Matérias Mais Lidas

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemAdrian Smith e a volta ao Maiden: "queriam o Bruce e já tinham dois guitarristas"

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemVangelis, compositor de cinema e lenda do prog rock grego, morre aos 79 anos

imagemDez músicas muito legais do Iron Maiden que não são cantadas por Bruce Dickinson

imagemKiko Loureiro explica por que acha uma merda seu solo de guitarra em "Rebirth"

imagemO segredo da longevidade do baixista do Guns N' Roses tem inspiração nos Stones

imagemTico Santta Cruz sai em defesa de Juliette na polêmica com Samantha Schmutz

imagemJames LaBrie fala sobre a possibilidade de trabalhar novamente com Mike Portnoy

imagemQuando Angus Young, do AC/DC, detonou o Led Zeppelin e os Rolling Stones

imagemClassic Rock lista 15 músicas do saudoso Chris Cornell que você precisa conhecer

imagemComo o Lollapalooza desmereceu Ozzy Osbourne e ele deu a volta por cima

imagemStratocaster: A espada dos deuses

imagemPhil Campbell conta como era fácil "comprar" Lemmy pra fazer qualquer coisa


Stamp

Sérgio Dias: detalhes sobre a guitarra REGVLVS

Por Filipe Zanella
Fonte: Vamos falar de guitarra
Em 03/10/13

...e a REGVLVS. Ja ouviu falar?

Basicamente se você nunca ouviu falar sobre essa enigmática guitarra este post é para você.

Pra resumir:

REGVLVS RAPHAEL é uma guitarra desenvolvida pelo grande (CCDB) Claudio Cesar Dias Baptista. Construída nos anos 60, ela possui inúmeros tipos de inovações que até hoje a tornam uma guitarra diferenciada. O guitarrista mais icônico que utilizou essa guitarra é Sergio Dias (Os Mutantes), irmão do criador da guitarra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O que ocorreu é que na época do incío dos Mutantes, conseguir um instrumento de qualidade no Brasil era algo realmente complicado. Não havia boas opções no mercado nacional, e importar sempre custou uma fortuna. Foi quando o músico Raphael Vilardi pediu a seu amigo CCDB uma guitarra, a melhor guitarra que poderia ser construída.

Foi com esse objetivo que a REGVLVS foi construída, e o processo incluiu a construção simultânea de duas guitarras. Uma era um protótipo onde as ideias eram testadas, e o outra era a versão "final", onde as ideias testadas eram aplicadas. No final do processo, o protótipo ficou tão bom que CCDB presenteou seu irmão Sergio com a guitarra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E quais seriam as inovações dessa guitarra? Porque ela é um instrumento único? Vamos lá:

CONSTRUÇÃO - Stradivarius:

A primeira vista o desenho dela lembra muito uma Gibson semi acústica, porém vendo a criança de perfil notamos um grande angulo do braço, que lembra muito um violino.

Sergio Dias afirma que este formato de braço torna a guitarra mais ergonômica, pois ela envolve o guitarrista que a toca.

Outro detalhe sobre a construção dessa guitarra é uma característica que ajuda a dar nome a ela. Depois de escavada a guitarra foi totalmente banhada a ouro por dentro, com a finalidade de reduzir possíveis ruídos de interferência.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

CAPTAÇÃO

Essa guitarra possui dois captadores single de baixa impedância. Porém na ponte existe um terceiro captador, chamado por CCDB de "Captador Milagroso". Este captador tem um funcionamento parecido com o captador de piezzo utilizado em violões hoje em dia. Ele produz um som muito próximo do som de violão, mesmo quando utilizado numa guitarra. A REGVLVS permite que esse som seja utilizado em isolado ou misturado com o som dos outros captadores. Quando utilizado junto com o som dos captadores magnéticos este som pode ser dividido em canais diferentes, criando um som estéreo. Enfim... loucura, mas é sensacional.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

DISTORÇÃO

Essa guitarra se destaca por possuir dentro dela "distorcedores", ou seja, um som de distorção dentro da própria guitarra. Porém, pelo que Sergio Dias deu a entender em uma entrevista a revista Guitar Class, não é um overdrive comum dentro da guitarra. O sistema começa na verdade nos captadores (esta parte é uma dedução minha). Acredito que os captadores consigam captar o som de cada corda individualmente, pra cada corda existe um distorcedor, que distorce o som de cada corda em separado. Depois os 6 sons distorcidos passam por um circuito de mixer que une esses sons e envia dessa forma para a saída da guitarra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sergio Dias afirmou para a revista Guitar Class que queria ter um som mais definido quando tocasse diversas notas juntas com overdrive, e também afirmou que a guitarra possui 6 distorcedores distintos e não apenas 1.

REZA A LENDA...

Reza a lenda que esta guitarra foi roubada (outros dizem que foi vendida) e após o novo dono ler as inscrições abaixo, feitas por CCDB no corpo da guitarra, resolveu devolvê-la para Sergio Dias:

"Que todo aquele que desrespeitar a integridade deste instrumento, procurar ou conseguir possuí-lo ilicitamente, ou que dele fizer comentários difamatórios, construir ou tentar construir uma cópia sua, não sendo seu legítimo criador, enfim, que não se mantiver na condição de mero observador submisso em relação ao mesmo, seja perseguido pelas forças do Mal até que a elas pertença total e eternamente. E que o instrumento retorne intacto a seu legítimo possuidor, indicado por aquele que o construiu"..

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para finalizar quero recomendar para todos aqueles que curtem boas melodias, letras e arranjos criativos, sons vintage que ouçam os discos dos Mutantes, uma das maiores bandas de todos os tempos.

Nesse link tem muita informação sobre a guitarra (site do CCDB).

E você pode visualizar o próprio Sergio Dias falando e mostrando a guitarra:

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

imagemKurt Cobain e a banda brasileira que mexeu com ele: "eles foram muito revolucionários"

Os vários motivos que levaram Rita Lee a sair dos Mutantes em 1972

Khemmis: guitarrista confessa ser muito fã da banda Os Mutantes


Guitarra de Ouro: o instrumento "amaldiçoado" de Sérgio Dias



Sobre Filipe Zanella

Filipe Zanella é músico. Nasceu e vive em São Paulo e gosta de falar de guitarra, por isso criou o blog Vamos Falar de Guitarra, onde analisa álbuns, comenta sobre equipamentos e fala sobre suas experiências no mundo da música.

Mais matérias de Filipe Zanella.