Green Day: em 1994, o punk rock ganha uma nova fase

Resenha - Dookie - Green Day

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

O Green Day alcançou certo sucesso com seus dois primeiros discos de estúdio, mas foi com o terceiro que a banda se tornou um fenômeno. Lançado em fevereiro de 1994, "Dookie" fez com que o mundo conhecesse as músicas rápidas e cheias de energia escritas pelo trio. Como a maioria dessas músicas estava mais bem trabalhada e foram bem recebidas por pessoas de fora do circuito punk, os mais exaltados acusaram a banda de ter se vendido (atitude comum entre fãs mais extremistas, é bom que se diga).

Metallica e Iron Maiden: veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUADane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhor

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Seja qual for a sua opinião, é fato que este é um dos discos mais marcantes e legais lançados na década de 1990. Afinal de contas, você consegue lembrar de algum trabalho que tenha temas tão bacanas e memoráveis como "Basket Case", "She", "When I Come Around", "Welcome To Paradise" e "Longview"?

As músicas citadas se tornaram grandes sucessos na carreira do Green Day, mas "Dookie" conta com outros grandes momentos, como a ótima faixa de abertura "Burnout", "Pulling Teeth" "Having A Blast", "Coming Clean" e "In The End".

O que passou a ser chamado tempos depois de pop punk tem no terceiro disco do Green Day suas raízes mais fortes. Melodias e vocais cativantes, bateria muito rápida e letras que transitavam entre o protesto e o sarcasmo, passando por temas pessoais.

Enquanto alguns amam "Dookie", outros detestam. O que não dá para fazer é ouvir o disco e ficar indiferente. Billie Joe e sua turma ajudaram a mudar a historia da música punk, e transformar um movimento subversivo em algo mais comercial, que poderia facilmente tocar tanto em festas de adolescentes quanto na programação da MTV.

Passados 25 anos do seu lançamento, continua como o maior trabalho da banda, e vendeu mais de 30 milhões de cópias pelo mundo, o que prova o seu tamanho.

Goste você ou não, é um trabalho marcante e que tem o seu lugar na historia.

Ano de lançamento: 1994

Faixas:

"Burnout"
"Chump
"Longview"
"Welcome to Paradise"
"Pulling Teeth"
"Basket Case"
"She"
"Sassafras Roots"
"When I Come Around"
"Coming Clean"
"Emenius Sleepus"
"In the End"
"F.O.D./All By Myself"

Formação:

Billie Joe Armstrong: vocal/guitarra
Mike Dirnt: baixo/vocal de apoio
Tré Cool: bateria (guitarra e vocal em "All By Myself")




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Green Day"


Noisey: vídeos de artistas que surtaram no palcoNoisey
Vídeos de artistas que surtaram no palco

Billboard: discos de rock/metal que atingiram o topo nos anos 2000Billboard
Discos de rock/metal que atingiram o topo nos anos 2000


Metallica e Iron Maiden: veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUAMetallica e Iron Maiden
Veja a diferença absurda de faturamento em shows nos EUA

Dane-se Bruce Dickinson: Simone Simons no metrô é muito melhorDane-se Bruce Dickinson
Simone Simons no metrô é muito melhor


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336