Mulheres Negras: confira algumas que sabem fazer rock

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar correções  |  Comentários  | 


Laina Dawes é uma crítica musical e escritora, oradora e colaboradora da Rádio CBC. Ela também é colunista de assuntos atuais pela Afrotoronto.com e contribui como editora para o Blogher.org.
5000 acessosPain Of Salvation: Daniel Gildenlöw fala sobre os Mamonas Assassinas5000 acessosOsama Bin Laden: O que havia na sua coleção de cassetes?

Mas a razão pela qual estamos falando sobre ela, é que ela escreveu um livro fantástico chamado "What Are You Doing Here? A Black Woman's Life and Liberation in Heavy Metal" (O que você está fazendo aqui? A vida e a liberação de uma mulher no Heavy Metal).

O livro mostra Dawes se aprofundando no heavy metal e como as mulheres negras se encaixam nisso tudo. É um assunto que muitos de nós provavelmente nunca sequer pensamos.

Dawes enviou uma lista para o site Noisecreep, de cinco roqueiras negras a que todos devem prestar atenção. Leia abaixo as palavras de Laina Dawes.

Graças à série de TV Metal Evolution e os inúmeros documentários sobre a cena extrema que entraram no ar na última década, a filosofia desta 'comunidade' foi abordada por muitos fãs. Mas quem e o que define essa comunidade? Para alguns, a 'comunidade' significa simplesmente que se você ama a música, você é um membro por natureza. Mas algumas fãs negras e músicos descobriram que a adesão às comunidades do hardcore, metal e punk não foram tão acolhedoras.

Sempre houve músicistas negras nas cenas hardcore, metal e punk que ignoraram as categorizações sociais. Mas o mais importante ainda, é que a participação nessas cenas musicais oferecem uma vista alternativa de como nós, de forma geral, percebemos na cultura popular, e muitos acham esses gêneros libertadores, como uma oportunidade de ser notado como indivíduo. Não há problema em estar com raiva, e não há problema em ser agressivo - na verdade, é algo pra ser celebrado. Pode ser a única forma de expressar emoções que quando expressas publicamente por mulheres negras, pode dar até em cadeia!

Aqui estão cinco mulheres que merecem sua atenção. Não só por criarem uma música excelente, mas também representarem a diversidade de experiências encontradas dentro da comunidade hardcore, metal e punk que raramente sãos vistas e ouvidas. Estas garotas são simplesmente inspiradas pela música que amam.

Tamar-kali:

Destaque no documentário de 2003 Afro-Punk, a artista solo do Brooklyn tem raízes profundas na cena do hardcore novaiorquino. Muito respeitada por colegas e muito admirada por fãs negros por sua estética punk e inabalável confiança, Tamar-Kali não é apenas conhecida por sua mistura única de hard rock e soul, mas também pela sua imagem versátil. Confira seu álbum, "Black Bottom".

Militia Vox:

Atualmente como vocalista do JUDAS PRIESTESS do Brooklyn, ela é também a fundadora, vocalista e compositora do Swear on Your Life e foi a vocalista do projeto de Dee Snider do TWITED SISTER, Van Helsing's Curse. Ela é uma ex-VJ, onde também apareceu no FUSE, Much Music USA, MTV2 e VH1, e recentemente sediou o Afropunk Festival 2012.

Alexis Brown:

A vocalista do Straight Line Stitch é a negra mais proeminente do metal atualmente, mas o metal não foi o seu primeiro amor. "Minha tia me dizia o tempo todo que eu deveria fazer outra coisa que não fosse R&B, e isso costumava me deixar doida, porque na época eu dizia que eu era uma garota negra e que deveria fazer R&B. É engraçado como eu acabei caindo no gosto pelo rock e agora está é minha carreira". Confira o seu mais recente álbum, "The Fight of Our Lives".

Diamond Rowe:

A guitarrista do TETRARCH da Geórgia é uma das poucas mulheres negras contemporâneas que dominam funções como estar em uma banda de thrash metal. Ela começou a tocar guitarra aos 13 anos, e formou o Tetrarch com seu melhor amigo, o vocalista/guitarrista Josh Fore. Aos 22 anos, a sua determinação em promover a banda é bastante impressionante, e ela provavelmente poderia ensinar músicos mais velhos uma coisa ou duas. Confira seu EP, "The Will to Fight".

Yvonne Ducksworth:

Cinco anos depois de se mudar para a Alemanha, a vocalista canadense ajudou a montar o JINGO DE LUNCH, em 1987, e depois de um hiato de 10 anos, ela voltou para a banda de punk em 2006. Sobre suas experiências, ela diz, "Eu não posso manter minha boca fechada. Eu não vou ficar parada e concordar em ser abusada! Outras gerações de pessoas negras tiveram que sobreviver, mas seria um grande erro em desonrá-los agora". Confira o seu mais recente álbum, "The Land of the Free-Ks".

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

5000 acessosMulheres no Rock: resistência em um meio machista5000 acessosCristina Scabbia: "muito orgulho de ser mulher"5000 acessosAngela Gossow explica o papel da mulher no Metal5000 acessosAndre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?5000 acessosAngela Gossow: "Mulher numa banda de Metal incomoda!"5000 acessosG1: site lista as 15 roqueiras mais importantes da história5000 acessosBe Blues: as mulheres na história do Blues5000 acessosMulheres e guitarras: as mais importantes segundo a Gibson5000 acessosGutural: mulheres que fazem vocal em bandas de Metal5000 acessosDuetos: 10 dos mais fabulosos com mulheres e guitarristas5000 acessosMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa5000 acessosMulheres: Metal não é só estilo, mas beleza e agressividade5000 acessosMulheres: as bandas mais famosas em suas versões femininas5000 acessosMulheres no Metal: assista documentário sobre a cena brasileira1640 acessosDia da Mulher: relembre fatos marcantes da carreira de Joan Jett5000 acessosBateria Fácil: mulheres bateras que você tem que saber quem são1832 acessosPlanno D: O crescimento das mulheres no Metal909 acessosShadowside: "Nunca fui desrepeitada por ser mulher"3266 acessosArch Enemy: o positivo e o negativo de ser uma mulher no metal5000 acessosMetal Calcinha: onze bandas lideradas por mulheres5000 acessos8 de março: Algumas das mulheres que marcaram o Rock e Metal

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 28 de setembro de 2012

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades

Pain Of SalvationPain Of Salvation
Daniel Gildenlöw fala sobre os Mamonas Assassinas

Osama Bin LadenOsama Bin Laden
O que havia na sua coleção de cassetes?

MetromixMetromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

5000 acessosIron Maiden: fatos estranhos na gravação de The Number Of The Beast5000 acessosMetallica: os fantasticos carros de James Hetfield5000 acessosCorey Talor: "Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"5000 acessosYngwie Malmsteen: guitarristas, Ferraris, vídeo-games, e mais5000 acessosGothic Metal: os dez trabalhos essenciais do estilo5000 acessosSebastian Bach: como é a rotina de ser um rock star?

Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online