Matérias Mais Lidas

Iron Maiden: debilitado, Paul Di'Anno depende de vaquinha virtual para fazer cirurgiaIron Maiden
Debilitado, Paul Di'Anno depende de vaquinha virtual para fazer cirurgia

Paul Stanley: não consegue cantar Kiss e se arrisca no R&B? Saiba a resposta delePaul Stanley
Não consegue cantar Kiss e se arrisca no R&B? Saiba a resposta dele

Metallica: Uma versão de Battery que todo headbanger sempre quis ouvirMetallica
Uma versão de "Battery" que todo headbanger sempre quis ouvir

Nirvana: Kurt Cobain era meio pau no c*, diz produtorNirvana
"Kurt Cobain era meio pau no c*", diz produtor

Guns N' Roses: guitarrista ex-Black Crowes recusou entrar para a banda por duas vezesGuns N' Roses
Guitarrista ex-Black Crowes recusou entrar para a banda por duas vezes

Mötley Crüe: Vince Neil e namorada são criticados por foto caçando animaisMötley Crüe
Vince Neil e namorada são criticados por foto caçando animais

Snowy Shaw: ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no NightwishSnowy Shaw
Ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no Nightwish

Carlinhos Brown: ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razãoCarlinhos Brown
Ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razão

Metallica: TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully GuitarsMetallica
TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully Guitars

Bruce Dickinson: O Iron Maiden é melhor que o MetallicaBruce Dickinson
"O Iron Maiden é melhor que o Metallica"

Rodolfo Abrantes: O sonho da minha mãe era eu voltar aos RaimundosRodolfo Abrantes
"O sonho da minha mãe era eu voltar aos Raimundos"

Nirvana: Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.Nirvana
Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.

Inesquecíveis: 50 grandes sucessos do rock e do metal que nunca saem de modaInesquecíveis
50 grandes sucessos do rock e do metal que nunca saem de moda

Hard Rock e Heavy Metal: Os 10 videos mais toscos sem quererHard Rock e Heavy Metal
Os 10 videos mais toscos "sem querer"

Di'Anno: Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!Di'Anno
"Harris é como Hitler e o Maiden é entediante!"


Matérias Recomendadas

Andre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?Andre Matos
O que ele faria se fosse mulher por um dia?

James Hetfield: O equilíbrio entre Metallica e vida familiarJames Hetfield
O equilíbrio entre Metallica e vida familiar

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1988Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1988

Vitão Bonesso: A imensa coleção do apresentador do BackstageVitão Bonesso
A imensa coleção do apresentador do Backstage

História do rock: Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatosHistória do rock
Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatos

Baladas de Sangue
Stamp

Cathedral: Uma viagem pesada e assustadora em seu debut

Resenha - Forest Of Equilibrium - Cathedral

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Rocha
Enviar Correções  

9

Uma viagem ao mesmo tempo etérea e assustadora. Lento, pesado e assombroso. Fantasmagórico. Faltam adjetivos para se descrever o debut do Cathedral, Forest Of Equilibrium, considerado um clássico-mor do Doom Metal.

Depois de ser um membro bastante atuante da cena Punk Rock britânica e de integrar a banda Napalm Death, Lee Dorian se viu cansado da cena Punk e também desgostoso com o rumo que a sonoridade dos pioneiros do Grindcore estava tomando. Lee conhecera o músico Mark Griffiths, que no fim dos anos 80 trabalhava como roadie para o Carcass, e de repente os dois encontraram uma atração em comum: a sonoridade lenta e densa de bandas como Pentagram, Saint Vitus, Black Sabbath e Candlemass. Logo, decidiram fundar uma banda nos mesmos moldes. Nascia então o Cathedral, em 1989. Com a adição dos membros Adam Lehan (guitarras), Gaz Jennings (guitarras) e Mike Smail (bateria), a formação completada por Lee Dorian (vocais) e Mark Griffiths (baixo) registrou e lançou em 1991 Forest Of Equilibrium, via Earache Records.

Eis que toda a aura sorumbática do Doom Metal que já existia se potencializou com a habilidade de Lee Dorian em criar efeitos perturbadores nas músicas, além de seus vocais graves que mais parecem agouros demoníacos. As afinações baixas da seção de cordas e os riffs lentos e agonizantes ajudam a emular a atmosfera macabra. Sem contar o ritmo bastante lento quase que o tempo todo imposto pela bateria, onde o intervalo entre as batidas na caixa mais parece sem fim. A intenção do álbum é mesmo levar o ouvinte para dentro de uma floresta, daquelas escuras e densas, onde o que menos se espera é equilíbrio.

Musicalmente falando, Forest Of Equilibrium já começa entregando uma influência que seria trabalhada mais fortemente em álbuns seguintes: a do Rock Progressivo. Uma bela melodia de violão engana quem pensa que virá uma bela peça, quando entra um riff Doom daqueles de tremer a terra. É assim que começa Picture of Beauty & Innocence (Intro) / Comiserating the Celebration, onze minutos do mais pesado Doom Metal, cheio de movimentos, e que também entrega influências setentistas.

Aquelas puxadas nas cordas das guitarras, típicas em riffs de Doom, aparecem fortemente em Ebony Tears, que é seguida pela viajante Serpent Eve. O Paradise Lost já havia feito algo similar em seu debut de 1990, mas a estreia do Cathedral mostra um som mais bem produzido, mas não menos sujo e impactante. A velocidade e os rastros de um Heavy mais tradicional aparecem em Soul Sacrifice. A Funeral Request representa musicalmente o que seu título sugere em mais de nove minutos. A viagem perturbadora continua em Equilibrium e se encerra com Reaching Happiness, Touching Pain, que apresenta um trabalho de flautas que mais parece coisa do King Crimson, mas que também apresenta uma atmosfera mortal que termina de vez de sacrificar a sanidade mental do concentrado ouvinte.

A alucinante viagem é pavimentada pela arte de capa, que se completa ao se abrir o encarte, exibindo um contraste entre luz e trevas. Segundo o artista Dave Patchett, a arte mostra um herói assexuado nas duas matizes do contraste, em meio a figuras melancólicas.

Atmosferas tais as que foram sentidas neste trabalho apareceram durante os anos 90 em peças de Type O Negative, My Dying Bride e depois de Woods Of Ypres, dentre outros grupos de Gótico, Doom ou Stoner. Forest Of Equilibrium, devido ao avanço que deu no desenvolvimento do Doom Metal, é um álbum da maior importância dentro do Rock pesado.

Melancolia, por assim dizer, é o que Forest Of Equilibrium transborda. Difícil de ser digerido para iniciados ou para quem não curte as peculiaridades do Doom. Mas este álbum é inebriante e formidável para quem gosta de entrar em negras e obscuras florestas.

Forest Of Equilibrium – Cathedral (Earache Records, 1991)

Tracklist:

01. Picture of Beauty & Innocence (Intro) / Comiserating the Celebration
02. Ebony Tears
03. Serpent Eve
04. Soul Sacrifice
05. A Funeral Request
06. Equilibrium
07. Reaching Happiness, Touching Pain

Line-up:

Lee Dorian – vocais, efeitos
Gaz Jennings – guitarras
Adam Lehan – guitarras, violão
Mark Griffiths – baixo
Mike Smail – bateria


Tunecore
Receba novidades de Rock e Heavy Metal por Whats App

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Álbuns: os vinte piores discos de todos os temposÁlbuns
Os vinte piores discos de todos os tempos

Separados no nascimento: Joe Satriani e Lord VoldemortSeparados no nascimento
Joe Satriani e Lord Voldemort


Sobre Bruno Rocha

Cearense de Caucaia, professor e estudante de Matemática, torcedor do Ferroviário e cafélotra. Entrou pelas veredas do Heavy Metal na adolescência e hoje é um aficionado e pesquisador de todos os gêneros mais tradicionais desta arte e de suas épocas. Tem como forte o Doom Metal, não obstante o sol de sua terra-natal.

Mais matérias de Bruno Rocha no Whiplash.Net.