qual Dinho Ouro Preto ficou viciado em drogas

Iron Maiden: gravação impressiona ao mostrar o quanto Adrian Smith é preciso ao vivoIron Maiden: gravação impressiona ao mostrar o quanto Adrian Smith é preciso ao vivo

Keith Richards: por que ele odeia heavy metal e acha Metallica e Sabbath piadasKeith Richards: por que ele odeia heavy metal e acha Metallica e Sabbath "piadas"

Bruce Dickinson: em vídeo ele promete noite fabulosa em homenagem à Jon LordBruce Dickinson: em vídeo ele promete noite fabulosa em homenagem à Jon Lord

David Ellefson: Ficou claro que a parceria no Megadeth acabou, era a banda do MustaineDavid Ellefson: "Ficou claro que a parceria no Megadeth acabou, era a banda do Mustaine"

Mayhem: fique longe das redes sociais, aconselha NecrobutcherMayhem: "fique longe das redes sociais", aconselha Necrobutcher

Guns N' Roses: Por que estão regravando material antigo? Slash explicaGuns N' Roses: Por que estão regravando material antigo? Slash explica

Joey Jordison: amigo do fundador do Slipknot diz que manterá causa da morte em segredoJoey Jordison: amigo do fundador do Slipknot diz que manterá causa da morte em segredo

Nightwish: em momento nostálgico Floor Jansen relembra sua irmã mais velha no metalNightwish: em momento nostálgico Floor Jansen relembra sua "irmã mais velha no metal"

Kerrang: 14 músicas gravadas por bandas de rock e metal que são assustadorasKerrang: 14 músicas gravadas por bandas de rock e metal que são assustadoras

Epica: Simons conta porque a banda pisou no freio após The Holographic PrincipleEpica: Simons conta porque a banda pisou no freio após "The Holographic Principle"

Rock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (22/10) para você ouvirRock e metal: 7 álbuns de destaque lançados nesta sexta-feira (22/10) para você ouvir

Skank: a frase homofóbica que Samuel Rosa se arrependeu de ter dito para livro de LeoniSkank: a frase homofóbica que Samuel Rosa se arrependeu de ter dito para livro de Leoni


Stamp

Dimmu Borgir: "Pessoas que ouvem Metal há poucos anos nos questionam!"

Por Bruno Asfora
Fonte: About.com
Em 30/07/07

A controvertida banda norueguesa DIMMU BORGIR é uma das mais populares e de maior vendagem dentro do Metal Extremo, que trouxe a eles legiões de fãs, e um grande números de inimigos também. A formação atual da banda inclui o vocalista Shagrath, Silenoz e Galder nas guitarras, Vortex no baixo, o tecladista Mustis e o baterista Hellhammer (MAYHEM).

A entrevista abaixo foi realizada por Chad Bowar com o baixista Vortex no New England Metal and Hardcore Festival, alguns dias depois do lançamento do "In Sorte Diaboli". Conforme Chad, "ele é um cara realmente bacana, e tem algumas coisas interessantes a dizer":

Chad Bowar: Qual a pronúncia correta para o nome do álbum?

Vortex: "Assim (in SOR-tuh dee-AH-bo-lay)" [Nota do tradutor: Pronúncia adaptada à língua inglesa].

Chad Bowar: Como tem sido a resposta ao disco até agora?

Vortex: "Todas as críticas têm sido favoráveis. Nós ouvimos a do tablóide número um da Noruega, e eles deram nota 6 de um máximo de 6. É incrível. Eu não consigo acreditar. As resenhas têm sido muito boas até aqui".

Chad Bowar: Quando vocês decidiram que queriam fazer um álbum conceitual?

Vortex: "Foi algo com que começamos a brincar durante o Ozzfest em 2004. Silenoz sentou e escreveu a estória principal e isso cresceu a partir daí".

Chad Bowar: Há alguma diferença em compor música para um álbum conceitual?

Vortex: "Não pra nós. Os riffs são escritos individualmente. Nós apresentamos os riffs no espaço de ensaio. Se o riff sobreviver nós fazemos jams juntos para criar músicas. Então arranjamos tudo junto para fazer um álbum. Dessa forma, quando entramos no estúdio temos uma boa idéia do que irá contecer".

Chad Bowar: Vocês devem ter ficado felizes com o trabalho de Fredrik Nordstrom no último álbum para usá-lo de novo como produtor.

Vortex: "Sim, absolutamente. Ele é quase da família agora. É ótimo trabalhar com ele e com o pessoal que trabalha pra ele. Eles nos dão dicas do que fazer. São grandes produtores e pessoas divertidas de se trabalhar junto".

Chad Bowar: Seu último álbum de estúdio original, "Death Cult Armaggedon, vendeu mais de 100.000 cópias na América do Norte. Vocês esperam que In "Sorte Diaboli" o supere?

Vortex: "Nós não temos o suporte do Ozzfest dessa vez, mas os locais onde temos tocado são bem grandes, então pode acontecer. É um momento excitante para nós. O álbum está aí e veremos se conseguimos entrar no chart da Billboard de novo. Nós conseguimos da última vez, e foi um marco para o Metal norueguês. ninguém tinha feito isso antes". (Nota: "In Sorte Diaboli" entrou no chart da Billboard em sua primeira semana, vendendo 14.000 cópias nos EUA em sua primeira semana de lançamento, estreando na posição 43. Isso é mais do que o dobro das 6.400 cópias alcançadas pelo seu predecessor "Death Cult Armageddon", que estreou na posição 169 em setembro de 2003).

Chad Bowar: Vocês passaram bastante tempo excursionando pelos EUA. O que foi que vocês mais gostaram e o que menos gostaram no país?

Vortex: "Eu gosto de poder usar a mesma moeda em qualquer lugar. As pessoas são realmente amigáveis, isso é claro. A paisagem é fantástica. Nós realmente gostamos disso aqui. O negativo é que existem muitos restaurantes do tipo McDonalds".

Chad Bowar: Há algum lugar que a banda não tenha tocado ao vivo que vocês gostariam de ir?

Vortex: "Islândia. Nós tentamos fazer uma festa de lançamento lá uma vez, mas não deu certo. A origem do nosso nome Dimmu Borgir são de formações de rocha e lava daquele local. No folclore é dito que são uma das entradas para o inferno. É também uma atração turística. Seria legal fazer um concerto por lá".

Chad Bowar: Vocês tocaram na maioria dos festivais europeus que existem. Há algum que está entre os seus favoritos?

Vortex: "Sim, o Wacken. É maravilhoso. Da última vez que nos apresentamos por lá haviam umas 50.000 pessoas. É bem legal ver essa multidão. Os festivais de Metal na Europa têm uma vibração arrepiante. Você vê pessoas detonadas, deitadas na lama, mas ninguém mexe com elas. Todo mundo compreende e lá rola uma atmosfera realmente amigável".

Chad Bowar: Parece que não há meio termo quando se fala do Dimmu Borgir. Ou te amam ou te odeiam. Porque você acha que a banda é tão polarizadora?

Vortex: "Talvez seja por causa de nossa trajetória no Black Metal. Este é um gênero extremo. Mas não nos chamamos mais de Black Metal. Nós certamente viemos de um cenário Black Metal, e há controvérsias nisso. Há pessoas que definem Black Metal de uma forma bem específica, e se você fizer as coisas de uma certa maneira você é um vendido. É por isso que algumas crianças nos enviam mensagens de ódio. Pessoas que ouvem Metal há apenas alguns anos estão questionando nossa integridade".

Chad Bowar: Eu suponho que seja uma coisa boa a banda criar essas emoções fortes de uma maneira ou de outra.

Vortex: "Absolutamente. Isto gera pressão".

Chad Bowar: Vocês têm rivalidade com outras bandas, ou isto é algo criado pela mídia?

Vortex: "A mídia ama essas coisas, porque criam manchetes. Isso vende mais revistas".

Chad Bowar: Qual você acha que é o álbum mais marcante do Dimmu Borgir?

Vortex: "Nenhum deles, na verdade. O Dimmu está indo cada vez mais pra cima. O gênero do metal em que estamos é bem fechado, então eu acho que é incrível vendermos tantos álbuns como estamos fazendo".

Chad Bowar: Quais são seus álbuns favoritos do Dimmu Borgir?

Vortex: "Eu adoro o 'Spiritual Black Dimension'. Adoro o 'Enthrone Darkness Triumphant' também. Tudo começou a decolar com aquele álbum, embora não tenha vendido muito mundialmente, mas no gênero em que estávamos na época foi muito bom".

Chad Bowar: Você começou a tocar baixo quando ingressou na música?

Vortex: "Quem começa como baixista? Não, eu era guitarrista. Eu também toco piano, flauta e Deus sabe o que mais. Eu comecei na banda da escola, e Manheim, o baterista original do Mayhem, tocava na banda também. Eu só toquei por um ano, por que não era realmente o meu estilo. Foi quando eu peguei a guitarra. Meu pai tocava guitarra e me mostrou os acordes básicos. Eu ficava sentado em frente do meu stereo ouvindo Iron Maiden e tocando junto. Eu tinha 14 ou 15 anos quando entrei em minha primeira banda".

Chad Bowar: Você está na indústria musical há um bom tempo. Quais são as maiores mudanças que presenciou?

Vortex: "A Internet. Antes você tinha que ir a uma loja de discos. Agora você pode só baixá-los. Isso tem sido uma revolução, de fato. É muito acessível, o que é bom. Downloads são bons, mas não é a mesma coisa sem a capa e as letras. Eu gosto dessas coisas. Quando eu comecei eu comprava vinis e cassetes".

Chad Bowar: Custa muito dinheiro para uma banda européia excursionar pelos EUA. Vocês estão agora no ponto em que podem tocar no país e não se preocupar em perder dinheiro?

Vortex: "Custa muito dinheiro vir da Europa pra cá, e o ônibus da turnê sai caro. Mas estamos tocando em locais com capacidade para 2.000 a 3.000 pessoas o que é um passo adiante para nós. Está ficando melhor a cada vez, e fazemos um pouco mais a cada vez".

Chad Bowar: Quais foram os pontos altos na sua carreira?

Vortex: "Tocar no Wacken foi ótimo, e tocar no Ozzfest foi realmente legal. Estes são os pontos altos".

Chad Bowar: Qual foi o pior trabalho que você já teve?

Vortex: "Eu trabalhei para um empresa de mudanças, e nós transportávamos pianos, era um trabalho duro. Também trabalhei com demolição de prédios, um trabalho duro e sujo".

Chad Bowar: Quem são seus heróis?

Vortex: "Quando eu era garoto eu olhava para o Black Sabbath. Ozzy Osbourne era um herói pra mim. Muitos músicos fizeram o papel de modelos para mim no passado, como o WASP. Eu fui para um concerto do WASP uns anos atrás e não consegui nem mesmo beber cerveja depois porque eu estava muito feliz. Eu tinha que ir pra casa porque tinha sido uma grande experiência. Blackie Lawless tem uma das melhores vozes no Metal".

Chad Bowar: Qual foi o melhor conselho que alguém já te deu?

Vortex: "Defina um objetivo, e então vá atrás dele".

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Tunecore 2
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Bloodstock 2022: Mercyful Fate e outras bandas são anunciadas como atrações do festivalBloodstock 2022
Mercyful Fate e outras bandas são anunciadas como atrações do festival

Música Macabra: Oito grandes músicas que foram inspiradas em filmes clássicos de terrorMúsica Macabra
Oito grandes músicas que foram inspiradas em filmes clássicos de terror

Heavy metal poliglota: dez músicas cantadas em idiomas diferentes do inglêsHeavy metal poliglota
Dez músicas cantadas em idiomas diferentes do inglês


Slayer: conheça outras capas do brasileiro Marcelo VascoSlayer
Conheça outras capas do brasileiro Marcelo Vasco

Shagrath: Se eles assistem Dimmu Borgir no youtube, eu sinto penaShagrath
Se eles assistem Dimmu Borgir no youtube, eu sinto pena

Pseudônimos no Black Metal: De entidades pagãs a O Senhor dos AnéisPseudônimos no Black Metal
De entidades pagãs a O Senhor dos Anéis


Slipknot: como são os membros da banda sem as máscaras?Slipknot
Como são os membros da banda sem as máscaras?

Steven Tyler: primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeasSteven Tyler
Primeira vez aos 7 anos, com duas gêmeas


Sobre Bruno Asfora

Colaborador sem descrição cadastrada.

Mais matérias de Bruno Asfora.