Em 04/12/1976: Morria Tommy Bolin, antes de virar uma lenda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Igor Miranda
Enviar correções  |  Comentários  | 

Tommy Bolin morreu antes mesmo de entrar para o clube dos 27. O guitarrista faleceu em 4 de dezembro de 1976, aos 25 anos, vítima de uma overdose de heroína e outras substâncias, incluindo álcool, cocaína e sedativos.

3013 acessosDeep Purple, Cheapt Trick e Tesla: Ingressos com até 60% de desconto5000 acessosPink Floyd: as 10 melhores escolhidas pela Ultimate Classic Rock

Bolin nasceu em Sioux City, Iowa, em 1° de agosto de 1951. Foi, curiosamente, um dos poucos músicos americanos a integrar o Deep Purple - futuramente, os estadunidenses Steve Morse, Joe Lynn Turner e Joe Satriani (temporário) também fariam parte do grupo britânico.

Início

Destacou-se muito cedo, aos 21 anos, quando entrou para o James Gang, no lugar de Domenic Troiano. Ele ficou no grupo entre 1973 e 1974 e gravou os bons discos "Bang!" (1973) e "Miami" (1974). Bolin encaixou-se como uma luva na banda, que fazia um hard rock repleto de groove.

Apesar do bom encaixe, Tommy Bolin saiu do James Gang e passou a trabalhar como músico de estúdio. Foi aí que evoluiu ainda mais como músico, ao gravar com bandas de rock e artistas de jazz/fusion.

Em 1974, Bolin conseguiu um contrato para gravar dar início à sua carreira solo. No ano seguinte, lançou seu primeiro registro solo, "Teaser", e foi convidado a integrar o Deep Purple, na vaga de Ritchie Blackmore.

Deep Purple

O convite chegou em meio a uma turbulência interna no Deep Purple. A banda considerou encerrar suas atividades após a saída de Blackmore, que era, de certa forma, uma das lideranças criativas do grupo. Entretanto, o vocalista David Coverdale convenceu os demais colegas de que o momento era de continuar.

O próprio Coverdale indicou Tommy Bolin para a vaga, após ter ouvido o trabalho do músico no disco "Spectrum", de Billy Cobham. Bolin entrou para a formação do grupo, mas passou pouco tempo por lá: deu tempo de gravar apenas um disco, "Come Taste The Band" (1975), e fazer uma turnê de divulgação, que se estendeu até 1976, ano em que o grupo decidiu encerrar suas atividades.

O trabalho de Tommy Bolin no Deep Purple reflete bem o que ele era. O músico jamais tentou imitar Ritchie Blackmore. Ele conseguiu imprimir a sua pegada híbrida, bastante funky e por vezes jazzy, ao longo de "Come Taste The Band", que tem sua co-autoria em sete das nove músicas.

Todavia, o talento de Tommy Bolin era proporcional ao nível de seus problemas pessoais. O músico estava viciado em drogas pesadas e o seu desempenho na turnê de "Come Taste The Band" começou a ser afetado. Havia, ainda, desentendimentos nos bastidores do Deep Purple e as vendas do disco não corresponderam.

Em março de 1976, o Deep Purple acabou. Apesar de desfigurada, a formação que deu fim ao grupo naquele período foi uma de suas melhores. Musicalmente, é incontestável: Tommy Bolin, David Coverdale e Glenn Hughes se entendiam muito bem com Jon Lord e, especialmente, Ian Paice.

Breve futuro

Tommy Bolin não teve muito tempo para trabalhar após o fim do Deep Purple. Ele lançou mais um disco solo, "Private Eyes", e saiu em turnê com Jeff Beck. O destino quis que sua vida fosse interrompida ainda em 1976, com a overdose.

Dono de uma postura errática, Tommy Bolin foi um dos grandes talentos que o mundo jamais viu em sua plenitude. Ele poderia ter sido muito maior - provavelmente uma lenda do instrumento - do que foi se tivesse tempo o suficiente para provar isto. Não apenas por sua habilidade com a guitarra, mas, também, pelo seu senso melódico e pela facilidade em misturar gêneros distintos em composições únicas.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Deep Purple, Cheapt Trick e TeslaDeep Purple, Cheapt Trick e Tesla
Ingressos com até 60% de desconto

2636 acessosDeep Purple: "In Rock", uma obra-prima de categoria própria449 acessosDeep Purple: "Bob Ezrin é um produtor incrível", diz Steve Morse0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Deep Purple"

Rock e MetalRock e Metal
Os dez maiores Deuses dos Riffs

Ritchie BlackmoreRitchie Blackmore
Conquistando mulher jogando meia na cara

Heavy MetalHeavy Metal
Os 11 melhores álbuns da década de 70

0 acessosTodas as matérias da seção Fatos Importantes0 acessosTodas as matérias sobre "Tommy Bolin"0 acessosTodas as matérias sobre "Deep Purple"


Pink FloydPink Floyd
As 10 melhores escolhidas pela UCR

NirvanaNirvana
"Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt

Max CavaleraMax Cavalera
"Deveríamos ter demitido os dois e mantido o nome"

5000 acessosVinil: quais são os dez discos mais valiosos do mundo?5000 acessosPunk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensa5000 acessosSinceridade: e se as capas de discos dissessem a verdade?5000 acessosTradução - Abigail - King Diamond4392 acessosSlipknot: bosta de camelo para dar cheirinho especial ao Knotfest5000 acessosMetallica: Ulrich não quer esconder o fato de ser rico

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 04 de dezembro de 2016
Post de 04 de dezembro de 2017


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013 – apesar de ainda manter por lá uma coluna semanal, chamada Cabeçote.

Mais informações sobre Igor Miranda

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online