RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemThiago Bianchi explica sucessão de problemas durante show de Paul Di'Anno

imagemMustaine tentou fazer hit radiofônico e acabou escrevendo a "música mais idiota" do Megadeth

imagemO clássico da banda Evanescence que a vocalista Amy Lee odiava

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemA opinião de Paul McCartney sobre a música dos Sex Pistols

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth

imagemIron Maiden, RATM e Soundgarden são indicados ao Rock And Roll Hall Of Fame

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemO dia que João Gordo xingou Ayrton Senna por piloto se recusar a dar entrevista a ele

imagemPara John Lennon, os Beatles poderiam ter acontecido sem George e Ringo

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemMike Portnoy escolhe os álbuns preferidos de sua adolescência


Stamp

Brutallian: Sonoridade clássica e moderna

Resenha - Blow On The Eye - Brutallian

Por Victor Freire
Fonte: Rock'N'Prosa
Postado em 01 de março de 2017

Nota: 8

O som de raiz do heavy metal, como aquele praticado pelo Judas Priest e pelo Accept, foi sempre algo que atraiu minha atenção. Ultimamente não me deparei com bandas assim no mercado, mas eis que surge, direto de São Luiz/MA, o Brutallian.

A banda formada por Pablo Barros (vocal), Lex Wave (guitarra), Rayan Oliveira (bateria) e Fabio Matta (baixo) lançou o seu debut, o Blow on the Eye (2015), respeitando todos esses elementos, fazendo um som clássico com uma cara nova. Isso tudo é observado em Blow on the Eye. A faixa-título abre o álbum da melhor forma possível, com um refrão em coro que dá vontade de cantar junto. Black Karma continua na mesma linha com uma introdução bastante forte — riff bem clássico. Além dos coros e dos riffs na guitarra, destaco as linhas vocais das músicas — achei muito bem escritas, variando entre graves e agudos.

I, the Scoundrel se diferencia um pouco das outras, arrisco a dizer que possui uma sonoridade mais "moderna". O riff inicial foca mais no peso e deixa os elementos clássicos um pouco de lado. Além de curtir a música, gostei da presença dela no álbum para mostrar que a banda não se limita em uma linha apenas. Quando ouço músicas assim já penso nos trabalhos futuros da banda e quais novos elementos eles podem explorar para enriquecer seu trabalho. Para encerrar o álbum, voltando com a sonoridade clássica, temos Pain Masterpiece.

O Blow on the Eye (2015) conseguiu cumprir seu papel, que é o de apresentar a sonoridade do Brutallian. As músicas seguem mais ou menos a mesma linha — não estou aqui dizendo que são iguais, são de estilos parecidos, por assim dizer –, mas conseguem ser distintas entre si. O álbum possui músicas que focam mais no peso e são seguradas por riffs excelentes como Primal Sigh e Hell Is Coming With Me; e músicas que são mais velozes como You Can’t Deny Hate. Todas juntas definem bem a proposta da banda, e isso para um álbum debut é o que importa. Além dessa parte, as músicas são muito bem construídas e a qualidade da gravação está excelente.

#Tracklist:

1.A Prelude to Agression
2.Blow on the Eye
3.Black Karma
4.Primal Sigh
5.Psycho Excuse
6.You Can’t Deny Hate
7.Hell is Coming with Me
8.I, the Scoundrel
9.Pain Masterpiece


Outras resenhas de Blow On The Eye - Brutallian

Resenha - Blow On The Eye - Brutallian

Resenha - Blow On The Eye - Brutallian

Resenha - Blow On The Eye - Brutallian

Resenha - Blow On The Eye - Brutallian

Resenha - Blow on the Eye - Brutallian

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps




publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Victor Freire

Professor universitário e mestre em Engenharia Mecânica pela UFRN. Nascido no deserto de Mossoró/RN. É fã e colecionador de itens relacionados ao rock'n'roll. Editor-chefe do blog Rock'N'Prosa e guitarrista do Godhound. Acessa o Whiplash! desde a infância e colabora com o site sempre que possível.
Mais matérias de Victor Freire.