Ozzy Osbourne: Ordinary Man vem reforçar que pop não é vilão no metal

Resenha - Ordinary Man - Ozzy Osbourne

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Victor de Andrade Lopes
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9

Foram dez anos de espera. O lendário vocalista Ozzy Osbourne encerrou os anos 2000 com o bom, mas nada espetacular Scream, e esperou o fim da década seguinte para nos entregar Ordinary Man, o lançamento de estúdio seguinte.

Elton John: Zakk Wylde homenageia cantor tocando solo de "Funeral for a Friend"Bruce Dickinson: "Prefiro errar letras a usar monitores!"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Neste meio tempo, juntou-se aos companheiros Tony Iommi e Geezer Butler para terminar a carreira da pedra fundamental do heavy metal, o Black Sabbath, de maneira absolutamente digna (termo que aqui significa "com um álbum excelente e uma turnê de despedida que parece realmente ter sido a última, diferente das turnês de despedida caça-níqueis que outras bandas vêm fazendo sem o menor pudor").

E o que o madman atinge com seu décimo segundo lançamento de estúdio? Bem, do lado de cá, nada de mais. Quer dizer, o que esta lenda viva ainda tem para provar para fãs ou crítica?

Por outro lado, parece que, ao menos para si, ele tinha muito a mostrar. Ao mesmo tempo em que dizia para a esposa Sharon que precisava lançar um disco, dizia a si mesmo não ter forças para isso.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Felizmente, ele encontrou a tal força - no caso, na juventude. Aos 29 anos, Andrew Watt assina a produção do trabalho e é considerado por Ozzy como o responsável por arranjar a disposição que ele precisava para concretizar o projeto.

Além do óbvio (heavy metal dos bons), Ordinary Man traz um toque especial: pop. Puro e simples. Quer dizer, misturado ao metal. Não é exatamente uma novidade na discografia dele, mas vem aqui em doses acima do que seria considerado "aceitável" pelos bangers puro-sangue.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas não de maneira desmedida. A jornada musical começa forte com "Straight to Hell", um heavy metal cru e direto (para os padrões aqui estabelecidos). Momentos como "Eat It" repetirão essa roupagem mais pé no chão, em oposição às quase-baladas "All My Life" e "Holy for Tonight".

A terceira canção, que faz a ponte entre os dois grupos, acabou levando o nome de "Goodbye" (adeus), mas este nome faria todo sentido na peça que acabou sendo a faixa-título.

Histórica, ela traz o "Príncipe das Trevas" acompanhado de Elton John no piano e nos vocais, Slash e Duff McKagan (ambos do Guns N' Roses) na guitarra e no baixo, respectivamente, e Chad Smith (Red Hot Chili Peppers) na bateria. Haja talento! O clipe e a letra vêm em tom melancólico de retrospectiva e despedida.

"Under the Graveyard", primeira faixa divulgada, já chamou a atenção por sua roupagem alternativa, mas o que a torna ainda mais interessante é o clipe, que equilibra tons de arrependimento (por ter passado dos limites nas noitadas quando era jovem) e de agradecimento (por nunca ter sido abandonado pela companheira Sharon, com quem segue casado até hoje).

"It's a Raid" é uma parceria com Post Malone, que finalmente pode se dizer o "rockstar" que dá nome à sua canção mais famosa. Com toques punk, o caldeirão musical envolve ainda o guitarrista Tom Morello.

Esta não é a primeira colaboração do madman com o rapper; no ano passado, eles já haviam atuado juntos em "Take What You Want", música de Post que conta ainda com outro rapper, Travis Scott. A faixa figura no próprio Ordinary Man como lançamento bônus das edições em CD, cassete e digital. Os japoneses, como sempre, ganham um mimo: "Darkside Blues", uma breve peça com ares de demo em que Ozzy canta e toca gaita sobre um riff acústico e uma batida simples.

E não poderia deixar de destacar "Today Is the End" e "Scary Little Green Men", com suas letras-crônicas na melhor escola Raul Seixas.

O disco, como dito, tem um apelo pop óbvio na adoção de elementos modernos. Mas esses fatores não precisam ser "vilões", como muitos acham. Ozzy nunca foi tão apegado assim a um som mais cru dos anos 1970. Muito pelo contrário, ele lentamente foi na contramão das bandas ditas "das antigas" que fazem o tal do "rock sem frescuras".

Se este tiver sido o último álbum dele - os fatalistas acreditam que seja, devido à saúde do cantor e ao tom de despedida de "Ordinary Man" - então podemos concluir com segurança que ele fechou com chave de ouro sua frutífera carreira. Pode morrer como qualquer coisa, menos como o "homem qualquer" que dá título à obra.

Abaixo, o clipe de "Under the Graveyard":

Track-list:
1 "Straight to Hell"
2 "All My Life"
3 "Goodbye"
4 "Ordinary Man"
5 "Under rhe Graveyard"
6 "Eat Me"
7 "Today Is the End"
8 "Scary Little Green Men"
9 "Holy for Tonight"
10 "It's a Raid"
11 "Take What You Want" (faixa bônus da edição em CD, cassete e digital)
12 "Darkside Blues" (faixa bônus da edição japonesa)

Fonte: Sinfonia de Ideias
https://bit.ly/ozzy2020


Outras resenhas de Ordinary Man - Ozzy Osbourne

Ozzy Osbourne: apesar de irregular, novo álbum emociona quem é fãOzzy Osbourne
Apesar de irregular, novo álbum emociona quem é fã

Ozzy Osbourne: Novo álbum é um testamento em forma de músicaOzzy Osbourne
Novo álbum é um testamento em forma de música




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ozzy Osbourne"


Elton John: Zakk Wylde homenageia cantor tocando solo de Funeral for a FriendElton John
Zakk Wylde homenageia cantor tocando solo de "Funeral for a Friend"

Ozzy Osbourne: brasileiros invadem comentários de foto com máscara e citam BolsonaroOzzy Osbourne
Brasileiros "invadem" comentários de foto com máscara e citam Bolsonaro

Ozzy Osbourne: Madman cria playlist para quarentena (e mostra dificuldades com máscara)Ozzy Osbourne
Madman cria playlist para quarentena (e mostra dificuldades com máscara)

Secret Rule: veja cover de "Gets Me Through" do Ozzy Osbourne

Kelly Osbourne: Fique em casa por Ozzy!Kelly Osbourne
"Fique em casa por Ozzy!"

Randy Rhoads: Zakk Wylde homenageia guitarrista com solo de Diary Of A MadmanRandy Rhoads
Zakk Wylde homenageia guitarrista com solo de "Diary Of A Madman"

Pink Floyd: Zakk Wylde toca o solo de Confortably Numb em vídeo; assistaPink Floyd
Zakk Wylde toca o solo de "Confortably Numb" em vídeo; assista

Randy Rhoads: Ozzy relembra seu saudoso amigo em posts no instagramRandy Rhoads
Ozzy relembra seu saudoso amigo em posts no instagram

Em 19/03/1982: Mundo perdia Randy Rhoads, um de seus guitarristas mais brilhantesEm 19/03/1982
Mundo perdia Randy Rhoads, um de seus guitarristas mais brilhantes

Randy Rhoads: No aniversário de sua morte, relembre grandes momentos ao lado de OzzyRandy Rhoads
No aniversário de sua morte, relembre grandes momentos ao lado de Ozzy

Ozzy: no topo da lista das músicas mais difíceis de entenderOzzy
No topo da lista das músicas mais difíceis de entender

Ozzy: Sabbath não é minha banda, eu sou membro da banda Black SabbathOzzy
Sabbath não é minha banda, eu sou membro da banda Black Sabbath


Bruce Dickinson: Prefiro errar letras a usar monitores!Bruce Dickinson
"Prefiro errar letras a usar monitores!"

Doors: Perguntas e respostas e curiosidades diversasDoors
Perguntas e respostas e curiosidades diversas


Sobre Victor de Andrade Lopes

Victor de Andrade Lopes é jornalista (Mtb 77507/SP) formado pela PUC-SP com extensões em Introdução à História da Música e Arte Como Interpretação do Brasil, ambas pela FESPSP, e estudante de Sistemas para Internet na FATEC de Carapicuíba, onde mora. É também membro do Grupo de Usuários Wikimedia no Brasil e responsável pelo blog Sinfonia de Ideias. Apaixonado por livros, ciências, cultura pop, games, viagens, ufologia, e, é claro, música: rock, metal, pop, dance, folk, erudito e todos os derivados e misturas. Toca piano e teclado nas horas livres.

Mais matérias de Victor de Andrade Lopes no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280