Patrulha do Espaço: obrigatório para quem curte o rock brasileiro

Resenha - Patrulha - Patrulha do Espaço

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Costa de Melo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

1982, um ano marcante. Ano em que ingleses e argentinos disputaram na pior das formas a soberania sobre as Malvinas, em que um pequeno e simpático ET arrebatava multidões nos cinemas, em que MICHAEL JACKSON mostrava que cresceu e apareceu em "Thriller", em que um esquadrão rubro-negro liderado por Zico teve o seu apogeu, mas que outro em verde e amarelo, apesar do brilhantismo, fracassou na busca do tetra da copa do mundo em solo espanhol. E ano também do nascimento de uma obra-prima do rock brasileiro: "Patrulha", ou "álbum branco" para os mais íntimos, do PATRULHA DO ESPAÇO.

Patrulha do Espaço: veja documentário sobre Rolando Castello JuniorG.G. Allin: o extremo dos extremos

O álbum, terceiro da banda capitaneada pelo baterista Rolando Castello Junior e o primeiro da mesma sob o selo "Baratos Afins", trouxe várias canções que vieram a se tornar não só clássicos do rock brazuca, como também itens obrigatórios em todos os shows do Patrulha até hoje. Serviu para afirmar o excelente entrosamento entre Junior, o guitarrista e vocalista Eduardo Chermont e o baixista Sérgio Santana, agora mais atuante em relação aos vocais principais e composições, além de trazer um som ainda mais visceral e pesado.

"Columbia" abre magistralmente o álbum com uma intro marcante de guitarra, a inconfundível cadência da bateria de Junior e a voz carregada, porém sensacional, de Sérgio Santana, abrilhantada pela participação especial de Zé Rodrix (SOM IMAGINÁRIO; SÁ, RODRIX & GUARABYRA; carreira solo) nos sintetizadores, que dá um ar futurístico a dita faixa. "Bomba", apesar de curta, tem um ritmo contagiante e bem acelerado, que não faria feio perante aos grandes do hard rock setentista. O ritmo diminui com o belo blues de "Jeito Agressivo".

"Festa de Rock" é bem auto explicativa em suas letras: alegria, farra, chapação, despreocupação com o mundo exterior, resumindo, bem festeira, clássico obrigatório do Patrulha. E, tomando emprestadas as palavras do crítico musical Regis Tadeu, em coluna para a revista BATERA (nº 88), é "a mais roqueira das respostas ao elitismo dos convidados da 'Festa de Arromba'"¹.

"Mar Metálico", cover da banda LÍRIO DE VIDRO, tem como destaque a belíssima e até surpreendente interpretação de Eduardo Chermont encaixando perfeitamente com a parte instrumental, de certa forma ligeira, agradável aos ouvidos. "Cão Vadio", outra faixa indispensável, mostra, além de mais uma aula de bateria de Rolando Castello Junior, o porquê de Sérgio Santana, a partir de então, ganhar mais destaque nos vocais, que segue com "Transcedental", que, apesar de destoar do restante do álbum em relação a pegada, mostra-se uma bela canção, daquelas que seriam ideais para tocar no violão em volta de uma fogueira na praia ou no campo. Conforme Rolando relata na remaster do álbum, foi a faixa escolhida para completar o mesmo na época².

Em seguida, outro cover: "Meus 26 anos", do grupo JOELHO DE PORCO, que ganhou a cara do Patrulha, com maior peso sonoro e uma interpretação até mais debochada de Eduardo Chermont, finalizando muito bem um disco clássico que afirmou e elevou o PATRULHA DO ESPAÇO a um novo patamar, que culminaria, além do uma extensa turnê, no convite para abrir os shows que a banda VAN HALEN fez no início de 1983, no Ginásio do Ibirapuera.

Em julho de 2017, a Baratos Afins lançou a remaster do álbum em CD. Além das oito faixas originais, seguem mais quatro faixas bônus: três delas ao vivo do show realizado em 30/12/1983, no Teatro da Universidade Católica (TUCA), em São Paulo, o último com o guitarrista Eduardo Chermont: "Festa do Rock", "Meus 26 Anos" e "Columbia", e uma versão com orquestra de "Columbia", que surpreende positivamente.

Enfim, um disco obrigatório para aqueles que amam e curtem o rock brasileiro, um clássico que merece bem mais destaque. Celebre a arte de três excelentes músicos. Aproveite e faça a festa!

NOTAS:

1 - http://rolandorock.com/index.php?option=com_content&view=article&id=59&Itemid=67, consultado em 03/08/2017, às 23:35.

2 - ESPAÇO, Patrulha do. PATRULHA (remaster - booklet). São Paulo, Baratos Afins, 2007. Pág.14.

PATRULHA DO ESPAÇO - PATRULHA (Baratos Afins, 1982 -LP, 2007 - Remaster em CD)

Rolando Castelo Junior - Bateria
Eduardo Chermont - Guitarra e vocal
Sérgio Santana - Baixo e Vocal
Participação de Zé Rodrix nos sintetizadores em "Columbia"

FAIXAS

1 - Columbia (Sérgio Santana)
2 - Bomba (Sérgio Santana / Rolando Castello Júnior / Eduardo Chermont)
3 - Jeito Agressivo (Sérgio Santana / Rolando Castello Júnior / Eduardo Chermont)
4 - Festa do Rock (Eduardo Deposé , versão: Rolando Castello Júnior)
5 - Mar Metálico (Kim Kehl)
6 - Cão Vadio (Sérgio Santana / Rolando Castello Júnior / Eduardo Chermont)
7 - Transcedental (Sérgio Santana)
8 - Meus 26 Anos (Tico Terpins / Walter Baillot)

EXTRAS
9 - Festa do Rock (Ao Vivo / Tuca 1983)
10 - Meus 26 anos (Ao Vivo / Tuca 1983)
11 - Columbia (Ao Vivo / Tuca 1983)
12 - Columbia (Arranjo Orquestral)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Patrulha Do Espaco"


Patrulha do Espaço: veja documentário sobre Rolando Castello Junior

Hardão Setentista: Aeroblus, o maior power trio latino americanoHardão Setentista
Aeroblus, o maior power trio latino americano


G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

King Diamond: As opiniões do rei sobre SatanismoKing Diamond
As opiniões do rei sobre Satanismo


Sobre Rafael Costa de Melo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGoo336