Pato Fu: A seriedade de sua música de brinquedo

Resenha - Música de Brinquedo - Pato Fu

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Roberto Rillo Bíscaro
Enviar Correções  

10

Em 2010, a banda mineira Pato Fu lançou álbum de covers. Nada demais se não houvesse detalhe muito especial: é tudo tocado com instrumentos de brinquedo ou brinquedos infantis. Daí o nome do álbum, Música de Brinquedo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Brincadeira que resultou em trabalho que é a essência do espírito pop: irreverente, divertido, criativo, alegre, grudento e antropofágico. Pop é assim mesmo, que nem Pac Man, vai comendo tudo o que vê pela frente, sem medo de misturar Beethoven com Donna Summer, Shakespeare com biscoito verde de monstrinho. Afinal, nós que temos abaixo de 50 geralmente crescemos expostos a tudo, de Mazzaroppi a Monet; aquela coisa Beatles que misturava Bach com blues. E acabamos gostando de tudo um pouco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O Brasil é macaco velho nessa mistureba de chiclete com banana, vide a Antropofagia Modernista, a Tropicália, o Mangue Beat, o trabalho dos contemporâneos como Zeca Balero, que citam com desenvoltura/desinibição Cartola e hip hop.

Música de Brinquedo é essa mistureba criativa. Os músicos escolheram repertório que vai de Love me Tender, de Elvis Presley, a Pelo Interfone, sucesso oitentista de Ritchie. Tem desde a cafonice gostosa de Rock and Roll Lullaby aos descolados japas do Pizzicato Five. Mas, o P5 era descolado justamente porque havia boa dose de glamour kitsch em sua mistureba! A seleção de canções reflete muito bem nossa geração de 50tões, que curte tanto My Girl quanto o Frevo Mulher, da Amelinha.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os arranjos seguem o mais perto possível os versões, mas a criatividade está em fazê-los soar bem com mini-instrumentos e toda sorte de bonequinhos e bugigangas que fazem barulhinho. São bichos de borracha que apitam, os sons do Genius, xilofones, cornetinhas de plástico e tantas coisas mais.

Além de criativo, Música de Brinquedo arranca gargalhadas, basta comparar os sax ensandecidos da versão original de Ska, dos Paralamas, com os da versão do Pato Fu. Mas, não é piada que perde a graça passada a primeira audição. Cada ouvida traz á tona um detalhe e as canções se sustentam depois que perdem a graça, por um motivo simples: os arranjos são criativos, os instrumentos bem tocados e a voz de Fernanda Takai continua etérea, puro twee pop.

Mistura de público também é a tônica do CD. Porque, se a abordagem é infantil e há delicioso acompanhamento de duas crianças fazendo backing vocal, o repertório não é "infantil’. Fernanda contou que uma das crianças perguntou o que significava o verso "outonos caindo secos na palma da minha mão" . A vocalista respondeu: "não se preocupe, a gente também não entende o que quer dizer". Quem entende? Quem se importa? A gente curte Frevo Mulher desde 1979 e nunca se preocupou mesmo em querer saber o significado da letra. A música é delícia e pronto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas, então, o álbum é para crianças ou adultos? Música de Brinquedo é para todo mundo que curta pop de verdade, independentemente de idade. Outro grande mérito do Pato: criar um álbum que pode ser curtido por pais e filhos, tios e sobrinhos. Pop ousado, criativo e ainda assim, acessível.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Demonstrações de afeto: fotos de rockstars que já se beijaram, parte 1Demonstrações de afeto
Fotos de rockstars que já se beijaram, parte 1

Zakk Wylde: cinco momentos insanos do guitarristaZakk Wylde
Cinco momentos insanos do guitarrista


Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Roberto Rillo Bíscaro é professor universitário e edita o Blog do Albino Incoerente desde 2009.

Mais matérias de Roberto Rillo Bíscaro no Whiplash.Net.

Goo336 Goo336 Cli336 GooAdHor Goo336 Cli336