AC/DC: canção ajudou soldado de "Falcão Negro em Perigo"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Felipe de Alcântara Vieira, Fonte: Undercover, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 


Em outubro de 2008, o vocalista do AC/DC, Brian Johnson, contou ao site motortrend.com uma história incrível sobre um prisioneiro de guerra americano que foi encontrado graças à música "Hell's Bells".
5000 acessosHeavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 19845000 acessosDuff McKagan: 3 litros de vodka, 3 gramas e meio de cocaína

Johnson disse como o soldado Michael Durant pediu permissão para usar a letra da música em seu livro. Ele é o piloto que foi abatido na Somália e posteriormente, tomado como referência para o livro "Falcão Negro em Perigo" ("Black Hawk Down").

Brian explica: "Eu disse para ele: 'Claro, mas como isso aconteceu?' 'Brian, eles me jogaram na prisão, minhas pernas estavam quebradas e eles ficavam abrindo a porta e atirando. Aquilo foi horrível. Eu pensei: vou morrer. Meus companheiros do esquadrão de helicópteros prenderam enormes alto-falantes no helicóptero e voaram pela cidade, tocando Bambababam! ['Hells Bells']. Eles sabiam que era a minha música preferida. Eu me arrastei até a janela, tirei a camisa e a sacudi para o lado de fora. Foi assim que me encontraram.' Eu ainda tenho calafrios quando me lembro'", explica Johnson.

Brian Johnson foi convidado recentemente para o show de rádio de Howard Stern. Durante o programa, um ouvinte ligou para dizer que seu batalhão tocava "Highway To Hell" antes de uma missão perigosa.

Johnson também disse que ficou sabendo que a CIA usava ‘Back In Black’ como uma arma secreta. "Alguém me disse que a CIA tinha 'AC/DC' em seu arsenal. Quando pegaram o Noriega do lado de fora do prédio, eles tocaram ‘Back In Black’ até deixá-lo louco. No deserto, durante os combates, a tropa também tocava ‘Back In Black’ nos auto-falantes".

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 25 de julho de 2015
Post de 05 de junho de 2016

0 acessosTodas as matérias da seção Curiosidades

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados no ano de 1984

Duff McKaganDuff McKagan
3 litros de vodka, 3 gramas e meio de cocaína, e mais...

Legião UrbanaLegião Urbana
O dia em que Renato calou a plateia do Programa Livre

5000 acessosDinheiro não é tudo mas ajuda: 5 Rock Stars que nasceram ricos5000 acessosFotos de Infância: Steven Tyler, do Aerosmith5000 acessosSlayer: Tom Araya revela seus ídolos do baixo5000 acessosBlack Metal: banda brasileira fez clipe mais bizarro do universo5000 acessosSeparados no nascimento: Lady Gaga e Eddie4905 acessosMegadeth: Dave Mustaine diz que havia uma "estranheza" entre ele e Friedman

Sobre Felipe de Alcântara Vieira

Com 22 anos cursa Engenharia Elétrica na UFJF e tem plena convicção de que um dia conseguirá se formar. Aos 14 se iniciou no mundo do metal através da curiosidade de saber de onde vinham as músicas de um jogo de vídeo-game antigo. Quando descobriu que a trilha sonora do jogo era formada por Black Sabbath e Deep Purple, sua vida nunca mais foi a mesma. A partir dali vieram: Led Zeppelin, AC/DC, Iron Maiden, Metallica, Judas Priest, Thin Lizzy, etc.

Mais matérias de Felipe de Alcântara Vieira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online