Cradle Of Filth: o "making of" de "Thornography"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por César Enéas Guerreiro, Fonte: Blabbermouth
Enviar Correções  

Jason Kinnard, da Roadrunner Records, se reuniu com Dani Filth e Paul Allender, do CRADLE OF FILTH, algumas semanas atrás, para uma exclusiva entrevista. Alguns trechos desse papo:

P: A última vez que vocês estiveram nos Estados Unidos foi em 2004 (para a Headbanger’s Ball Tour) Quais são seus planos para os próximos meses?

Dani: Vamos para a Europa fazer... divulgação para a imprensa. Também vamos fazer um vídeo para a música "Temptation", finalizar mais algumas faixas que não entraram no álbum... mesmo produtor, mesmo encarregado da mixagem (Andy Sneap). E outras coisas também, tudo o que uma banda costuma fazer. Depois faremos turnês... três datas na Turquia, depois vamos pra Los Angeles para uma sessão de autógrafos na loja Hot Topic no Halloween e começaremos a turnê européia algumas semanas depois, que deve durar até o Natal. Vamos pra Europa primeiro, testamos a nossa parafernália do show e depois mandamos tudo para cá... deveremos estar aqui nos Estados Unidos na segunda ou terceira semana de janeiro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

P: Em 2003, vocês foram a atração principal no segundo palco do Ozzfest. Vocês têm planos de tocar novamente em um festival no verão?

Dani: Esse é o nosso plano pro ano que vem. Nós gostaríamos de voltar ao Ozzfest porque, no ano em que tocamos lá, nos divertimos muito. Não somente nós, mas a equipe do Ozzfest, o resto das bandas, foi muito divertido. Por isso... obviamente, não haverá a mesma magia da primeira vez, mas acho que gostaríamos de fazer isso de novo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

P: Por que vocês escolheram fazer um cover de "Temptation" [da banda HEAVEN 17]?

Dani: Porque já fizemos covers do MAIDEN e do SLAYER... se formos fazer um cover de metal, poderíamos também fazer um cover de uma de nossas próprias músicas. Se tocamos uma música do MAIDEN em nosso estilo, fica literalmente parecendo que é nossa. Então... pensamos em fazer algo tão fora do comum... se tocássemos "Thriller", do MICHAEL JACKSON, ainda iria ficar muito "gay", devido ao estilo da letra e das melodias, mas "Temptation" acabou ficando bem pesada.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

P: No novo álbum, vocês usaram três tecladistas?

Dani: É, usamos. Mas eles não tocaram ao mesmo tempo. Quando demitimos nosso outro tecladista, percebemos que não precisávamos de um tecladista tanto assim. Mas temos uma tecladista para as turnês chamada Rosie, e ela é ótima. Ela só participou do final do processo de gravação, mas eu acho que ela participará do próximo álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas já trabalhamos com esse pessoal... um cara até chegou a escrever todos os arranjos para a orquestra, e o terceiro é Chris Rehn, que está numa banda com Sarah Jezebel Deva, chamada ANGTORIA. Epa, na verdade são quatro... porque também há um americano que cuida de toda nossa parte eletrônica e faz todos esses "loops" doidos.

P: Eu soube que vocês tiveram algumas experiências assustadoras no estúdio.

Dani: Eu não diria que foram assustadoras, mas certamente foram esquisitas. Talvez eu tenha ficado um pouco assustado. Às vezes havia o som de um brinquedo de corda de criança. E eu me convenci de que era o produtor fazendo uma sacanagem comigo, porque eu e ele moramos naquela casa, uma enorme e arrepiante casa antiga no estilo georgiano... foi demais. Mas, certa noite, eu tinha acabado de me deitar e estava tentando dormir, aí tudo começou. Eu pulei da cama, não em choque, mas porque eu queria me encontrar com Rob [Caggiano, produtor]. Então eu me levantei, corri até o seu quarto todo pelado e vi que ele estava ouvindo música com seus fones de ouvido e usando seu computador. Aí ele desceu e reviramos completamente o quarto procurando o que tinha feito aquele som. Então eu disse: "Não vamos sair daqui até encontrar o que você escondeu no meu quarto".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

P: Mas você não foi o único que ouviu, certo?

Paul: Não. Eu coloquei meu equipamento de estúdio no quarto, para eu poder mudar algumas coisas. Eu estava sentado trabalhando quando ouvi aquele barulho que vinha do banheiro. E eu pensei: "Que po**a é essa?". Não havia nada lá. Mas primeiro eu ouvia só uma nota de vez em quando e, às vezes, umas duas, se eu tivesse sorte. E então, perto do fim das sessões, estávamos todos sentados jantando e aquele barulho do ca**te parecia que vinha da mesa toda.

publicidade

Dani: Eu ouvi umas 5 ou 6 vezes quando as sessões estavam terminando.

Paul: Na última noite, quando eu estava arrumando as minhas coisas, ouvimos o barulho vindo do corredor. Po**a, aquilo estava deixando a gente louco! Às vezes ficava rápido, lento, parecia que harmonias eram tocadas, ouvíamos de tudo.

P: Vocês deviam ter gravado aquilo.

Dani: É verdade (risos).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Paul: Foi inacreditável aquela merda toda. Todo mundo ficava olhando pros lados e se perguntando "De onde vem isso?".

Leia a entrevista completa no link abaixo.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal Hammer: 10 álbuns essenciais do black metal sinfônicoMetal Hammer
10 álbuns essenciais do black metal sinfônico

Moonspell: Ficamos loucos quando Billie Eilish usa uma camiseta do Cradle of FilthMoonspell
"Ficamos loucos quando Billie Eilish usa uma camiseta do Cradle of Filth"

Cradle of Filth: no Halloween, banda (também) fará live diretamente de igrejaCradle of Filth
No Halloween, banda (também) fará live diretamente de igreja


Cradle Of Filth: Iggy Azalea reage após críticas por usar camiseta da bandaCradle Of Filth
Iggy Azalea reage após críticas por usar camiseta da banda

Notas altas: as dez mais impressionantes do Heavy MetalNotas altas
As dez mais impressionantes do Heavy Metal


Linkin Park: 20 coisas que você não sabe sobre a bandaLinkin Park
20 coisas que você não sabe sobre a banda

Suzi Quatro: a importância da linda baixista para o rockSuzi Quatro
A importância da linda baixista para o rock


Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

CliIL Cli336 Cli336 Cli336 Cli336 WhiFin Cli336