Distopia: o rock que vem do Norte

Resenha - Distopia - Distopia

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nelson de Souza Lima
Enviar Correções  

Que o Brasil é um país de dimensões continentais com enormes diferenças culturais, econômicas, raciais e sociais não é novidade pra ninguém. Assim como não é surpresa vermos a região norte desse gigantesco território ainda com distanciamento. A primeira coisa que vem à mente quando falamos naquele pedaço do Brasil é a Amazônia e a enorme devastação que assola a floresta. Porém quando o assunto é rock and roll a região norte também produz ótimas bandas. Prova disso é o quinteto Distopia. Com apenas quatro anos de estrada o grupo de Porto Velho, RO, tem angariado fãs a cada dia. O Distopia traz nas suas fileiras Hugo Borges (vocal), Vandrin Rodrigues (guitarra/voz), Rafini Root (guitarra), Mikeias Belfort (baixo) e Renan Lima (bateria). Em 2017 os portovelhenses fizeram a estreia discográfica com o disco homônimo trazendo 10 faixas autorais. O pop rock romântico com letras que versam sobre relacionamentos rompidos, namoros impossíveis ou irrealizáveis gerou alguns clipes que já alcançaram um número considerável de visualizações no Youtube. "Tempestade", por exemplo, ultrapassou um milhão de views, se constituindo até aqui no maior feito dos caras. Outros destaques do álbum são "Dias atrás", (nada a ver com aquela do CPM22), "Como se fosse Amanhã", "Primeira Vez" e "O que você quer de Mim". Como toda banda de rock os caras têm suas musas. Receberam homenagens "Ketiana" e "Ana". Será que são uma só? A banda varia o tema partindo para a crítica social na boa "C.P.I", na qual Hugo Borges mostra indignação diante de uma câmara e senado corruptos. "Distopia", o disco, foi gravado no Estúdio Play Sonora com produção de Hélio Vieira, Hugo Borges e Vandrin Rodrigues. A mixagem e masterização ficaram a cargo de Hugo Borges. É uma boa estreia do Distopia que mostra ter fôlego pra voos mais altos. O norte do país prova que tem rock do bom.

Pagando mico: 10 maneiras de ser expulso ou humilhado em um showRodolfo Abrantes: "Raimundos como banda não me interessa"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Álbum: Distopia – Lançado em 2017
01- Tempestade
02- Dias Atrás
03- Ketiana (Participação Caio Neiva)
04- Nossa Canção
05- Como Se Fosse Amanhã
06- Ana
07- Primeira Vez
08- O Que Você Quer
09- CPI (Participação Hugo Borges)
10- Eu Não Te Amo Mais
Gravado no Estúdio Play Sonora.
Mixagem e Masterização: Hugo Borges
Produzido por: Hélio Vieira, Hugo Borges e Vandrin Rodrigues
Vozes, guitarras e teclados: Vandrin Rodrigues
Baixo: Mikeias Belfort
Bateria: Renan Lima
Guitarras: Rafini Root (nas faixas "Ana" e "CPI")
Participação: Caio Neiva em "Ketiana", Naldo Macien (Teclados em "CPI") e Hugo Borges (Discurso em "CPI")




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pagando mico: 10 maneiras de ser expulso ou humilhado em um showPagando mico
10 maneiras de ser expulso ou humilhado em um show

Rodolfo Abrantes: Raimundos como banda não me interessaRodolfo Abrantes
"Raimundos como banda não me interessa"


Sobre Nelson de Souza Lima

Jornalista, repórter, resenhista, colunista musical. Assim é Nelson de Souza Lima. Mas acima de tudo um amante do rock, classic, hard e metal. Entre minhas entrevistas estão as feitas com Angra, André Mattos, Royal Hunt, Blind Guardian, entre muitas outras. Além disso sou baixista da banda de Classic Rock e metal The Green Pigs.

Mais matérias de Nelson de Souza Lima no Whiplash.Net.

Goo336x280