Matérias Mais Lidas

imagemCinco discos de heavy metal para ouvir sem pular nenhuma faixa

imagemTitãs: traído, o baterista destruiu o quarto; Paulo Ricardo viu na TV a traição

imagemMarko Hietala anuncia retorno ao mundo da música e fãs pedem volta ao Nightwish

imagemWandinha, da Netflix, resgata banda icônica do Rock em canção com letra sacana

imagemO maior álbum de todos os tempos, na opinião do saudoso Ronnie James Dio

imagemMetallica: se você achou caro o pacote do Titãs, fuja dos preços da turnê de Hetfield & Cia

imagemO curioso ritual do Fleetwood Mac antes de subir ao palco, revelado por Christine McVie

imagemEx-vocalista do Mötley Crüe não bota fé na aposentadoria de Mick Mars

imagemTony Iommi não queria mandar Ozzy Osbourne embora, mas demissão foi inevitável

imagem"Não há reunião do Pantera sem Vinnie e Dime", afirma espólio de Vinnie Paul

imagemIggor Cavalera diz que o metal às vezes é muito conservador

imagemFãs não perdoam e reclamam da bateria de Lars Ulrich em novo single do Metallica

imagemJohn Lennon sentia que seu filho Julian "queria que Paul McCartney fosse seu pai"

imagemA bonita homenagem que Angra fará a Andre Matos em novo álbum, segundo Fabio Lione

imagemKiko Zambianchi foi proibido de ir no Silvio Santos após apresentador errar seu nome


Summer Breeze
Samael Hypocrisy

Power Reset: A contínua evolução

Resenha - Dungeon Master - Power Reset

Por Vicente Reckziegel
Postado em 09 de janeiro de 2022

Nota: 9

Há alguns meses tive a oportunidade de resenhar o primeiro álbum do Power Reset, projeto do amigo Leonardo Oliveira, e já naquela vez fiquei impressionado com a qualidade do material apresentado. E eis que surge seu segundo trabalho, "Dungeon Master", e o que era bom ficou ainda melhor. Tudo aqui é um avanço significativo, produção, composição, arte. Mostrando que Leonardo sabe exatamente o caminho que deve percorrer.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Começando pela linda capa, um trabalho primoroso e que seria destaque em qualquer grande banda internacional. A produção também soube captar todos as nuances de sua música, dando o destaque devido a todos os instrumentos. Já a parte lírica, como sempre, é bem acima da média, fugindo um pouco da tradição do Power Metal, investindo sim na fantasia, mas igualmente falando sobre a vida e tudo que a cerca.

Já com relação as músicas, é até difícil fazer destaques individuais, visto que nenhuma é descartável ou apenas para preencher espaço. Mas a grandiosa "Mystic Quest", a total Power Metal "Instinctive Hunter", a bela e sentimental "Great" e, encerrando no mais alto nível, a mais atmosférica "Night Beast" são destaques fáceis em uma primeira audição. Vale ressaltar também que, por ser uma "One Man Band", o foco aqui é a composição, e não há muito espaço para firulas intermináveis que muitas vezes nada acrescentam a música.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Vou terminar essa resenha da mesma forma que a anterior, torcendo para que o Power Reset deixe de ser apenas um projeto para se tornar uma banda completa, singrando os verdes campos brasileiros apresentando sua música da mais alta qualidade, pois é o que todos precisamos. Ver e ouvir a verdadeira arte e cultura nacional.

Tracklist:
1 - Into The Void
2 - Mystic Quest
3 - Instinctive Hunter
4 - Faded Dreams
5 - Angel Fly Away
6 - Scream For You Sorrow
7 - Great
8 - Dungeon Master
9 - I Can't To Find My Way
10 - Night Beast

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Siga Whiplash.Net: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Receba as novidades do Whiplash.Net por WhatsApp


Stamp


[an error occurred while processing this directive]
[an error occurred while processing this directive]
[an error occurred while processing this directive]

Bateristas: os dez músicos mais loucos de todos os tempos

Iron Maiden: "pequena falha" em outdoor na Russia em 2011


Sobre Vicente Reckziegel

Servidor público, escritor, mas principalmente um apaixonado pelo Rock e Metal há pelo menos duas décadas. Mantêm o Blog Witheverytearadream desde Dezembro de 2007. Natural e ainda morador de uma pequena cidade no interior do Rio Grande do Sul, chamada Estrela. Há muitos anos atrás tentou ser músico, mas notou que faltava algo simples: habilidade para tocar qualquer instrumento. Acredita na música feita no Brasil, e gosta de todos os gêneros, desde Rock clássico até Black Metal.

Mais matérias de Vicente Reckziegel.